Welcome to EverybodyWiki ! Nuvola apps kgpg.png Sign in or create an account to improve, watchlist or create an article like a company page or a bio (yours ?)...

Dividir e Conquistar

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura pelo(a) sobre o conceito político, veja dividir para conquistar. Se procura pelo(a) a técnica de projetos de algoritmos, veja divisão e conquista.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2019). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dividir e Conquistar
Álbum de estúdio de Dorsal Atlântica
Lançamento 1988
Gravação 1987 - Heavy (Rio de Janeiro)
Gênero(s) Thrash metal, Speed Metal
Duração 40:07
Gravadora(s) Heavy
Cronologia de Dorsal Atlântica
Antes do Fim
(1986)
Cheap Tapes from Divide and Conquer
(1988)

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Dividir e Conquistar, gravado em 1987 e lançado no ano seguinte, é o segundo trabalho da Dorsal gravado com mais tempo e com mais maturidade musical. O público radical da época queria um álbum mais rápido, mas a Dorsal queria evoluir e ousar. A nova gravadora (que antes era uma paulistana) passou a ser uma carioca chamada Heavy, uma das lojas/selos cariocas que existiam. Clássicos como "Metal Desunido", "Tortura" e "Violência é Real" mostraram um novo caminho a seguir. O movimento metálico nacional já começava a mostrar as suas divisões internas, com uma clara separação entre os mais radicais e o pessoal do heavy associado aos anos 70. O radicalismo musical era uma característica dos adeptos do estilo pesado, que a Dorsal ousou contradizer com o emblemático e poético Dividir e Conquistar. A divisão era clara: no Caverna II, o templo carioca do metal, havia o espaço principal para apresentações ao vivo e na entrada, o "salão de power metal" onde não se ria e nem se erguia a cabeça; apenas agitavam as correntes ao som de Hellhammer e Running Wild.

O álbum conquistou inúmeras colocações nos melhores do ano de 88 na revista Rock Brigade e permitiu que a banda viajasse pelo país, sendo recebida por centenas de pessoas, com faixas de boas-vindas, nos aeroportos de Manaus, Teresina e Belém.

Shows nesta fase com grupos internacionais: Nasty Savage, dos EUA; Exumer, da Alemanha, e com os bretões do Motörhead, em Porto Alegre. Era uma época de desbravadores: respeito crescente e nenhum dinheiro. Propostas de lançamento no exterior não concretizadas e um compacto lançado na Suíça.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. Tortura
  2. Vitória
  3. Violência É Real
  4. Metal Desunido
  5. Lucrécia Borgia
  6. Morador Das Ruas
  7. Velhice
  8. Preso Ao Passado

Créditos[editar | editar código-fonte]

  • Carlos "Vândalo" - guitarra, vocal
  • Cláudio "Cro-Magnon" - baixo
  • Hardcore - bateria

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).



Outros artigos do tema Música : SOS da Vida Gospel Festival, Power of Omens, Mikel Erentxun, Millennium (álbum de Aline Barros), Família Rocha, My Federation, João Amorim


Este artigo "Dividir e Conquistar" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Dividir e Conquistar.



Compte Twitter EverybodyWiki Follow us on https://twitter.com/EverybodyWiki !