You can edit almost every page by Creating an account. Otherwise, see the FAQ.

Carlos Costa (autor e artista)

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Carlos Costa é um autor e artista português - dedicado ao teatro, performance e literatura - que também exerce atividade como docente universitário, investigador e ativista político.

Biografia[editar]

Nascimento e formação[editar]

Nasceu no Porto, em 1969.[1] Entre 1987 e 1993, frequentou a Universidade de Coimbra, onde se licenciou em Direito e pós-graduou em Estudos Europeus (vertente de Economia); posteriormente frequentou também a Licenciatura em História, na Universidade Aberta. Foi em Coimbra que se começou a dedicar às artes, primeiro ao cinema, no CEC -  Centro de Estudos Cinematográficos, da Associação Académica de Coimbra (1990 - 1992), depois ao Teatro, no CITAC - Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra (1992 - 1994), onde faz formação com Paulo Lisboa, João Grosso, Andrejev Kowalski, Dato de Weerd, entre outros. Posteriormente, teve também algumas participações pontuais em projetos audiovisuais como ator, dobrador de animação e manipulador de marionetas.

Carreira teatral[editar]

Fundou o Visões Úteis em 1994[2] (com Ana Vitorino, Catarina Martins, Nuno Cardoso, Pedro Carreira, entre outros), continuando a frequentar diversas ações de formação, nomeadamente com Anatoli Vassiliev, Abraxa Teatro e Marcia Haufrecht, e  exercendo atividade, primeiro como ator, depois como encenador e finalmente como dramaturgista e dramaturgo, destacando-se a coautoria de inúmeros processos de criação original para teatro, Performance na Paisagem e em Comunidade e outros formatos (muitos deles alvo de leituras vídeo) e passagens pela Bélgica, Espanha, França, Itália, Grécia, Reino Unido e Suécia.

Entre 2005 e 2013 foi professor de Dramaturgia na Academia Contemporânea do Espetáculo, no Porto, e assumiu a Direção da participação portuguesa em diversas parcerias europeias de aprendizagem[3] e criação. Em 2009, foi responsável, no Visões Úteis, pela introdução do Serviço Educativo, do Programa de Associação de Artistas e da compensação pela pegada carbono da produção artística.

No mesmo período, regressa à academia, primeiro na Faculdade de Letras da Universidade do Porto (2006 - 2009), onde obteve o grau de Mestre, em Texto Dramático, com uma dissertação acerca da Escrita de Cena.[4] Depois na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (2010 - 2014) onde atingiu o grau de Doutor, em Estudos Teatrais e Performativos, com uma tese dedicada à estética e política da participação.[5] Em 2016 passou a ser  Professor Auxiliar Convidado da Universidade de Coimbra.

Em 2018, abriu, no Visões Úteis, uma mais ampla linha de curadoria e programação,[6] reforçando a integração dos processos criativos contemporâneos nas comunidades envolventes, bem como o papel da arte como fator de inclusão, participação política, qualidade de vida e, mais recentemente, desenvolvimento do território; e ainda colocando a sustentabilidade ecológica da atividade, não só na agenda do Visões Úteis mas também do setor das artes performativas. Neste processo, deslocalizou a companhia para Campanhã, ao mesmo tempo que aquela assumia a direção do Polo do programa “Cultura em Expansão'', na freguesia mais oriental da cidade do Porto.

Ao longo da sua carreira, esteve sempre envolvido na discussão de políticas culturais[7] (a nível local, nacional e europeu), em particular para as artes performativas e para a propriedade intelectual, enquanto associado e cooperador de diversas organizações do setor, como a Plateia - Associação de Profissionais das Artes Cénicas, o IETM - International Network for the Contemporary Performing Arts e a GDA - Gestão dos Direitos dos Artistas.

A sua obra para teatro tem sido sucessivamente publicada pelas editoras de referência em Portugal, como as Quasi Edições, Imprensa da Universidade de Coimbra e Companhia das Ilhas.

Nos primeiros anos de atividade profissional (1994-2000), e com o Visões Úteis,[8] dedicou-se sobretudo ao trabalho de ator, com os encenadores Paulo Lisboa, Nuno Cardoso, Carlos Curto, João Paulo Seara Cardoso, José Wallenstein, Diogo Dória e António Feio, levando a cena um vasto leque de autores como Jean Genet, José Gomes Ferreira, Eugène Ionesco, Samuel Beckett, Boris Vian, Gregory Motton, Martin McDonagh e Al Berto; a que se seguem experiências de teor mais colaborativo, a partir de Franz Kafka, Tonino Guerra, Anton Tchekov, Luigi Pirandello, Bohumil Hrabal, Henrik Ibsen, Juan José Millás e Gemma Rodriguéz.

Entretanto, e sobretudo a partir do ano 2000, assume a autoria de espetáculos completamente originais, alicerçados numa metodologia de escrita de cena que se irá sedimentar ao longo das duas décadas seguintes. Neste processo, eminentemente colaborativo, contou sempre com a cumplicidade de Ana Vitorino[9] e também, durante a primeira década do século XXI, de Catarina Martins e Pedro Carreira.[10] Durante estes 20 anos contou também com a colaboração próxima de artistas como João Martins, José Carlos Gomes e Inês de Carvalho. A partir da terceira década do século iniciou uma colaboração mais próxima com o dramaturgo Jorge Palinhos e começou a escrever também a solo.[11]

Contudo, a criação para teatro esteve sempre acompanhada de uma constante atividade em áreas transdisciplinares, gerando uma particular acumulação de produtos híbridos, dirigidos por si ou em colaboração com os coautores indicados: Audio-Walks,[12] Teatro in Itinere,[13]  Peças para Smartphone,[14]  Peças para Chamada de Voz,[15] Campeonatos de Jogos de Tabuleiro,[16] Peças para Realidade Mista,[17] etc.

Carreira literária[editar]

Cratera (Teodolito, 2018) foi o seu primeiro romance,[18] transportando para a literatura algumas das tensões sociais que já explorara no âmbito do teatro e da performance na paisagem. A ação decorre em poucos dias, em torno de uma família do Porto e do seu cão. Um dia o cão desaparece. Tentam encontrá-lo, mas sem resultados. O pai não tem tempo para tratar do problema. A mãe também não. Na sexta-feira antes do carnaval, alguém telefona. O filho sai atrás do cão. A mãe atrás do filho. O pai atrás dos dois. A filha já tinha saído. E perdem-se todos numa cidade que não conhecem, sem se conhecerem. cratera explora simultaneamente as tensões do indivíduo, da família e da cidade, jogando com a geografia e a paisagem de um território concreto em que as personagens são lentamente consumidas.[carece de fontes?]

Em 2021, também com a Teodolito, publica o segundo título,[19] desenvolvendo, numa mesma linha de thriller social, uma relação íntima com a cidade do Porto. Skyline, situa-se num futuro próximo e apresenta a distopia de uma cidade perdida - por entre instituições políticas, empresariais e desportivas -  no desenvolvimento da obra pública com que se pretende projetar à escala mundial. Emocionante e reflexivo, Skyline é o relato das relações perigosas entre a intimidade dos afetos e a política do espaço público. E a certeza que, a qualquer momento, podemos sempre mudar de vida.

Docência e investigação[editar]

É Professor Auxiliar Convidado da Universidade de Coimbra,[20] onde é responsável pelas disciplinas de História do Teatro e do Espetáculo II e Dramaturgia e Escrita Teatral, respetivamente na Licenciatura e Mestrado em Estudos Artísticos.[carece de fontes?] Em 2022, começou a colaborar com a A3ES – agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior, enquanto membro de Comissões de Avaliação Externas dos ciclos de estudo na área do teatro.

É também Investigador Integrado do CEIS20 - Centro de Estudos Interdisciplinares,[21] da Universidade de Coimbra, assumindo a coordenação da linha dedicada à Produção Artística e Cultural, e tendo como áreas de interesse: Profissionalização, identidade, inscrição, memória e arquivo. De destacar a atenção que dedicou à economia das artes performativas[22] bem como ao fim das carreiras na mesma área.[23]

Participação política[editar]

É presidente da Mesa da Assembleia-Geral da PLATEIA – Associação de Profissionais das Artes Cénicas, de que é associado desde 2004. Aqui, integrou a Direção da Associação em diversos mandatos, tendo acompanhado uma pluralidade de dossiers vitais para a política cultural,[24] em particular para as artes performativas, nomeadamente no que respeita ao Apoio às Artes, à sua inscrição plurianual no Orçamento de Estado e ao Estatuto do Trabalhador da Cultura. Em 2018, integrou o grupo de trabalho, criado pelo Ministro da Cultura, para a revisão do Modelo de Apoio às Artes.[25]

Entre 2009 e 2018, foi também um participante muito ativo no IETM - International Network for the Contemporary Performing Arts. Aqui integrou o Advisory Board[26] (2013-2016) bem como diversos grupos de trabalho, em particular de advocacia para a integração da cultura e das artes na estratégia de desenvolvimento da União Europeia; e em 2018, diligenciou no sentido da realização de uma reunião plenária da organização, no Porto, cidade a partir da qual sempre trabalhou.

Entre 2013 e 2017, integrou a Direção da GDA - Gestão dos Direitos dos Artistas,[27] dedicando-se à propriedade intelectual, e em particular aos Direitos Conexos ao Direito de Autor; neste mandato acompanhou de perto tanto a cobrança como a distribuição de direitos, bem como a revisão da lei relativa à Cópia Privada. Também na mesma altura, integrou o Conselho de Curadores da Fundação GDA, contribuindo para a definição das suas estratégias e integrando diversos júris de concursos de apoio às artes. A partir de 2017, assumiu a Vice-Presidência da Mesa da Assembleia-Geral da Cooperativa, acompanhando diversos dossiers, como o apoio de emergência aos artistas (durante os confinamentos de 2020 e 2021) e a transposição da diretiva europeia para o Mercado Único Digital.

De um modo geral, esta tendência para a participação política esteve sempre presente, de modo direto, na sua atividade enquanto artista, nomeadamente pelo caráter pioneiro da  insistência na transição energética[28] da criação artística, pela disponibilização da maior parte do seu trabalho com licenças Creative Commons[29] e pela afetação dos recursos da produção artística a iniciativas de cariz social.[30]

Referências

  1. «Carlos Costa | Visões Úteis». visoesuteis.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  2. «História | Visões Úteis». visoesuteis.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  3. «pace-europa.org – PACE Project Performing Arts for Crisis in Europe / Learning platform supported by Grundtvig program» (em français). Consultado em 2 de agosto de 2022 
  4. «FLUP - Tese de Mestrado em Texto Dramático». sigarra.up.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  5. Costa, Carlos Manuel de Matos Moura da (21 de abril de 2014). «Vens Ver ou Vens Viver? Estética e Política da Participação». Consultado em 2 de agosto de 2022 
  6. CMP (4 de outubro de 2018). «Curso Politics of Survival: Spirit, Matter and Modes inclui sessões públicas». www.porto.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  7. Costa, Carlos. «Enquanto viajares sozinho fica tudo na mesma». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  8. «História | Visões Úteis». visoesuteis.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  9. Lusa. «Visões Úteis estreia no Teatro Carlos Alberto peça que "ri de temas sérios"». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  10. «A ditadura da maioria compacta [VISÕES]». Peças Soltas. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  11. Lusa. «Visões Úteis estreia em Coimbra "Versão Beta", uma peça "quase" carbono zero». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  12. Nadais, Inês. «Os Ossos de que É Feita a Pedra, uma peça de arte pública que o público nunca irá ver». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  13. «Apocalipse já aqui ao lado [VISÕES]». Peças Soltas. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  14. Moutinho, Ana Rita. «Scroll: esta peça tem palco mas está no nosso bolso». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  15. burocratik.com. «Um Artista da Fome. Peça Para Chamada de Voz». TAGV (em English). Consultado em 2 de agosto de 2022 
  16. Lusa. «Políticos e cidadãos encontram-se à volta de jogos de tabuleiro em novo projecto do Visões Úteis». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  17. «Entre a realidade física e virtual, estreia hoje "O Grande Museu da Consciência de Elon Musk"». Gerador. 16 de maio de 2022. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  18. Porto, Correio do. «Ao desafio com Carlos Costa». Consultado em 2 de agosto de 2022 
  19. «Carlos Costa lança uma ″Distopia sobre a cidade do Porto″». www.jn.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  20. Coimbra, Universidade de; Coimbra, Universidade de. «Faculdade de Letras». Faculdade de Letras. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  21. Coimbra, Universidade de; Coimbra, Universidade de. «Centro de Estudos Interdisciplinares». Centro de Estudos Interdisciplinares. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  22. Costa, Carlos (2014). «Aceita Que eu lhe Pague com um Aplauso? A Economia das Artes Performativas e o Rendimento dos Artistas». Consultado em 2 de agosto de 2022 
  23. Costa, Carlos (2022). «Não faz mal as pessoas esquecerem-se de mim? Apontamentos sobre o final de carreira no teatro» (PDF). Consultado em 2 de agosto de 2022 
  24. SAPO. «DGArtes: Artistas obtêm de Costa compromisso para correção de falhas nos concursos». SAPO 24. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  25. «″Boas intenções″ do Governo devem traduzir-se num reforço financeiro das artes - Plateia». www.dn.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  26. IETM. «List of candidates for IETM Board and Advisory Board» (PDF). Consultado em 2 de agosto de 2022 
  27. «GDA Já Tem Novos Órgãos Sociais Para Quadriénio 2014-2017». GDA. 19 de novembro de 2013. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  28. «Conferência de Lançamento do Programa Europa Criativa 2021/2027 | DGARTES». www.dgartes.gov.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  29. «Repositório | Visões Úteis». visoesuteis.pt. Consultado em 2 de agosto de 2022 
  30. Monteiro, Maria. «Visões Úteis cede recursos de produção para apoiar distribuição de alimentos em Campanhã». PÚBLICO. Consultado em 2 de agosto de 2022 

{{#ask: [[Topic::Portugal]] [[Topic::Biografias]] [[Topic::teatro]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=
Outros artigos dos temas Portugal E Biografias E teatro: }}{{#ask: [[Topic::Portugal]] [[Topic::Biografias]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=

Outros artigos dos temas Portugal E Biografias: }}{{#ask: [[Topic::Portugal]] [[Topic::teatro]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=

Outros artigos dos temas Portugal E teatro: }}{{#ask: [[Topic::Portugal]] [[Topic::literatura]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=

Outros artigos dos temas Portugal E literatura: }}{{#ask: [[Topic::Biografias]] [[Topic::teatro]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=

Outros artigos dos temas Biografias E teatro: }}{{#ask: [[Topic::Biografias]] [[Topic::literatura]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=

Outros artigos dos temas Biografias E literatura: }}{{#ask: [[Topic::teatro]] [[Topic::literatura]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7|intro=

Outros artigos dos temas teatro E literatura: }}{{#ask: [[Topic::Portugal]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7| intro=

Outros artigos do tema Portugal : }}{{#ask: [[Topic::Biografias]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7| intro=

Outros artigos do tema Biografias : }}{{#ask: [[Topic::teatro]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7| intro=

Outros artigos do tema teatro : }}{{#ask: [[Topic::literatura]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7| intro=

Outros artigos do tema literatura : }}{{#ask: [[Topic::{{{5}}}]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7| intro=

Outros artigos do tema {{{5}}} : }}{{#ask: [[Topic::{{{6}}}]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |searchlabel=|order=random|limit=7| intro=

Outros artigos do tema {{{6}}} : }}{{#ask: [[Topic::{{{7}}}]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |order=random |searchlabel=|limit=7| intro=
Outros artigos do tema {{{7}}} : }}{{#ask: [[Topic::{{{8}}}]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |order=random |searchlabel=|limit=7| intro=
Outros artigos do tema {{{8}}} : }}{{#ask: [[Topic::{{{9}}}]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |order=random|searchlabel=|limit=7| intro=
Outros artigos do tema {{{9}}} : }}{{#ask: [[Topic::{{{10}}}]] PageName::!Carlos_Costa_(autor_e_artista) |order=random |searchlabel=|limit=7| intro=
Outros artigos do tema {{{10}}} : }} {{#set:PageName=Carlos_Costa_(autor_e_artista) }}


Este artigo "Carlos Costa (autor e artista)" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Carlos Costa (autor e artista).



Read or create/edit this page in another language[editar]