Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Adenor Gonçalves dos Santos

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Adenor Gonçalves
 Edit this InfoBox
Nome completo Adenor Gonçalves dos Santos
Nascimento Predefinição:28/10/1963
Jaguaquara, Bahia, Brasil
Morte
Residência Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasileira
Progenitores Mãe: Laura Gonçalves dos Santos
Pai: Manoel Batista dos Santos
Filho(s) Tarsis Gonçalves e Hellen Gonçalves
Alma mater
Ocupação Empresário, Consultor Jurídico, Teólogo, Jornalista, Escritor.
Religião Cristão
Página oficial
www.adenorgoncalvesoficial.com.br
Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Adenor Gonçalves dos Santos (Jaguaquara/Bahia, 28 de outubro de 1963 ) é jornalista, escritor, teólogo, administrador de empresas, consultor jurídico e empresário em diversas áreas: petrolífera, construção civil, engenharia, prestação de serviços, educação e comunicação.

É cristão evangélico e defende que a Bíblia é única Palavra de Deus revelada aos homens: "Sola Scriptura".

Atuou como radialista na Bahia, em 1976, chegando, anos depois, à televisão. Nela apresentou alguns programas, como Brasil em Debate, nas extintas TVs Manchete e Vinde TV, em que realizava entrevistas com políticos, empresários, religiosos e personalidades. Em 2004, na Rede Bandeirantes, apresentou um programa de variedade jornalística denominado Mundo Gospel.

Em 1995, participou da 17ª Assembleia da Aliança Batista Mundial na Cidade de Buenos Aires, Argentina e, na mesma Convenção, também se filiou à Aliança Batista Mundial como pastor evangelista.

Em 2012, tornou-se o acionista majoritário do Grupo Galileo Educacional, mantenedor das Universidades Gama Filho e UniverCidade. Esse grupo econômico ficou famigerado, inclusive, pela publicação, promovida pela revista Isto É, de denúncias sobre irregularidades praticadas anteriormente à chegada de Adenor ao grupo econômico.

Como escritor, possui mais de 20 obras literárias, incluindo Há uma Guerra e você é o Alvo; Fé que invade o Impossível; Nascido para Vencer; A Bíblia do Sucesso; A Lei de Deus e o Homem e Humanização nos Hospitais.

Atua como presidente e editor chefe do portal de notícias Jornal Povo Brasileiro; Mundo Gospel Notícias; Jornal Povo Fluminense; Deus Salve o Brasil, e das rádios Nova Caledônia (90.1FM – A Rádio do Povo de Deus) e Nova Sucesso (88.7FM), empresas do Sistema Semear de Comunicação – SSC.

Biografia[editar]

Adenor Gonçalves, nascido no estado da Bahia, é o oitavo dos 9 filhos de Manoel Batista dos Santos, fazendeiro e agricultor, e da professora Laura Gonçalves.  A Cidade de Jaguaquara, onde Adenor nasceu, foi berço do projeto inicial de Educação dos Batistas Brasileiros, tendo iniciado seus estudos no Colégio Batista Taylor-Egídio.

Adenor começou sua caminhada cristã na Primeira Igreja Batista de Jaguaquara, onde se converteu ao Evangelho de Cristo.

Em 1976, aos 17 anos, em Salvador, teve seu primeiro contato com a comunicação. Escreveu artigos para a imprensa escrita e radiofônica. Criou o primeiro programa de rádio dos batistas baianos: Desperta Brasil, na Rádio Cruzeiro da Bahia, e o programa Madrugada com Deus, na Rádio Sociedade da Bahia.

Em 1978, Adenor saiu da Cidade de Jaguaquara e foi para o estado do Rio de Janeiro, onde concluiu o curso médio com formação técnica em contabilidade. Para custear seus estudos, trabalhou na Associação dos Centros Integrados de Assistência à Criança - Açãomedvida - Associação Internacional de Ações Humanitárias, em Niterói, Rio  de Janeiro, como técnico em contabilidade.

Entre as décadas 80 e 90, já atuando também como jornalista, Adenor estudou e graduou-se em ciências teológicas, ciências jurídicas e ciências administrativas. Como jornalista, tornou-se membro da International Federation of Journalists – IFJ –, com sede em Bruxelas, Bélgica. No Brasil, é membro de entidades de classe profissional, como a Federação Nacional de Jornalismo – FENAJ –, membro efetivo da Associação Brasileira de Imprensa – ABI –, do Conselho Federal de Contabilidade – CRC/RJ –, do Conselho Federal de Administração de Empresa – CRA/RJ –, da OMEBE – Ordem dos Ministros Evangélicos no Brasil e no Exterior – e da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, inscrição ‘E', em 1987.

Em razão de ministério religioso, tornou-se um escritor e produtor de livros que falam sobre fé, graça, vitória e salvação, além de obras literárias na área de saúde humanizada.

Chamada ao Ministério da Palavra[editar]


Aos 10 anos de idade, Adenor teve uma "visão espiritual”, em que Deus lhe dizia: “Pregue a Santa Palavra que liberta, salva e cura”. Sendo assim, depois do seu chamado ao ministério da Palavra, Adenor se preparou e se tornou um evangelista.

Em 1974, aos 15 anos de idade, Adenor deu sua pública profissão de fé e se batizou na Primeira Igreja Batista da Jaguaquara, Bahia.

Em 1976, o jovem Adenor passou a frequentar a Primeira Igreja Batista do Brasil, também na Bahia, onde atuou como líder da juventude.

Em 1995, participou da 17ª Assembleia da Aliança Batista Mundial na Cidade de Buenos Aires, Argentina, ocasião em que, pela segunda vez, foi eleito um brasileiro, Pr. Nilson do Amaral Fanini, como presidente dessa organização internacional, que reúne milhões de  batistas  em todo o mundo. Adenor, na mesma Convenção, também se filiou à Aliança Batista Mundial como pastor evangelista.

No período entre 1994-1998, Adenor integrou o ministério da Igreja Batista Internacional, no bairro do Leblon, Rio de Janeiro.  A Igreja Internacional faz parte da Junta de Missões da Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos - Junta de Richmond.

No período entre 1999-2002, Adenor pastoreou a Igreja Batista Bíblica Mundial, no bairro de Brás de Pina, Rio de Janeiro.[1] Adenor até hoje é um pregador do evangelho de Cristo e cumpre seu chamado ministerial através das redes sociais, rádio, escrevendo livros e realizando palestras.

Os Pilares da Fé na Visão de Adenor

Ele defende a inerrância da Bíblia Sagrada. Segundo ele, a Bíblia é a Santa Palavra de Deus revelada aos homens pelo Espírito Santo, a única regra de fé e prática da igreja de Cristo no mundo, e os dez mandamentos não estão separados da sublime Graça de Deus – são imutáveis e perpétuos, com preceitos morais que norteiam a vida humana.


Carreira na Comunicação[editar]

Adenor iniciou sua carreira na área da comunicação ainda jovem na Bahia, atuando como radialista. Anos depois, chegou à televisão, apresentando alguns programas, como Brasil em Debate, nas extintas TVs Manchete e Vinde TV, ocasião em que promoveu entrevistas com políticos, empresários, religiosos e personalidades. Em 2004, na Rede Bandeirantes, apresentou um programa de variedade jornalística denominado Mundo Gospel.

Em 2017, como Jornalista, teve seu artigo publicado na Revista Caras,  edição 1253, nº 45/2017, com  a matéria comemorativa referente aos 500 anos da Reforma Protestante denominada Dia de Fazer a Diferença,  em que o jornalista reafirmou a posição dos  protestantes no Brasil e no mundo.

Atua como presidente e editor chefe do portal de notícias Jornal Povo Brasileiro; Mundo Gospel Notícias; Jornal Povo Fluminense; Deus Salve o Brasil e das rádios Nova Caledônia (90.1FM – A rádio do Povo de Deus) e Nova Sucesso (88.7FM).

Carreira Empresarial[editar]

Adenor Gonçalves, há mais de vinte anos, é presidente de um grupo de empresas nas áreas de construção civil, engenharia e prestação de serviços. É acionista de empresas na área petrolífera e membro do Conselho Deliberativo de uma empresa especializada em Petróleo, Gás e Energia. Faz parte do conselho de um fundo internacional. Foi conselheiro nacional do Hospital Evangélico, acionista majoritário e presidente do Conselho de Administração da Galileo S/A e membro do Conselho da Aliança Batista Social.

Acionista majoritário e sócio fundador das Empresas:[2]

Petróleo Pressal - Distribuidora, Importação e Exportação de Produtos Petrolíferos Ltda.- atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural;

Brasilpressal Mineração e apoio extração de Petróleo Ltda. - atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural.

Pressalbiogas - Apoio a Extração de Petróleo e Representação Internacional Ltda. - atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural;

Brazpre-Sal - Mineração e Gerenciamento de Sistemas Ltda.- atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural;

Ynterbraz Petroleo (Ynterbraz Petroleo e Engenharia Ltda).- atividades de apoio à extração de petróleo e gás natural;

Polikraft Construtora, Arquitetura e Urbanismo Ltda. - serviços de engenharia e arquitetura;

Taquara Sociedade Territorial e Construtora Ltda. serviços de arquitetura e engenharia. Projetos, reformas, assessoria e perícias de Laudos e de avaliação.

Tecmedi Distribuição de Medicamentos e Equipamentos e Representação Ltda. - representantes comerciais e agentes do comércio de medicamentos, cosméticos e produtos de perfumaria;

Medbraz Representação e Distribuição de Medicamentos e Equipamentos Ltda. - comércio atacadista de medicamentos e remédios;

Adenor Gonçalves Consultoria Empresarial Eireli.- empresa individual de responsabilidade limitada de natureza empresarial;

Em razão de vários processos envolvendo o Grupo Galileo- Gama Filho e UniverCidade -, Adenor e suas empresas integram o polo passivo na justiça.

Ficheiro:Formatura Adenor Gonçalves.jpg
Adenor Gonçalves e a lembrança da formatura de um de seus primeiros títulos.

Trajetória na Área da Educação[editar]

Ficheiro:Gama Filho.jpg
Universidade Gama Filho - Piedade RJ

Adenor Gonçalves, controlador do Grupo Galileo Educacional – Gama Filho e UniverCidade –, adquiriu essas universidades, a fim de oferecer educação acessível a todos e investir em educação.

Adenor adquiriu, em 2012, o Grupo Galileo Educacional – Gama Filho e UniverCidade. E, meses depois, mesmo tendo a cautela de auditoria sobre as cotas , sofreu um duro golpe ao ter conhecimento, através de sua equipe financeira, de um passivo oculto  muito maior do que o apresentado anteriormente, além de descobrir a ocultação de documentos que identificavam um investimento  de $ 100 milhões, captados no mercado financeiro, por meio de debêntures dos fundos de pensão da Petros e Postalis. Valor este que deveria ter sido investido nas mencionadas universidades. Estes fatos ocorreram 2 anos antes de Adenor adquirir o Grupo Galileo. Logo que descobrira as inconsistências, ingressou com processos judiciais contra os ex-proprietários.

Na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro – ALERJ –, em 2012, foi instaurada uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI – para as universidades privadas, a fim de apurar as mazelas das instituições de ensino superior e ouvir seus representantes.

A Universidade Iguaçu (UNIG), a Universidade Cândido Mendes (UCAM), a Universidade Santa Úrsula (USU), a Sociedade Unificada de Ensino Superior e Cultura (SUESC), o Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro (UniverCidade), a Gama Filho entre outras foram citados no pedido de instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).  As principais denúncias contidas no relatório da CPI são atrasos e falta de pagamentos aos funcionários, ausência de recolhimento do imposto sindical, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), irregularidades no ensino a distância e outras ações praticadas ao longo dos anos.  A CPI apurou a participação de grupos estrangeiros e sociedades anônimas no comando das universidades privadas no Rio de Janeiro, irregularidades em relatórios financeiros, sistemas de bolsas, como o  Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) e o Programa Universidade para Todos (Prouni). A conclusão da CPI sobre a Gama Filho e o Centro Universitário responsabilizou Adenor Gonçalves, novo sócio controlador do grupo, equivocadamente, por todos os danos havidos, uma vez que os fatos já existiam há mais de 10 anos antes de Adenor adquirir o Grupo Galileo.

A partir de então, uma guerra de fake news começou a circular nas mídias sociais.

Dr. Alex Porto, presidente do Grupo Galileo, à época, compareceu à CPI e justificou que o passivo oculto das universidades somado ao apresentado anteriormente era de R$ 900 milhões e que o atual sócio controlador, Adenor, foi surpreendido com esse valor. A CPI entendeu que Adenor deveria responder pelo passivo e pelos demais problemas decorrentes, enviando relatório para o Ministério Público (MP). O Senado Federal, em audiência pública, reiterou que a responsabilidade dos desvios foi atribuída aos ex-proprietários, excluindo-se Adenor de qualquer responsabilidade criminal. Estudantes, reitores e alguns deputados iniciaram uma campanha para federalizar as duas universidades. Como não obtiveram êxito, alunos e professores entraram em greve.

Histórico das Operações da Galileo

A Operação Recomeço deflagrada pela Polícia Federal foi o início de uma investigação que levou mais de 20 meses até que começaram a encontrar os responsáveis.  No processo originado pela referida operação, que apura fraudes financeiras do Grupo Galileo, Adenor é testemunha do Ministério Público, e o processo está em curso para apurar os verdadeiros culpados. O pastor Adenor ainda teve suas empresas investigadas na "Operação Recomeço 2" – em processo de apuração – , pois seu objetivo é esclarecer a verdade dos fatos e recuperar as universidades.

A  Justiça Federal  determinou o bloqueio de bens e ativos financeiros de algumas  pessoas em valor superior a R$ 1,35 bilhão – uma grande ação da Justiça, em que se espera que esses valores sejam transferidos para o juízo da 7ª Vara Empresarial, no qual está sendo processado todo o passivo e ativo do Grupo Galileo. O maior objetivo a ser alcançado com a transferência de valores é pagar aos professores, aos funcionários e a outros credores, uma vez que o patrimônio do grupo é muito superior às dívidas.[3]

O Ministério de Educação – MEC –, em 13 de janeiro de 2014, atendendo à decisão tomada pela Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior,  descredenciou a Universidade Gama Filho e o Centro Universitário, conhecido como UniverCidade,  por apresentar grave comprometimento da situação econômico-financeira da mantenedora. Fato este que trouxe prejuízos aos alunos, professores e a mais de mil funcionários, dando origem a mais de duas mil ações  trabalhistas, cíveis entre outras, todas em andamento, em que se busca responsabilizar os ex-proprietários das universidades e o atual proprietário, Adenor Gonçalves, pelos danos causados, a despeito de o patrimônio do grupo garantir quatro vezes mais o valor dos débitos.  

A revista Isto É, em sua edição de 24 de junho de 2015, ano 38, nº 2377, publicou uma matéria de quatro páginas, que objetivou denunciar o Grupo Galileo e as universidades citadas, apontando, minudentemente, as irregularidades praticadas antes de Adenor Gonçalves se tornar acionista e entrar para o grupo empresarial. Segundo a revista é uma matéria que indica a rota dos acontecimentos e seus autores.

Adenor sofreu graves acusações nas redes sociais e nos jornais impressos que o levaram a ajuizar ações judiciais contra todos os difamadores a responderem pelos atos que causaram danos à sua vida.

Controvérsias -[editar]

Galileo - Gama Filho e UnverCidade

Adenor como pastor sempre trabalhou para propagação do evangelho. Em razão das controvérsias envolvendo suas empresas, em especial as Universidades Gama Filho e UniverCidade, houve uma confusão entre os assuntos, originando acusações de desvio de dinheiro por parte de Adenor da Igreja para investir nas Universidades. Porém, tais acusações sequer faziam sentindo porque no ano de 2012–ano que adquiriu o Grupo Galileo- Adenor não estava em exercício do pastorado.


Descredenciamento das Universidades Gama Filho e UniverCidade

As Universidades Gama Filho e UniverCidade  sempre foram as maiores entre as Instituições  privadas do Rio de Janeiro. Como  Academia, em especial, a  Gama Filho tinha seu ensino como de alta relevância, uma vez que  muitos membros do Judiciário e do Ministério Público, e também de outras Instituições renomadas  faziam parte de seu corpo docente. Entre os professores expoentes  estavam  alguns Ministros  do Supremo Tribunal Federal - STF  , Dr. Ricardo Lewandowski -  Presidente  de em 10/09/2014 a 10/09/2016 e o Ministro  Dias Tóffoli  Presidente  de 13/09/2018 até a presente data,  ambos contratados pelo Grupo Galileo.

Houve muitas controvérsias  e ilações quanto a este assunto, de forma equivocada, principalmente sobre seus contratos e, certamente,   se eles não fossem membros da Suprema Corte, tais controvérsias não teriam tanto evidência, pois os Ministros  contribuíram  com a Educação do Brasil, transmitindo com excelência, seus ensinamentos, mas apesar disso e,  para tristeza de nosso ensino, o descredenciamento foi inevitável.

OAB

Adenor é bacharel em direito, formado em 1988, quando ainda não se exigia aprovação em exame para a obtenção da carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que autoriza a atuação na área advocatícia. Na ocasião, bastava, para tanto, a colação de grau em curso de direito de instituição universitária credenciada, para que se pudesse integrar os quadros do Órgão.

Adenor, no ano em que se graduou em direito, não requereu, à época, sua inscrição principal junto à OAB/RJ. Somente em 2005, quando decidira pleitear o ingresso, a OAB indeferiu seu pedido, por não ter realizado exame prévio. Diante do indeferimento de seu pleito, Adenor apresentou todas as provas que legitimavam o seu direito, inclusive parecer do  Ministério Público (MP) e sentença judicial em seu favor, mas, sem obter sucesso, a OAB entendeu que se tratava de matéria administrativa e que o requerimento deveria ter sido feito até o ano de 1994, último ano em que não se exigiu aprovação em exame de Ordem.

Em sessão de julgamento na Ordem dos Advogados do Rio de Janeiro,  Adenor foi criticado por ser empresário – dono das universidades Gama Filho e UniverCidade – e por ter causado prejuízo a milhões de alunos e funcionários. Fato este completamente diverso do mérito a ser julgado e que nem sequer deveria ter sido levado à baila para análise da questão, que versava única e exclusivamente sobre o direito de inscrição nos quadros da OAB/RJ.

Obras[editar]

  • Nascido para Vencer ISBN 978-85-922902-0-7
  • Há uma Guerra, e você é o Alvo ISBN 978-85-915237-9-5
  • Bomba na Democracia ISBN 978-85-904908-6-9
  • Dez Mandamentos para o Sucesso ISBN 978-85-904908-4-5
  • A Bíblia do Sucesso Pleno ISBN 978-85-915237-3-3
  • Nascido para Vencer ISBN 978-85-904908-2-3
  • Fé que Invade o Impossível ISBN 978-85-904908-8-3
  • Manual de Conduta da Gestão Participativa ISBN 978-85-904908-3-8
  • Humanização no Século XXI ISBN 978-85-904908-5-2
  • Humanização nos Hospitais ISBN 978-85904908-7-6
  • Conheça as Armas que Destroem sua Vida ISBN 978-85-915237-1-9
  • Triunfando na Vida pela Salvação ISBN 979-85-915237-2-6
  • Mensagens que Transformam Vidas ISBN 978-85-915237-4-0
  • Deus Muda Sua História ISBN 978-85-915237-5-7
  • Pão da Vida: Mensagens que Alimentam a Alma ISBN 9788591523764
  • A Imagem de Deus e o Homem ISBN 978-85-915237-7-1
  • A Lei de Deus e o Homem ISBN 978-85-915235 4-7
  • Sucesso pelas Pegadas de Cristo ISBN 978-85-915237-0-2
  • Nascido de Novo ISBN 85-904908-2-3

Referências:[editar]

[4] [5] [6] [7] [8] [9] [10] [11] [12] [13] [14] [15] [16] [17] [18] [19] [20] [21] [22] [23] [24] [25] [26] [27] [28] [29] [30] [31] [32] [33] [34] [35] [2] [1] [3]

  1. 1,0 1,1 «Igreja Batista Internacional do Rio de Janeiro - Leblon». Apontador. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  2. 2,0 2,1 «Adenor Goncalves Dos Santos | ConsultaSocio.com». www.consultasocio.com. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  3. 3,0 3,1 Francisco, Diego. «Empréstimo feito para UGF pode ter sido usado para pagar aulas de ministro do STF, diz site». Opinólogo - Jornalismo Opinativo. Consultado em 22 de fevereiro de 2020 
  4. «DEUS SALVE O BRASIL - Adenor Gonçalves dos Santos». www.deussalveobrasil.com.br. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  5. «Mundo Gospel – Portal de Notícias». Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  6. «Jornal – O Povo Fluminense». Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  7. «Capa». Jornal Povo Brasileiro. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  8. «Propina de R$ 30 milhões para Renan». ISTOÉ Independente. 19 de junho de 2015. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  9. «aliança batista mundial 1995 - Pesquisa Google». www.google.com. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  10. «LIVROS DO AUTOR – Adenor Gonçalves». Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  11. «Santos, o pastor que controla o Grupo Galileo». Valor Econômico. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  12. «Pastor dono da Gama Filho e UniverCidade depõe por seis horas na PF». O Globo. 24 de janeiro de 2014. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  13. «Folha de S.Paulo - Igrejas têm quase 400 rádios - 10/08/97». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  14. «SISTEMA SEMEAR DE COMUNICAÇÃO - uma Empresa do Grupo Adenor Gonçalves dos Santos». www.sistemasemeardecomunicacao.com.br. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  15. «Galileo Educacional Á espera de um milagre». Relatório Reservado. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  16. «O EMPRESÁRIO, ADENOR GONÇALVES, DONO DA GAMA FILHO E DA UNIVERCIDADE, RECORRE A JUSTIÇA FEDERAL EM DEFESA DE SEU PATRIMÔNIO». Jornal Povo Brasileiro. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  17. «DEUS SALVE O BRASIL - Adenor Gonçalves dos Santos». deussalveobrasil.com.br. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  18. http://www.jornalpovobrasileiro.com.br/recomeco-2/
  19. «GALILEO – GAMA FILHO: VERDADES E MENTIRAS.». Jornal Povo Brasileiro. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  20. «O INFERNO ASTRAL DAS UNIVERSIDADES GAMA FILHO E CIDADE». Jornal Povo Brasileiro. Consultado em 11 de fevereiro de 2020 
  21. «DISCURSO». alerjln1.alerj.rj.gov.br. Consultado em 14 de fevereiro de 2020 
  22. «Sala de aula vazia, bolso cheio na Gama Filho e UniverCidade». EXAME. Consultado em 14 de fevereiro de 2020 
  23. Rio, Do G1 (14 de janeiro de 2014). «Reitores propõem federalização da Gama Filho e UniverCidade, no Rio». Rio de Janeiro. Consultado em 14 de fevereiro de 2020 
  24. Rio, Daniel SilveiraDo G1 (20 de dezembro de 2013). «Alunos de Gama Filho e Univercidade no Rio sofrem com 3ª greve no ano». Rio de Janeiro. Consultado em 14 de fevereiro de 2020 
  25. Gois, Ancelmo. «Pastor que 'afundou' a Gama Filho quer carteira da OAB». Ancelmo - O Globo. Consultado em 14 de fevereiro de 2020 
  26. «Santos, o pastor que controla o Grupo Galileo». Valor Econômico. Consultado em 14 de fevereiro de 2020 
  27. Unknown (segunda-feira, 20 de janeiro de 2014). «Conexão Cabo Frio News: Escândalo: Responsável por emissoras da Região tem o nome envolvido no caso Gama Filho». Conexão Cabo Frio News. Consultado em 14 de fevereiro de 2020  Verifique data em: |data= (ajuda)
  28. Revista Caras, edição 1253, ano 25, nº 45 – 10/11/17
  29. «Biografia – Adenor Gonçalves». Consultado em 18 de fevereiro de 2020 
  30. «Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro». Wikipédia, a enciclopédia livre. 27 de agosto de 2019 
  31. «MEC descredencia Universidade Gama Filho e Centro Universitário da Cidade». portal.mec.gov.br. Consultado em 18 de fevereiro de 2020 
  32. «Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro». www.alerj.rj.gov.br. Consultado em 18 de fevereiro de 2020 
  33. «Universidade Gama Filho». Wikipédia, a enciclopédia livre. 15 de agosto de 2019 
  34. «Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro». Wikipédia, a enciclopédia livre. 13 de fevereiro de 2020 
  35. «Operação Recomeço». Wikipédia, a enciclopédia livre. 28 de dezembro de 2018 

https://exame.abril.com.br/revista-exame/sala-de-aula-vazia-bolso-cheio/

https://www.buzzfeed.com/br/filipecoutinho/testemunha-pagamento-350-mil-toffoli-stf

https://exame.abril.com.br/revista-exame/sala-de-aula-vazia-bolso-cheio/

https://www.opinologo.com.br/2017/08/emprestimo-feito-para-ugf-pode-ter-sido-usado-para-pagar-aulas-de-ministro-do-stf-diz-site.html


Este artigo "Adenor Gonçalves dos Santos" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Adenor Gonçalves dos Santos.