Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Ailton Ferreira

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Ailton Ferreira na Ordem dos Advogados da Bahia, em 2010

Ailton dos Santos Ferreira (São Paulo, 8 de agosto de 1958), mais conhecido como Ailton Ferreira, é um sociólogo brasileiro,[1] militante do Movimento Negro de Salvador.


Formado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), é filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT) e ativista no combate à intolerância religiosa e ao racismo e na defesa do diálogo inter-religioso. Atuou como secretário municipal da Reparação de Salvador[2], presidente do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra - CDCN[3], foi superintendente de Direitos Humanos da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia[4] e coordenador do Instituto Reparação. É casado, tem três filhos e uma neta.

A sua militância e coerência o faz merecedor do respeito das lideranças dos movimentos sociais, dos intelectuais, de religiosos de todas as matrizes e do movimento negro. Sua postura nos cargos públicos revela o compromisso do jovem que já experimentou vender suco de frutas em caixa de isopor, carimbos e apólices de seguros. Conhecedor da vida do povo, das feiras, dos becos e das vielas da cidade.

É consultor, instrutor e palestrante nas áreas de gestão de pessoas, formação de liderança, associativismo e cooperativismo e qualidade em atendimento público.

Histórico[editar]

Ailton Ferreira [5]chegou no bairro da liberdade com 01 ano de idade com seus pais Albertino Francisco Ferreira e sua mãe Zulmira dos Santos Ferreira. Viveu a primeira infância e adolescência no bairro, onde estudou na Escola Municipal Pirajá da Silva e fez o ginásio e o 2º grau no Colégio Estadual Duque de Caxias. Na Liberdade aprendeu o jeito de ser baiano e brasileiro com a expressão cultural do Recôncavo.

Aos 16 anos muda com a família para o bairro da Fazenda Grande do Retiro[6] onde trabalhou no pequeno bar da família. Os contatos com a comunidade os levaram a participar da Associação de Moradores da Fazenda Grande, entidade na qual atuou por 25 anos.

Militância[editar]


Dirigiu a Associação de Moradores da Fazenda Grande do Retiro onde participou e liderou as lutas dos moradores pela construção de escolas, posto de saúde, creche, linhas de transporte coletivo, pavimentação de ruas, espaços de lazer e outros serviços básicos. O trabalho na Associação o credenciou a participar da construção da Federação das Associações de Moradores de Salvador - FABS, na qual foi diretor de Transporte e de cultura e coordenador executivo, tendo contribuído com a organização de conferências estaduais e nacionais que resultaram na criação na Confederação Nacional das Associações de Moradores - CONAM.

Em 1987 iniciou a militância no Movimento Negro do Partido Democrático Trabalhista - PDT, passando a estudar os textos de Abdias Nascimento e a receber as influências de Manuel Almeida Cruz e José Lino Alves de Almeida, militantes do Movimento Negro. Em 1988 integra o Conjunto de Candidaturas Negras à Câmara Municipal de Salvador. Ainda nesta época participa da coordenação da Juventude Socialista do PDT defendendo a candidatura de Leonel Brizola à presidência da República em um projeto socialista para o Brasil.

No início da década de 90 passa a frequentar a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, sendo aceito como membro da Irmandade em 1994. Na Irmandade dos Pretos assumiu o cargo de Sétimo Definidor e Vice-Prior. Atualmente é Membro da Comissão de Sindicância.

Em 1994 foi designado pela então prefeita Lídice da Mata à acompanhar a Egbomi Sandra Bispo de Iemanjá - então vice-priora da Irmandade dos Pretos, em uma visita de inspeção a Casa de Oxumarê - tradicional templo do culto afro brasileiro, localizado no bairro da Federação. Na primeira visita realizada foram constatadas várias danificações nos telhados, nas encostas e nas instalações hidráulicas. A ação enérgica do sociólogo Ailton Ferreira foi determinante para que a prefeitura concluísse em tempo recorde as obras que vinham se arrastando no terreiro há vários meses. A partir de então inicia-se o seu vínculo com a organização religiosa. Anos depois foi confirmado para o cargo de Ogan de Oxaguian, ocupando também o Conselho da Sociedade Civil São Salvador.

Na presidência do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra - CDCN, em parceria com o Ministério Público, OAB, e diversas instituições religiosas realizou um grande trabalho pela cultura da paz e o diálogo interreligioso. Abriu o CDCN para todas as correntes do movimento negro, independente de filiação partidária e religiosa, além de promover várias atividades culturais e cursos de formação de líderes e estudo da história da África para jovens negros.

No combate à Intolerância Religiosa, Ailton Ferreira teve um importante papel entre o anos de 2002 - 2012. Contribuiu com a retomada ao combate do racismo [7]religioso organizando reuniões e fóruns de debates no Centro de Estudos Afro-Orientais - CEAO, na antiga sede do Pelourinho, localizada no Cruzeiro de São Francisco, onde ao lado do professor Ubiratan Castro de Araújo, então presidente do CEAO, redigiu o documento denunciando o racismo religioso na Bahia. Documento este que foi entregue ao então presidente da República Luiz Inácio da Silva. Esse movimento passou a ter como sede o SITOC dirigido por Ivan Carvalho e depois no CDCN, Conselho presidido por Ailton Ferreira. A luta contra a intolerância religiosa ganhou novas parcerias, a exemplo, do Ministério Público na pessoa do Procurador Geral, Lidivaldo Britto, atualmente Desembargador do Tribunal de Justiça e novos contornos como: o diálogo interreligioso com a participação de padres católicos, anglicanos e pastores evangélicos protestantes.

Enquanto secretário de Reparação de Salvador, Ailton Ferreira protagonizou dois grandes encontros interreligiosos: um na sede da OAB e outro na Faculdade Olga Metting, quando reuniu mais de 100 lideranças religiosas de diversas denominações cristãs, candomblecistas, umbandistas, Hare Krishna, espíritas, Seicho-No-Ie e baha'is.

Em 2012 influenciado por alguns amigos que os estimularam a criar uma Organização Não Governamental que pudesse acolher e reverberar às experiências acumuladas. Anos depois criou o Instituto Reparação que tem como objetivo principal a valorização das pessoas, o combate ao racismo e o enfrentamento às desigualdades e discriminações. Para o Instituto Reparação convidou um conjunto de militantes, artistas, intelectuais e religiosos para fazerem parte do quadro de sócio-fundadores e conselheiros.

Tirinha da História[editar]

Ailton Ferreira é idealizador e autor da Tirinha da História[8]. A Tirinha surgiu em 2016 com o objetivo de disseminar fatos históricos importantes para os direitos humanos, promoção da igualdade racial e de gênero estimulando o debate sobre variados temas. Com publicação diária pelas Redes Sociais, a Tirinha atinge um público de aproximadamente sete mil pessoas.  Com a boa aceitação, a Tirinha vem sendo veiculada, no programa Conectados de Ildásio Júnior, na Rádio Excelsior da Bahia. Em 2020, a Tirinha da História passou a ser gravada com os fatos mais importantes do dia com o autor fazendo link’s com a atualidade e colocando a sua opinião sobre os fatos.

Escolaridade[editar]

  • Pós - Graduação em Gestão de Direitos Humanos - Universidade do Estado da Bahia – UNEB;
  • Especialização em Gestão de entidades do terceiro setor com ênfase para o Movimento Negro - Fundação Visconde de Cairu e Fundação Palmares;
  • Pós-graduação em Políticas Públicas - Universidade do Estado da Bahia/ UNEB;
  • Ciências Sociais - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas / UFBA;
  • Técnico de Administração de Empresas (2º Grau);
  • Comunicação, Cultura, Cidadania e Mobilização Social - Convênio Universidade Nacional de Brasília/ UFBA/UNEB/ CECUP;
  • Formação para políticos negros e pela cidadania - UFBA\Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais – Programa A Cor da Bahia;
  • Formação de Instrutores em Educação Ambiental - Empresa de Limpeza Urbana de Salvador – LIMPURB;
  • Consultoria em Microempresas - Escola de Administração Fazendária – EAF;
  • Gerência para Pequena e Média Empresa - SEBRAE / SUDENE;
  • Formação de Instrutores para Treinamento Gerencial Básico - SEBRAE / SUDENE;
  • Formação de Líderes Empreendedores - Tecnologia SEBRAE
  • Direito Público Municipal - Instituto Brasileiro de Administração Municipal – IBAM

Profissional[editar]

  • Assessor Especial do Gabinete da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Racial do Estado da Bahia (Sepromi);
  • Superintendente de Apoio e Defesa aos Direitos Humanos da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Estado da Bahia (2013 - 2015);
  • Secretário Municipal da Reparação da Cidade de Salvador (2009 – 2013);
  • Subsecretário para Assunto de Descentralização Regional (2005 – 2008);
  • Assessor Técnico da Comissão Especial de Trabalho, Emprego e Renda da Câmara Municipal de Salvador (2001 – 2004);
  • Assessor Parlamentar, com atividades de planejamento de comunicação e divulgação das ações de gabinete parlamentar, articulação comunitária e mobilização social com ênfase para as comissões de Proteção ao Meio Ambiente e de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Poder Legislativo Estadual da Assembleia Legislativa da Bahia (1997 – 1999);
  • Administrador Regional – representante do Poder Executivo municipal para a região Administrativa XIII, composta de dezesseis bairros e aproximadamente dez conjuntos habitacionais de Pau da Lima e entorno da Av. Paralela, Salvador (1996 -1997);
  • Assistente Técnico em Educação Ambiental – Elaboração de Projetos da Empresa de Limpeza Urbana Ambiental de Salvador (Limpurb);
  • Assistente Técnico do CEAG, atual Sebrae (1983 - 1986);
  • Atuou em empresas do Polo Petroquímico de Camaçari e Coelba - Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (1977-1982).

Prêmios e homenagens[editar]

Medalha Zumbi dos Palmares concedida pela Câmara Municipal de Salvador, em 2010


  • Medalha Zumbi dos Palmares[9] concedida pela Câmara Municipal de Salvador em 2010;
  • Troféu Zumbi dos Palmares concedido pela Sociedade Protetora dos Desvalidos em 2010;
  • Troféu Zumbi dos Palmares concedido pelo Centro Afro de Promoção e Defesa da Vida Padre EzequieL Ramin -Capdever;
  • Troféu Cidade do Salvador concedido pela Associação Comercial da Bahia;
  • No ano de 2010 recebeu Moção de Aplausos na Câmara Municipal de Piracicaba, em São Paulo sendo reconhecido pelo papel de Embaixador da Reparação ao disseminar no País a importância das políticas afirmativas;
  • Homenageado com um quadro com sua foto na parede da Escola Municipal Maria Quitéria pela sua história e pelos trabalhos de políticas afirmativas realizados em Salvador;
  • Placa de Honra ao Mérito concedida pela Escola Municipal Pirajá da Silva;
  • Placa de Honra ao Mérito concedida pelo Colégio Estadual Duque de Caxias;
  • Placa de Honra ao Mérito pelos serviços prestados a comunidade da Fazenda Grande do Retiro concedida pela Associação Beneficente Educativa e Recreativa Unidos da Fazenda Grande;
  • Homenagem da Fundação Cultural Palmares;
  • Placa de Honra ao Mérito concedida pela Associação Nacional de Baianas de Acarajé - ABAM;
  • Placa de Honra ao Mérito concedida pela Associação Aspiral do Reggae;
  • Placa de Honra ao Mérito pelo Bloco Alvorada;
  • Homenagem de reconhecimento pelos serviços prestados concedida pelo Conselho Municipal da Comunidade Negra;
  • Homenagem de reconhecimento pelos serviços prestados concedida pelo Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra do Estado da Bahia - CDCN

Citações em livros[editar]

  • A Proteção legal dos Terreiros de Candomblé[10] de Lidivaldo Reaiche Raimundo Britto.
  • Oportunidades Invisíveis[11] de Paulo Rogério Nunes.
1º Fórum Empresarial Sobre Turismo promovido pelo Governo Provincial de Luanda e pela UCCLA.

Eventos Internacionais[editar]

Colômbia – Seminário Internacional de Combate ao Racismo e Políticas de Promoção de igualdade Racial – A experiência brasileira

Itália – Reuniões do Grupo de Trabalho de combate ao Tráfico e Exploração de Pessoas nas cidades de Gênova e Turim.

Angola – Participou do 1º Fórum Empresarial Sobre Turismo promovido pelo Governo Provincial de Luanda e pela UCCLA - União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa.



Atividade de educação e instrutoria[editar]

  • Coordenação pedagógica de cursinhos pré-vestibulares (Sagrado Coração e Pré - Universitário);
  • Professor no curso de pré-vestibular Atualize;
  • Educador no Programa ProJovem - Formação de jovens em comunidades vulnerabilizadas de Salvador;
  • Educador no projeto Agente Jovem - voltado para jovens de comunidades vulnerabilizadas de Salvador;
  • Educador no Programa de Formação Desenvolvido para Músicos de Blocos Afros (UNEB);
  • Instrutor no curso de Formação de Líderes para o projeto POMPAS/Instituto Steve Biko;
  • Instrutor no curso Formação de Liderança para Pequenas e Médias Empresas, Sindicato Rurais, Cooperativas e Associações de Classe com o uso da tecnologia Sebrae.[12]

Atividades realizadas enquanto Secretário da Reparação[editar]

Ailton Ferreira, então secretário da Reparação na certificação do Selo da Diversidade.
  • Em 2010 implantou em Salvador o Observatório da Violência contra LGBT incorporando ao Observatório Racial e da Mulher;[13]
  • Homenagem às mulheres negras servidoras públicas municipais, estimulando a ascensão de mulheres em cargos importantes da gestão municipal;[14]
  • Reconhecimento das mulheres negras em funções das forças armadas, engenharia naval e aérea;
  • Troféu Edialeda Salgado - reconhecimento e levantamento das mulheres negras com doutorado nas universidades da Bahia[15];
  • Estabelecimento de parcerias públicas e privadas para a inclusão de jovens negros no mercado de trabalho[16];
  • Inclusão de pessoas trans no quadro de colaboradores da secretaria da Reparação;
  • Criação do Calendário de atividades alusivas ao Novembro Negro, contemplando a diversidade religiosa, com missas católicas, atividades em Terreiros de Candomblé, homenagem a Zumbi dos Palmares, no Centro Histórico de Salvador com hasteamento de bandeira e colocação de flores no monumento e homenagem aos ancestrais na Praça da Mãe Runhó;[17]
  • Ampliação do programa Selo da Diversidade[18], voltado para inclusão de pessoas negras no mercado de trabalho;
  • Implantação do projeto Trilhas da Liberdade – religiosidade, cultura, educação e memória, através do reconhecimento de dezesseis instituições negras[19];
  • Fortalecimento e ampliação do Programa de Combate ao Racismo Institucional (PCRI) na prefeitura de Salvador;
  • Realização de oficinas de capacitação com 500 professores da Rede Municipal de Ensino, tendo em vista a efetivação da Lei 10.639/1.645;
  • Instalação do monumento em celebração a Década Internacional dos Afrodescendentes (2013-2022)[3][20] que homenageia negros e afrodescendentes das diásporas, além de marcar o período - estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) - em que vários países do mundo se comprometem a adotar políticas públicas que contribuam para a igualdade racial;
  • Implantação do projeto “Esta Pode ser a Sua História” - fotografias e biografias de personalidades negras baianas em exposição nos principais shoppings de Salvador, seguida de visitação e aulas expositivas para estudantes das escolas municipais;
  • Projeto Gastronômico de Países Africanos de Língua Portuguesa - divulgar a importante influência da culinária africana na cultura brasileira e estimular seu consumo no mercado soteropolitano. divulgação da herança africana gastronômica acolhida pelos brasileiros revelando a diversidade existente, além das já conhecidas, no universo gastronômico;
  • Propôs a criação do Circuito Riachão[21];
  • Contribuiu para o Conselho da Comunidade Negra nas cidades de Rondônia, Goiânia e Ouro Preto;
  • Participou em São Paulo do debate com os bancos para a inserção de negros no mercado de trabalho;
  • Participou do Fórum Nacional de Gestoras e Gestores Estaduais e Municipais de Políticas Públicas para a População de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (FONGES), na Gerência de Capacitação Técnica (GTC) da Sedest, no Distrito Federal[22];
  • No Maranhão apresentou as experiências em Políticas de Promoção da Igualdade Racial a convite do Conselho Municipal Afrodescendente (COMAFRO), na oportunidade aconselhou o então prefeito de São Luís, João Castelo para auxiliá-lo na criação da Secretaria Municipal da Reparação da cidade.

Atividades realizadas enquanto Subsecretário para Assuntos De Descentralização Regional[editar]

  • Articulação comunitária nos bairros de Salvador e nas Ilhas para implantação dos conselhos regionais e sedes das mini prefeituras com implantação de inclusão bancária através dos bancos populares;
  • Acompanhamento das obras de qualificação urbana nos bairros de Salvador.

Atividades como Superintendente de Direitos Humanos[23][editar]

  • Fortalecimento e ampliação dos Núcleos de Justiça Comunitária em Salvador e região metropolitana;
  • Participação no Conselho de Desenvolvimento da Pessoa Idosa;
  • Gerência dos Programas de Pessoas às Vítimas de Violência e de Proteção dos defensores de Direitos Humanos;
  • Gerenciamento do Programa de Combate ao Tráfico de Pessoas;
  • Gerência do Programa de Defesa de Jovens Ameaçados de Morte;
  • Liderança das atividades de Promoção dos Direitos Humanos;
  • Gerenciamento das Políticas de Defesa dos  Direitos  da Comunidade LGBTQI+;
  • Supervisão da execução de Políticas de Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas;

Atividades de assessoria na Secretaria de Promoção e Igualdade Racial do Estado da Bahia - Sepromi[editar]


  • Acompanhamento e definição das agendas e pautas do gabinete;
  • Representação política e institucional da Sepromi;
  • Participação nos Conselhos Estaduais.

Conferências e Seminários[editar]

  • Palestra - Formação de Liderança Empreendedora;
  • Palestra - Políticas Afirmativas e de Promoção da Igualdade Racial;
  • Palestra - Combatendo a Intolerância Religiosa;
  • Palestra - Liderança em tempo de crise;
  • II Seminário Internacional sobre Recuperação de Áreas Urbanas Degradadas - Ministério do Bem Estar Social, PNDU, FPH;
  • Seminário Administração Regional  - Poder Local - Prefeitura de Salvador;
  • Seminário Intercâmbio Cultural - Prefeitura de Salvador/ Universidade Federal da Bahia;
  • Conferência Nacional de Direitos Humanos - CDH – AL/ Fórum dos Direitos Humanos – Ba;
  • Seminário sobre Transportes Públicos – Direito do Cidadão e Dever do Estado -Administração Regional de Brotas / SMTU
  • Seminário sobre Reciclagem de Resíduos Sólidos Urbanos - LIMPURB/ Companheiros das Américas
  • Seminário Programa de Geração de Ocupação e Renda para Comunidades Carentes do Nordeste - SEBRAE;
  • Seminário Orçamento Participativo - Prefeitura de Salvador – UFBA;
  • Seminário Planejamento Estratégico da Cidade do Salvador - Prefeitura de Salvador – Centro de Planejamento;
  • Seminário Planejamento Estratégico da Região Administrativa de Pau da Lima – AR – XII  - Prefeitura de Salvador – AR/ Conselho Regional;
  • Encontro Estadual de Associações de Moradores - Federação das Associações de Bairros de Salvador – FABS;
  • Encontro Municipal de Associações de Salvador  - FABS / CONAM;
  • Congresso de Associações de Moradores - FABS/ FEBAM/ CONAM

Referências[editar]


  1. «Sociólogo fala sobre a consciência negra». R7. 18 de novembro de 2016. Consultado em 7 de julho de 2020 
  2. «Prefeito confirma Ailton Ferreira na Semur». Política Livre. 19 de maio de 2009. Consultado em 3 de julho de 2020 
  3. 3,0 3,1 «CDCN - Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra do Estado». Sepromi. Consultado em 7 de julho de 2020 
  4. «Ailton Ferreira assume Superintendência de Direitos Humanos da Secretaria de Justiça». Bahia Notícias. 8 de março de 2013. Consultado em 1 de julho de 2020 
  5. «Conheça Ailton Ferreira, mediador convidado para o debate SOMOS». Correio 24 Horas. 19 de novembro de 2013. Consultado em 3 de julho de 2020 
  6. Santos, Ana Paula. «Festa do Lixo na Fazenda Grande do Retiro, Salvador-BA: um patrimônio cultural imaterial e seu caráter político-pedagógico» (PDF). Educapes. p. 8,9,18,42,43. Consultado em 7 de julho de 2020 
  7. «ntrevista com o Sociólogo Ailton Ferreira, que fala sobre racismo». 11 de setembro de 2014. Consultado em 7 de julho de 2020 
  8. Santos, Ana Paula. «Festa do Lixo na Fazenda Grande do Retiro, Salvador-BA: um patrimônio cultural imaterial e seu caráter político-pedagógico» (PDF). EDUCAPES. p. 99. Consultado em 7 de julho de 2020 
  9. Feijó, Ivana (18 de agosto de 2010). «Ailton Ferreira recebe Medalha Zumbi dos Palmares na Câmara Municipal de Salvador». Correio Nago. Consultado em 1 de julho de 2020 
  10. Britto, Lidivaldo (2016). A Proteção legal dos Terreiros de Candomblé. Salvador - Ba: Kawo - Kabiyesile. p. 16 
  11. Nunes, Paulo Rogério (2019). Oportunidades Invisíveis. São Paulo: Matrix. p. 138 
  12. «Primeira edição do Sextas Culturais». Defensoria Bahia. 28 de agosto de 2007. Consultado em 3 de julho de 2020 
  13. «Lançado relatório sobre violência contra mulheres e LGBT e discriminação racial». PNUD. 10 de fevereiro de 2010. Consultado em 1 de julho de 2020 
  14. «Semur comemora o Dia Municipal da Mulher Negra». Consultado em 3 de julho de 2020 
  15. «Troféu Edialeda Salgado valoriza mulher afrodescendente». Geledes. 2 de julho de 2012. Consultado em 3 de julho de 2020 
  16. «Encontro reúne empreendedores negros baianos para discutir políticas para o setor». 25 de outubro de 2012. Consultado em 3 de julho de 2020 
  17. «Mês da consciência negra». Bocão News. 4 de novembro de 2010. Consultado em 3 de julho de 2020 
  18. «Selo da Diversidade Étnico-Racial». 22 de junho de 2012. Consultado em 3 de julho de 2020 
  19. Franco, Tasso (2 de novembro de 2012). «SEMUR presta homenagem aos 39 anos de fundação do Ilê Aiyê». Bahia Já. Consultado em 1 de julho de 2020 
  20. «Monumento». 28 de dezembro de 2012. Consultado em 3 de julho de 2020 
  21. «Secretário Municipal da Reparação, Ailton Ferreira, propõe que seja criado Circuito Riachão». Bahia Notícias. 20 de fevereiro de 2012. Consultado em 1 de julho de 2020 
  22. «Sedest sedia FONGES». SEDES. 14 de novembro de 2012. Consultado em 1 de julho de 2020 
  23. «Noite histórica inicia mais uma luta pela promoção da igualdade racial no mundo do trabalho». 2 de dezembro de 2014. Consultado em 3 de julho de 2020 


Este artigo "Ailton Ferreira" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Ailton Ferreira.