Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Adriano Gianturco

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.


Adriano Gianturco
 Edit this InfoBox
Nome completo Adriano Gianturco Gulisano
Morte
Nacionalidade italiano
Alma mater Universidade de Torino
Ocupação Professor
Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Adriano Gianturco Gulisano (Catania, Sicília) é professor de Ciência Política do Ibmec de Belo Horizonte.[1]

Biografia[editar]

Doutor pela Universidade de Genova, Mestre em Ciência Política pela Universidade de Torino,[2] em 2010 se mudou para o Brasil.

Adriano disserta sobre o ambiente acadêmico italiano, no que se refere ao interesse e estudos das ideais liberais e do pensamento Austríaco. "Já tivemos professores e pesquisadores estudando a Escola Austríaca na Universidade de Luiss (Roma), mas, infelizmente, hoje a situação está declinando e não sei se vai aumentar o número de professores austríacos.", disse o professor.[1]

Produziu trabalhos acadêmicos sobre a justificativa moral da propriedade, a imoralidade da redistribuição, além da ação e função empresarial na obra de Israel Kirzner e sobre a obra de Bruno Leoni, autor do excelente A Liberdade e a Lei. É crítico em seus estudos sobre os votos brancos e nulos, e das abstenções.[1]

Em um artigo crítico publicado no Students for liberty apontou como os dez records mais lamentáveis do país sendo: o país mais fechado do mundo, o sistema fiscal mais complexo do mundo, o judiciário mais caro do Ocidente, os tribunais que mais descriminam empresas estrangeiras, os alunos mais indisciplinados do mundo, um do países mais violentos, maior número de mortes nas ruas da América do Sul, maior quantidade de férias e feriados pagos, último lugar em retorno dos impostos aos cidadãos e maior número de pedidos de remoção de conteúdos do Google.[3]

Em dezembro de 2012, participou de um seminário Liberdade: Uma idéia, uma luta, uma solução.[2]

Em maio de 2015 assinou um manifesto onde critica a imposição de dificuldades ao Uber. De acordo com o manifesto, o governo precisa ajudar os táxis tradicionais a se tornarem mais competitivos, e criar condições para que novos empreendedores desenvolvam soluções ainda mais revolucionárias no futuro.[4] Em outubro do mesmo ano, voltou a criticar medidas que impões dificuldades ao Uber e afirmou que "Parece ser um projeto de lei criado para que o Uber não aceite e deixe o mercado. Uma vez que a empresa tem que seguir uma tarifa fixa, você tira o caráter de concorrência que possibilita preços mais atraentes. O aplicativo perde sua essência, e o prejudicado é o usuário final".[5]

Em julho de 2015, escreveu uma coluna sobre economia para o jornal Estado de S. Paulo. [6]

Em 2016, deu entrevista ao Congresso Brasil Paralelo, uma organização busca fazer uma introdução ao pensamento de direita e liberal no Brasil, procurando analisar os problemas que impedem o país de crescer e como se chegou à situação político-econômico atual.[7]

Em março de 2017, participou como palestrante da 2ª edição do Fórum de Liberdade e Democracia em Florianópolis,[8] e em abril da 30ª edição do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre.[9]

Publicações[editar]

Artigos[editar]

  • O Debate Austríaco sobre Empreendedorismo, 18 de novembro de 2015.
  • Uber revoluciona o senso comum, 11 de janeiro de 2016.[10]
  • Por que os brasileiros estão exigindo "Menos Marx, Mais Mises", 24 de janeiro de 2017.[11]

Livros[editar]

  • A Ciência da Política, Atlas, 2017.
  • O Empreendedorismo de Israel Kirzner, Editora Instituto Mises Brasil, 2014.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 «23º Podcast Mises Brasil - Adriano Gianturco». Mises. Consultado em 11 de abril de 2017 
  2. 2,0 2,1 «Seminário pela Liberdade». Diretas Já. Consultado em 11 de abril de 2017 
  3. Adriano Gianturco (16 de novembro de 2015). «10 recordes lamentáveis do Brasil». Students for Liberty. Consultado em 11 de abril de 2017 
  4. «Táxi perde com Uber, mas proibir inovação não é resposta». Uol. 5 de maio de 2015. Consultado em 11 de abril de 2017 
  5. «Projeto que integra táxi e Uber pode fazer aplicativo sair de BH». O Tempo. 2 de outubro de 2015. Consultado em 12 de abril de 2017 
  6. «Os rinocerontes e o capitalismo». Estadão. Consultado em 12 de Abril de 2017 
  7. «Brasil Paralelo». Brasil Paralelo. Consultado em 11 de abril de 2017 
  8. «2ª edição do Fórum de Liberdade e Democracia acontece neste sábado em Florianópolis». ADJORISC. 15 de março de 2017. Consultado em 11 de abril de 2017 
  9. «Lançada programação do 30º Fórum da Liberdade em Porto Alegre». G1. Globo.com. 14 de março de 2017. Consultado em 12 de abril de 2017 
  10. Adriano Gianturco e Luciana Lopes. «Uber Revolutionizes Common Sense» (em English). Fundação para a Educação Econômica. Consultado em 11 de abril de 2017 
  11. Adriano Gianturco e Luciana Lopes (24 de janeiro de 2017). «Why Brazilians Are Demanding "Menos Marx, Mais Mises"» (em English). Medium. Consultado em 11 de abril de 2017 

Ligações externas[editar]

Este artigo "Adriano Gianturco" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical.