Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Comandante Nádia

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Nuvola apps kcmpartitions.png
Este artigo não está em nenhuma categoria (desde julho de 2020).
Por favor, categorize-o para que seja listado com suas páginas similares.


Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Nádia Gerhard
Vereadora de Porto Alegre
Período 1 de janeiro de 2017
até a atualidade
Legislatura XVII legislatura
Dados pessoais
Nome completo Nádia Rodrigues Silveira Gerhard
Nascimento 26 de maio de 1968 (53 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Nacionalidade Brasileira
Progenitores Mãe: Cledia Rodrigues Silveira
Pai: Rubens Silveira
Partido PMDB (2015-2020)
Democratas (2020-presente)
Profissão Policial militar

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Nádia Rodrigues Silveira Gerhard (Porto Alegre, 26 de maio de 1968) é vereadora na Câmara Municipal de Porto Alegre pelo Democratas e tenente-coronel da reserva da Brigada Militar do Rio Grande do Sul.

Biografia[editar]

Natural de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Nádia é filha única de sargento da Brigada Militar e de professora estadual, é casada e mãe de três meninos.[carece de fontes?] Formada em letras, já foi professora, com especialização em psicologia escolar pela PUCRS.[carece de fontes?] Possui ainda pós-graduação em Gestão Pública, curso de Prevenção ao Uso Indevido de Drogas pela Universidade Federal de Santa Catarina e formação em Policiamento Comunitário pela Secretaria Nacional de Segurança Pública.

Em 2013, recebeu o prêmio Troféu Guri[1], homenagem concedida pelo Grupo RBS durante a Expointer. Atuou como vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher[2], do conselho deliberativo do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas de Morte. É autora do livro “Patrulha Maria da Penha, o impacto da ação da Polícia Militar no enfrentamento da violência doméstica”[3]. Em 2015, como diretora de justiça na Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos[4], foi responsável pela elaboração e publicação do Plano Decenal de Medidas Socioeducativas do Estado.[carece de fontes?]

Trajetória na Brigada Militar[editar]

Nádia Gerhard foi a primeira mulher a comandar um batalhão da Brigada Militar.[5], corporação na qual ingressouy em 1989 e atuou por vinte e sete anos antes de entrar na reserva.[6]

Em 2007, foi promovida a major, designada para comandar o 40º BPM sediado em Estrela, sendo a oficial responsável por onze municípios do Vale do Taquari.[carece de fontes?] Em 2012, desempenhou a função na em Porto Alegre, como tenente-coronel, ficando três anos no comando do 19º BPM[7].

Ainda em 2012, implementou e coordenou a Patrulha Maria da Penha no Rio Grande do Sul.[8] Sobre esse tema, palestrou em vários estados brasileiros e no exterior, em cidades como Quito, no Equador, e em Washington, nos Estados Unidos,[carece de fontes?] fomentando a reprodução do projeto em diversas polícias militares[9].

Carreira política[editar]

Em 2016, Nádia Gerhard, elegeu-se vereadora em Porto Alegre na 27ª legislatura da Câmara Municipal. Foi eleita procuradora Especial da Mulher na Câmara de Vereadores[carece de fontes?], entregando a procuradoria em junho de 2018, ano em que também foi presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana[10] (CEDECONDH), da Câmara de Vereadores. No mesmo ano, Nádia candidatou-se a deputada estadual pelo MDB, obtendo 30.044 votos, ficando com a terceira suplência da bancada do MDB na Assembleia Gaúcha.[carece de fontes?]

Em 7 de janeiro de 2019, assumiu como titular da Secretaria de Desenvolvimento Social e Esporte do Município de Porto Alegre[11]. Na pasta, Gerhard causou polêmica ao afirmar, em maio, que moradores de rua eram "impeditivo para outras pessoas desfrutarem o espaço público" em coletiva em que explicava o fechamento do Restaurante Popular local.[12] Em junho, ela gerou outra polêmica, ao dizer sem apresentar provas que os servidores da secretaria que comandava "estimulam [os moradores de rua] a ficar [na rua], porque são pessoas que têm uma ideologia de que tem o direito a ficar na rua".[13]. Em 21 de outubro, retornou à Câmara Municipal para evitar que a base aliada do prefeito Marchezan ficasse com um vereador a menos, visto que o vereador suplente Delegado Cleiton, do PDT, assumiria uma cadeira com o afastamento do vereador André Carús (MDB), investigado pela polícia.[14][15].

Em março de 2020, utilizando-se da janela de troca partidária[16], filou-se ao Democratas com o objetivo de concorrer à prefeitura de Porto Alegre, uma vez que ela não figurava entre os cotados para concorrer ao cargo no MDB.[17]

Referências

  1. «Divulgada lista de homenageados do Troféu Guri 2013». GaúchaZH. 15 de agosto de 2013. Consultado em 28 de junho de 2020 
  2. «Empossadas novas integrantes do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher». Portal do Estado do Rio Grande do Sul. 30 de abril de 2015. Consultado em 28 de junho de 2020 
  3. Gerhard, Nádia (2014). Patrulha Maria da Penha: O impacto da ação da Polícia Militar no enfrentamento da violência doméstica. Porto Alegre: AGE e ediPUCRS 
  4. «Empossadas novas integrantes do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres». SJCDH - Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos. 30 de abril de 2015. Consultado em 28 de junho de 2020 
  5. «Conheça a história da primeira mulher no alto escalão da Brigada Militar». GaúchaZH. 18 de novembro de 2019. Consultado em 28 de junho de 2020 
  6. abamfbm. «ZERO HORA: EM NOME DA SEGURANÇA | ABAMF». Consultado em 28 de junho de 2020 
  7. «Primeira mulher a comandar batalhão da Brigada Militar assume posto na Capital». Portal do Estado do Rio Grande do Sul. 13 de julho de 2012. Consultado em 28 de junho de 2020 
  8. «Patrulha Maria da Penha completa um ano com apoio da Defensoria gaúcha». Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul. 21 de outubro de 2013. Consultado em 28 de junho de 2020 
  9. «CRM participa do lançamento da Patrulha Maria da Penha em Charqueadas». Portal do Estado do Rio Grande do Sul. 20 de agosto de 2013. Consultado em 28 de junho de 2020 
  10. «Cedecondh discute PPP no serviço de iluminação pública». Câmara Municipal de Porto Alegre. Consultado em 28 de junho de 2020 
  11. «Comunicação Social». www2.portoalegre.rs.gov.br. Consultado em 28 de junho de 2020 
  12. «Morador de rua em Porto Alegre impede desfrute do espaço público, diz secretária». Consultado em 17 de julho de 2020 
  13. «Secretária Nádia reitera críticas à abordagem a moradores de rua e promete reunião com servidores». Correio do Povo. Consultado em 17 de julho de 2020 
  14. «Comandante Nádia deixa secretaria e retorna à Câmara dos Vereadores». Correio do Povo. Consultado em 17 de julho de 2020 
  15. «Comandante Nádia retorna à Câmara Municipal | Prefeitura de Porto Alegre». prefeitura.poa.br. Consultado em 28 de junho de 2020 
  16. «Vereadores formalizam novas filiações partidárias». Câmara Municipal de Porto Alegre. Consultado em 28 de junho de 2020 
  17. «Nádia Gerhard sairá do MDB e pretende concorrer a prefeita de Porto Alegre». GaúchaZH. Consultado em 17 de julho de 2020 


Este artigo "Comandante Nádia" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Comandante Nádia.