Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Cronologia das telecomunicações

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Cronologia das telecomunicações ( mundial/brasileira )[editar]

Século V a.c[editar]

Escribas latinos redigem cartas noticiosas aos habitantes de localidades distantes.

Século I a.c[editar]

O forúm romano afixa diariamente a Acta Diurna, contendo informações governamentais (60 a.c.)

Século VIII[editar]

Correio - Surge na Universidade de Paris o primeiro correio institucional, com a criação de um sistema postal próprio, que mantinha os estudantes em contato com suas famílias.[carece de fontes?]

Século XIV[editar]

Correio-Mercadores da liga Hanseática financiam e mantêm um correio entre as cidades com as quais comerciam.

Século XV[editar]

Imprensa- Johann Gutenberg utiliza pela primeira vez em sua oficina de impressão os tipos móveis (1450).

Século XVI[editar]

Imprensa - Os navegantes europeus utilizam cartas noticiosas para veicular informações comerciais. Na Itália, as Fogli d'avvisis (Folha de aviso) recebem o nome de Gazzetta devido à pequena moeda veneziana com que eram pagas; em toda a Europa tornam-se comuns os panfletos vendidos nas feiras que relatam notícias políticas, crimes ou ocorrências miraculosas.

Século XVII[editar]

Correio- Início de operação no Brasil (25/1/1663)

Imprensa - Na Inglaterra, surgem os corantos para a difusão de notícias correntes; o primeiro deles é o The Coranto or News from Italy, Germany, Hungary, Spain and France (1621). Circulam clandestinamente em Portugal, sob domínio espanhol, as relações da Novas Gerais (1630) proibidas por D. João IV em 1642, após a restauração da independência portuguesa. Theóphraste Ranauldot edita a Gazzette de France, sob patrocínio do Cardeal Richelieu (1631). Oliver Cromwell, sob o pretexto de coibir abusos dos jornais ingleses, proíbe a circulação de todos à exceção do Mercurius Politicus e do Public Intellingencer (1650).

Século XVIII[editar]

Surgem os jornais diários no mundo. No Brasil, o sistema de correspondência é oficializado, enquanto as tentativas de se criar uma imprensa são reprimidas pelas autoridades coloniais.

Correio - Tem início o funcionamento oficial do Correio Geral do Rio de Janeiro (1798).

'+Imprensa'"""""""""""""""""""+-Elisabeth Mallet funda em Londres o primeiro diário do mundo. The Daily Courant, que dura apenas uma semana (1702). No Brasil Colônia, a Carta Régia proíbe a impressão de livros e jornais sob pena de confisco e degredo (6 de julho de 1747). Na França, é fundado o Journal de Paris (1711). Nos EUA, começam a circular o Pensylvania Everning Post e o New York Daily Advertiser (1783). Na Inglaterra, tem início a circulação do Daily Universal Register, que três anos mais tarde passa a se chamar The Times (1785).

Século XIX[editar]

São estabelecidas regras para unificar os correios em todo o mundo. A imprensa se torna mais ágil com as invenções do telégrafo e do linotipo e com o desenvolvimento do transporte ferroviário, que dinamizou a distribuição. Os jornais passam a veicular anúncios e surgem as primeiras agências noticiosas na Europa e nos EUA. Antonio Meucci inventa o telefone. No Brasil, aparecem os primeiros jornais informativos, os essencialmente político e os diários, e a comunicação postal se organiza; no final do século é oficializado o uso do telefone.

Correio No Brasil, criam-se as caixas postais para organizar a entrega das cartas (1801) e estabelece-se sigilo da correspondência (1826). Na Grã-Bretanha, Rowland Hill moderniza as comunicações postais, criando o sistema de expedição por peso de carga e também o selo postal(1840); a 29 de novembro de 1842, um decreto determina o pagamento do porte de cartas por por meio de selos e torna o Brasil o segundo país do mundo a selar correspondência, e em 1844 cria-se o cargo de carteiro para distribuição domiciliar das cartas. Durante a Convenção de Berna, os governos de todos os países adotam medidas para unificar normas e simplificar e entrosar os correios em todo o mundo; a medida mais importante foi o estabelecimento da inviolabilidade da correspondência (1874). É regularizado no Brasil o serviço de correios para o exterior (1881); em 1890 é criado o Ministério da Instrução Pública, Correios e Telégrafos.

Gazeta do Rio de Janeiro, 1808, o primeiro jornal impresso no Brasil. Era um jornal oficial e consistia, basicamente, de comunicados do governo

Imprensa - Hipólito José da Costa funda, em Londres, o Correio Braziliense (ou Armazém Literário) (1 de junho de 1808). Com a vinda da família real para o Brasil, a Imprensa Régia cria a Gazeta do Rio de Janeiro, dirigida pelo frei José Tibúrcio da Rocha (10/9/1808). Friedrich Koening inventa a rotativa, capaz de rodar 1100 folhas por hora (1811). Surge o primeiro jornal informativo brasileiro: o Diário do Rio de Janeiro, (1 de junho de 1821); no mesmo ano surgem as primeiras folhas essencialmente políticas: o Reverbero Constitucional Fluminense, de Gonçalves Ledo e Jánuario Barbosa, e o Correio do Rio de Janeiro, de João Soares Lisboa; apesar da censura, circulam no Brasil jornais, como o Typhis Pernambucano, de Frei Caneca, que fazem críticas violentas contra o governo (25 de dezembro de 1823); fundação do Diario de Pernambuco, o mais antigo jornal em circulação no Brasil (7 de novembro de 1825).

Ficheiro:DP numero1.jpg
Primeiro número do Diario de Pernambuco

Pierre Plancher funda, no Rio de Janeiro, o Jornal do Commercio (1 de outubro) e o liberal Evaristo da Veiga funda o Aurora Fluminense; são igualmente combativos o Repúblico, de Borges da Fonseca, o Observador Constitucional, Líbero Badaró, e a Sentinela do Serro, de Teófilo Otoni, em Ouro Preto; em 1827 o Brasil já conta com 54 periódicos, sendo dezesseis na Capital. Em Paris, Charles Havas funda a primeira agência de notícias (1832). Emilie Girardin funda em Paris o La Presse, primeiro diário a publicar anúncios pagos (1836). Início da publicação, no Rio de Janeiro, da mais antiga revista em circulação no Brasil, a Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1839). Criada nos EUA a agência Associated Press (1848). Surge o primeiro diário de São Paulo, o Constitucional (1848). Criada em Londres a agência de noticias Reuters (1851). Surge na Bahia o primeiro periódico feminino do Brasil: o Jornal das Senhoras, de Violante Bivar e Velasco (1852). Quintino Bocaiúva lança A República, órgão do partido republicano (13 de dezembro de 1870). Rangel Pestana funda A Província de S.Paulo (4 de janeiro de 1875), que em 1 de janeiro de 1890, sob a direção de Júlio de Mesquita, passa a se chamar O Estado de S. Paulo. Surge em São Paulo O Diário Popular (8 de novembro de 1884). Otto Mergenthaler inventa o linotipo, eliminando o processo manual de composição gráfica (1885).

No Rio de Janeiro, Rodolfo Dantas funda o Jornal do Brasil (9 de abril de 1891). Entre 1891 e 1894, são fechados pelo governo vários jornais; sobrevivem apenas o Diário Popular e A Gazeta, em São Paulo, A Tribuna, em Santos (SP), e o correio do Povo, em Porto Alegre.

Aparelho de telefone de 1896 (Suécia)

Telefone - Alexander Graham Bell realiza, pela primeira vez, uma transmissão inteligível de voz através do telefone, aparelho por ele inventado; no mesmo ano, é instalado no Palácio de São Cristovão, no Rio de janeiro, o primeiro aparelho do Brasil (1876). Charles Paul Mackie recebe a primeira rede telefônica comercial no Brasil (1879). Instala-se a Telephone Company of Brazil (1880), destruída anos depois por um incêndio. Decreto introduz oficialmente o telefone no Brasil (21 de abril de 1883).

Télegrafo - Samuel Morse inventa o telégrafo (1845). O primeiro cabo telegráfico submarino passa a ligar pemanentemente a Europa a América (1866). Aproveitando a descoberta das ondas de rádio e da antena, Guglielmo Marconi cria o telégrafo sem fio, emitindo e captando sinais a centenas de metros de distância; as mensagens eram transmitidas em código Morse (1896). O Daily Express, de Dublin, cobre as regatas de Kingston atráves do telégrafo (1898).

Século XX[editar]

Nascem as grandes cadeias jornalísticas e editoriais no mundo; o rádio e a TV impõem-se como meios de comunicação de massa; os satélites permitem a agilização das comunicações mundias. As primeiras estações de rádio surgem no começo do século; na segunda década ocorre a emissão radiofônica em ondas curtas e são realizadas as primeiras transmições televisuais, precedendo a TV. No Brasil, a imprensa começa a se industrializar e aumenta o volume de publicidade, e têm início as emissões de rádio.

Correio - Durante a Primeira Guerra Mundial, a censura postal é instituída no Brasil (1917), sendo extinta em janeiro de 1918. Estabelecida a primeira linha regular do correio áereo no Brasil (1927).

Imprensa - Surge nos EUA a agência de notícias United Press (1907). A Gazeta de Notícias imprime o primeiro clichê em cores do Brasil (1907). Gustavo de Lacerda funda a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) (7 de abril de 1908). Renato de Toledo Lopes funda O Jornal, que seria depois comprado por Francisco de Assis Chateaubriand e se tornaria o órgão lider dos Diários Associados, a primeira grande cadeia de jornais brasileira (17 de junho de 1919). Lançado em São Paulo o jornal Folha da Noite, o primeiro do grupo Folha (19 de fevereiro de 1921. Em 1925, surge em São Paulo a Folha da Manhã (1 de julho), que circula até 1960, e Irineu Marinho funda no Rio de Janeiro o jornal O Globo, que se expandirá numa cadeia de rádio, jornal e TV.

Rádio - Lee de Forest realiza, do alto da torre Eiffel, em Paris, uma transmissão captada em Marselha (1908).

A voz do tenor Enrico Caruso é transmitida do Metropolitan Opera House de Nova York (1909).

Lee de Forest instala em Nova York uma estação emissora experimental (1916).

Inaugurada em Roterdã a primeira emissora popular de rádio (1919).

Primeira emissão radiofônica realizada no Brasil, pela recém-criada Rádio Clube de Pernambuco, do Recife, em 6 de abril de 1919.

Realiza-se a primeira emissão radiofônica oficial brasileira (7 de setembro de 1922).

A KDKA, de Pittsburgh (EUA), transmite um programa para Londres; é a primeira emissão radiofônica em ondas curtas (1922).

Fundada a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, por Henrique Morize e Edgard Roquette Pinto (20 de abril de 1923).

Criada a Union Radiotélégraphique Internationale para regulamentar as freqüências, já que houve nos EUA grande proliferação de emissoras, ocasionando interferência (1925). Depois de um período de experiência, começa a funcionar no Rio de Janeiro a Rádio Mayrink Veiga. (11 de junho de 1927).

Telefone antigo

Telefone - A Rio de Janeiro Telephone Company encampa a Brasilianische Elektrizität Gesellschaft (1907) e expande-se pelo país até 1966, ano em que é nacionalizada.

Televisão - Vladimir K. Zworykin tira patente do iconoscópio, invento que inaugurava a TV eletrônica (1922). John L. Baird faz as primeiras transmissões de imagem (1926).

1931-1940[editar]

O rádio transforma-se em instrumento de propaganda não apenas comercial mas também politica e ideológica; são criadas as primeiras estações de TV. No Brasil, o rádio se desenvolve e surgem os programas humorísticos, de auditório e de notícias; o locutor César Ladeira torna-se famoso ao trasmitir o noticiário da Revolução de 1932; a imprensa fica sujeita a rigorosa censura durante o Estado Novo e 61 publicações são suspensas.

Correio - No Brasil, forma-se o Departamento de Correios e Telégrafos (DCT) com a fusão da Repartição Geral dos Correios e da Repartição do telégrafos (1931).

Imprensa - É criado o Departamento de Imprensa e propaganda (DIP), que sujeita a imprensa a rigorosa censura (27 de dezembro de1939).; 61 publicações são suspensas e o jornal O Estado de S. Paulo fica sob intervenção de 1940 a 1945.

Rádio de 1936, em madeira, AM e Ondas Curtas.

Rádio - É fundada a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, líder de audiência por duas décadas (1936).

Televisão - René Barthélemy faz a primeira transmissão de TV a distância (14 de abril de 1931). Começa a funcionar regularmente o posto emissor da torre Eiffel (1935). Em Londres, é inaugurada a estação regular da TV BBC (1936). Três câmeras eletrônicas retransmitem a cerimônia de coroação do Rei Jorge IV, da Inglaterra (1937). Nos EUA, têm início as transmissões televisivas; no entanto , com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, o único país a manter a TV em funcionamento é a Alemanha (1939).

1941-1950[editar]

Nesta década são criadas as agências noticiosas DPA, ANSA e AFP; nos países socialistas, a imprensa desempenha um importante papel de divulgador das filosofias partidárias; o número de aparelhos de rádio cresce vertigiosamente no final da década; a TV passa a ser continental com a criação da Eurovision. No Brasil, termina a II Guerra Mundial, o rádio consolida e os programas de auditório ganham força; a Rádio Nacional do Rio de Janeiro lidera as programações e se torna um dos maiores fenômenos de comunicação no país; data dessa época a "coqueluche nacional", as radionovelas, e a afirmação do radiojornalismo com o repórter Esso. No final da década, a TV é inaugurada

Correio - É criado o Correio Aéreo Nacional, sucessor do Correio Aéreo Militar, que realizava seu primeiro vôo em 1931, levando correspondência a muitas cidade brasileiras e da América Latina (1941).

Imprensa - São fundadas, na França, a agência France Press (1944) e, na Itália a agência ANSA (1945). Fundada a folha de Tarde, que pára de circular em 1960, ressurgindo em 1967; criada na Alemanha Ocidental a agência de notícias Deutsche Presse Agentur (DPA); Carlos Lacerda funda a tribuna da Imprensa, que tem papel de relevo no final do governo Getúlio Vargas (1949).

Rádio - John Bardeen, Walter Brattain e William Shockley inventaram o transístor (1947), e o número de aparelhos e estações cresce vertiginosamente nas décadas de 1940 e 1950.

Televisão - A BBC de Londres faz a primeira transmissão de imagens para além do canal da Mancha; esta é a origem da Eurovision, rede européia de TV. É inaugurada oficialmente a primeira estação brasileira de TV: a TV Tupi de São Paulo (18 de setembro de 1950, pertencete aos Diários Associados; em 1951 é inaugurada a TV Tupi do Rio de Janeiro.

1951-1960[editar]

Aparecem os grandes empresários da imprensa, como Rupert Murdoch, australiano naturalizado americano, que desde 1952, vem ampliando seu império jornalistico. No Brasil, surgem grande número de revistas publicadas pelas editoras Abril, Bloch, Ebal, Rio Gráfica, Vecchi etc; o auge do rádio dura até o meio da década, quando a TV se firma definitivamente no Brasil.

Imprensa - Samuel Wainer funda o jornal Última Hora, no Rio de Janeiro (1951). É lançado o jornal Folha de S. Paulo (1 de novembro de 1960), fusão dos jornais Folha da Manhã, Folha da Tarde, Folha da Noite; anos depois, é republicada a Folha da Tarde; é fundado em Brasília o diário Correio Braziliense (21 de abril de 1960); a editora Abril lança a revista Quatro Rodas (1960).

Televisão dos anos 1950

Televisão - Um discurso do presidente estado-unidense Harry Truman inaugura a TV transcontinental (EUA, 1951). Entra em funcionamento o sistema de TV em cores, inventado em 1940 por Peter Goldmark (1954).

1961-1970[editar]

Começam as transmissões via satélite e a técnica de elaboração dos programas é revolucionada pela introdução do videoteipe. No início da década, no Brasil, o rádio assume uma postura tímida diante do desenvolvimento acelerado da TV; mas algumas emissoras conseguem se reestruturar, dando maior espaço ao radiojornalismo e ampliando os serviços à comunidade; a imprensa sofre forte censura a partir de 1964, com o golpe militar de 31 de março; e depois de 1968, com a decretação do Al-5.

Correio - Criada a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos(EBCT), vinculada ao Ministério das Comunicações, que substituiu o DCT (20/3/1969)

Imprensa - A Editora Abril lança a revista Cláudia (1961); fundação do diário Zero Hora, de Porto Alegre (4 de maio de 1964). Começa a circular em São Paulo o Jornal da Tarde, vespertino de O Estado de S. Paulo (4/1/1966). É lançada a revista semanal de informação Veja (4 de setembro de 1968). O lançamento de O Pasquim marca nova fase na história dos semanários tipo tablóide, formato escolhido pela chamada "imprensa nanica" (1969)

Televisão - Realiza-se a primeira transmissão via satélite (23 de julho de 1962). O Brasil integra-se ao sistema Intelsat e é criada a Empresa Brasileira de Telecomunicações (Embratel), que expande a rede de microondas e completa as ligações de todos os estados com o exterior (1965).

1971-1980[editar]

A imprensa diária alcança enorme difusão nos EUA, tendo como característica o destaque dado a antigos assinados. A Grã-Bretanha apresenta, depois da Suécia, o maior índice de leitores de jornal no mundo. No Brasil, é implantada a TV em cores; a censura é abrandada progressivamente a partir de 1976; as transmissões em FM, predominantemente musicais, abrem um novo campo para a expansão do rádio; a rede Globo torna-se a maior cadeia de comunicações da América Latina e uma das maiores do mundo. As Telenovelas tornam-se o tipo de programa predileto do público médio brasileiro;

Imprensa - Deixa de circular o diário carioca Correio da Manhã (9 de junho de1974), a revista do Homem começa a circular (1975), e mais tarde passará a se chamar de Playboy (1978). É suspensa a censura prévia no diário Tribuna da Imprensa e nos semanários O São Paulo e Movimento; é o fim da censura na imprensa escrita, em vigor desde 1964 (1978). Deixam de circular o vespertino carioca Notícia (5 de junho) e o diário paulista Última Hora (19 de junho de 1979).

Computador - a USP constrói o "Patinho feio", primeiro computador brasileiro (1972); o governo federal lança o "Projeto Guranys" a fim de estumular a indústria e pesquisa sobre informática no pais.

1981-1990[editar]

O videocassete começa a ser vendido, até a chegada do DVD

É a década de novas tecnologias chegando às empresas e ao consumidor: nas redações dos jornais e revistas o computador é ligado diretamente à gráfica, substituindo a máquina de escrever; o telejornalismo torna-se mais ágil com as novas câmeras, cada vez mais leves, e sistemas que facilitam a entrada de repórteres ao vivo, de qualquer ponto do país; multiplicam-se as antenas parabólicas domésticas, para recepção de sinais de TV diretamente dos satélites; entram no ar os primeiros canais de TV por assinatura; o videocassete e o fax são vendidos aos militares; surgem os primeiros aparelhos de videolaser no mercado.

Imprensa - Decretada a falência de três empresas do grupo Diários Associados S.A. Diário da Noite, Diário de São Paulo e Rádio Difusora (1 de setembro de 1981). Surge no Rio de Janeiro O Planeta Diário, jornal mensal de humor (1984). A crise na Companhia Jornalística Caldas Júnior, de Porto Alegre, tira de circulação o Correio do Povo, fundado em 1895. O Diário Catarinense, da Rede Brasil Sul de Comunicações, é o primeiro jornal totalmente informatizado do país (14 de março de 1986). O correio do Povo volta a circular, com formato tablóide (31 de agosto de 1986). É lançado, em Porto Alegre, o Diário do Sul, (1986), é lançada a revista superinteressante (1987). A revista IstoÉ passa a pertencer à editora Três, é suspensa a circulação do Diário do Sul (1988). Sai de circulação o Diário da Manhã, de Ribeirão Preto (fundado em 1898) (1990). Chega as bancas o primeiro número da revista Superinteressante totalmente produzido por computador (1990). São lançadas, na Rússia, suas edições de Business Week e artigos gerais Reader's Digest (1990).

Rádio - É criada a Rede Bandeirantes de rádio, com setenta emissoras de FM e sessenta de AM em oitenta localidades do país, a primeira no Brasil via satélite (25/9/1990).

Telefone - A Itautec lança na 4º feira Internacional de Informática o primeiro fax brasileiro (5 de novembro de 1984). A Embratel inaugura o primeiro sistema de telefonia digital com fibras ópticas entre São Paulo e Rio de Janeiro, embrião da futura Rede Digital. Começam a ser vendidas as primeiras linhas de telefonia móvel celular (1990).

Aparelho de televisão

Televisão - É inaugurada em S.Paulo a TVS, mais tarde SBT, pelo famoso comunicador Silvio Santos (1983). A Rede Manchete inicia suas transmissões (5 de junho de 1985). É lançado de Kuru, na Guiana Francesa, o primeiro satélite doméstico para uso exclusivo brasileiro: O Brasilsat-I (8 de fevereiro de 1985). É lancado o Brasilsat -II, da mesma base (28 de março de 1986). É autorizada a criação da TV a cabo no Brasil (23 de fevereiro de 1988). Entra no ar, no Rio de Janeiro, a TV Rio, canal 13, (1 de junho de 1988) Estréia em S. Paulo o Canal +, UHF 29, a primeira TV por assinatura do país (28 de março de 1989), transmitindo o sinal da ESPN, rede americana de esportes; começa funcionar em São Paulo o Super Canal, TV por assinatura em SHF com três opções: a CNN, Cable News Network, americana, e RAI, Radiotelevisione, Italiana (22/1/1990), em S.Paulo começa a ser transmitida a MTV, americana, mais tarde com sua programação própria, a Gradiente anúncia para outubro o lançamento do primeiro aparelho de videolaser produzido no Brasil (9/8/1990).

1991-2000[editar]

O computador doméstico começa a entrar nas casas da população, o Bip (Aparelho que transmite mensagens de texto tem vendas significativas no Brasil na metade da década; o celular é ainda distante, por causa de seu alto preço. A internet começa a ganhar força, começam a ser lançados os primeiro títulos brasileiros em CD, são lançados os primeiros DVDs no mercado. Aparece na televisão um novo formato de programa o chamado "Reality show".

Imprensa - É lançada a versão brasileira da revista feminina francesa Marie Claire (28/3/1991). O jornal sensacionalista A Notícia, desativado desde 1979, volta a circular sob a direção do humorista Jaguar (8/5/1991). O jornal Última Hora decreta falência (12/7/1991).

telefone celular

Telefone-É inaugurado em Brasília o serviço de telefonia móvel celular (20/8/1991)

Televisão - É inaugurada em Belo Horizonte a TVC-BH, primeira emissora de TV a cabo do estado de Minas Gerais, (1991). Entra em falencia a Rede Manchete, que é vendida a Amílcare Davello, que transfere sua sede. É inaugurada a Rede TV! (1999).

DVD player- Começam a ser vendidos os primeiros aparelhos de DVD player no mundo (1999).

DVR com DVD recorder integrado

2001-2007[editar]

Os aparelhos celulares agora não só fazem ligações, como enviam e tiram fotos, baixam músicas, imagens e textos da Internet.

A Embratel é vendida a um grupo estrangeiro, a internet se torna indispensável para as empresas.

Telecomunicações - O presidente Lula assina um decreto que cria o Sistema Brasileiro (SBTVD-T), criando, assim, o sistema de televisão e portáteis digital (2006).

Telefonia- A Embratel é vendida para a empresa mexicana Telmex. Começa a atuar a Vivo, quando foi finalizada a junção das operadoras de celular das empresas Celular CRT Participações S/A, Tele Leste Celular Participações S/A, Tele Centro-Oeste Celular Participações S/A, Tele Sudeste Celular Participações S/A e Telesp Celular(2003). É criado o sistema volP que, por meio de um programa de computador chamado Skype, transmite via internet a comunicação entre pessoas. É inaugurado em Brasília o serviço de telefonia móvel celular (20/8/1991) A Oi, ex-Telemar, arrematou por R$ 80,55 milhões, em leilão feito pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), freqüências para operar telefonia móvel em todo o Estado de São Paulo,abrindo seu sinal em 24 de Outubro de 2008.

Televisão Em São Paulo a Rede Record abre o primeiro canal UHF 24 de notícias da televisão brasileira, a Record News (27/09/2007). O Brasil recebe direto da sala São Paulo a primeira transmissão digital do país, somente para o estado de São Paulo (2/12/2007).

Ver também[editar]

  • Acesso dedicado
  • Sinalização por canal comum número 7
  • Telefonia e Telefone
  • Telegrafia e Telégrafo
  • Telecomunicações no Brasil e Telecomunicação em Portugal
  • Rede de Telecomunicações
  • Rede de Transmissão
  • Rede de Telefonia Fixa e Rede de Telefonia Celular
  • Princípios da Gerência de Redes
  • Gerência de Redes de Telecomunicações e Modelo TMN
  • Alexander Graham Bell
  • Guglielmo Marconi


Este artigo "Cronologia das telecomunicações" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Cronologia das telecomunicações.