Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Edson Reis (O Ancião)

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki

Edson Dantas dos Reis, mais conhecido pelo pseudônimo O Ancião (Crisópolis, 13 de agosto de 1968), é um teólogo, escritor, pastor e YouTuber brasileiro.

Edson Dantas dos Reis
 Edit this InfoBox
Participação no Programa Vejam Só da RIT TV de São Paulo, em 14 de agosto de 2018
Nome completo
Pseudônimo(s) O Ancião
Nascimento 13 de agosto de 1968
Crisópolis; Bahia
Morte
Nacionalidade brasileiro
Alma mater
Ocupação Teólogo
Pastor (Ministro Cristão)
Escritor
YouTuber
Influências
Religião Cristianismo
Outros Testemunhas de Jeová
Elim Pentecostal Brasil
Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Como Testemunha de Jeová[editar]

Nascido em uma família de Testemunhas de Jeová, Edson Dantas dos Reis deixou de seguir os preceitos religiosos de seus familiares aos 36 anos quando, no ano de 2004, após examinar um artigo publicado na revista A Sentinela de 15 de junho de 2004 (publicação oficial das Testemunhas de Jeová)[1] cujo assunto se referia às frações de sangue, Edson, questionou-se a respeito da credibilidade da afirmação feita pela Organização das Testemunhas de Jeová em ser a representante oficial de Deus na Terra. Considerando todo o seu tempo de permanência na Organização, o surgimento do viés ideológico ocorreu de maneira gradativa. Por sua vez, o desfecho se deu a partir do momento em que os demais membros passaram a tratá-lo à base de indiferença quando diante de sua discordância ao assunto tratado pela revista. Tal abordagem o fez repensar sua situação perante Deus, algo que normalmente as Testemunha de Jeová não fazem em razão da potente doutrinação a qual interioriza nos membros a ideia de que "a salvação depende exclusivamente de suas permanências na Organização".[2]

Outro fator significativo foi, ao longo dos anos como ancião congregacional, perceber a injustiça praticada em muitos assuntos. Pessoas sendo magoadas por aqueles que as deveriam acalentar e servir como abrigo e, ao mesmo tempo, usando o nome de Deus para justificar as atitudes.

Como zelosa Testemunhas de Jeová, Edson, participava regularmente do proselitismo itinerante, isto é, a pregação de casa em casa assim como das reuniões, assembleias e congressos promovidos pela Organização. Participava em debates com pessoas de outras denominações, defendendo de forma convicta as crenças das Testemunhas de Jeová. Durante seus 28 anos como membro da Organização, na estrutura local das Testemunhas de Jeová, exerceu cargos de liderança como Servo Ministerial (o equivalente ao diácono das denominações evangélicas) bem como ancião, que no meio evangélico possui seu equivalente denominado pastor.

Com o tempo, passou a escutar em um programa de rádio outros pontos de vistas conforme apresentados nas Escrituras. Entendeu que não havia necessidade de se ter uma visão dogmática a respeito de assuntos que a bíblia não se pronunciava claramente assim como compreendeu Jesus de uma maneira nunca compreendida dentro dos muros da Organização.

Depois de algum tempo, deixou de fazer uso da Tradução do Novo Mundo (bíblia exclusiva das Testemunhas de Jeová) e parou de frequentar as reuniões congregacionais. A partir disso, começou a estudar a bíblia na casa com sua esposa, período em que ela ainda era Testemunha de Jeová, e passou a comentar que estava ouvindo na rádio a necessidade do apego à Palavra de Deus ao invés de doutrinas criadas por homens falíveis. Assim, entendeu que vários ensinos que outrora defendia estavam errados a ponto de comentar com algumas Testemunhas que acreditava serem sinceras. Todavia, como era esperado, não demorou para ele receber a visita de dois anciãos que o procuraram para saberem o que estava acontecendo visto que uma acusação por apostasia havia sido levantada contra ele. Edson tentou raciocinar com os homens, porém sem bons resultados. Marcaram, pois, uma reunião para julgá-lo e o informaram que, se ele não se mostrasse presente, então, seria desassociado por revelia, haja vista terem provas suficientes que o incriminava.

Vendo para onde tudo se encaminhava em razão de suas discordâncias às doutrinas do Corpo Governante (liderança máxima das Testemunhas de Jeová), Edson resolveu enviar-lhes uma carta, conscientizando-os sobre as contradições dos ensinos da Organização em relação à Bíblia, mostrando-lhes que se havia apostasia, ou desvio dos ensinos de Cristo, não seria de sua parte, mas da própria Organização que "se julga o único canal entre Deus e os homens".[3]

Carta de Renúncia[editar]

Em sua carta de desligamento da Organização das Testemunhas de Jeová, Edson Reis, destacou dez doutrinas ensinadas pela Torre de Vigia e as comprovações bíblicas que apontam suas contradições, conforme apresentadas abaixo:

São Paulo, 14 de julho de 2007.

Ao Corpo de anciãos da Congregação e agregados.

Por meio desta carta apresento minhas razões para não ter comparecido à reunião marcada para o dia 10 de julho de 2007.

Em primeiro lugar, gostaria de destacar a indiferença e a falta de amor cristão no texto do bilhete que recebi dos irmãos, em que sequer constava um pedido de "por favor" para entrar em contato, mas continha uma mensagem no imperativo para entrar em contato.

Ao chegar de viagem, contatei um desses irmãos o qual me disse haver um grande falatório referente a alguma conversa de minha parte que terminou chegando ao conhecimento do superintendente de circuito que, por sua vez, o designou, junto com outros anciãos para conversar comigo. Tentei explicar-lhe sobre a existência de algum mal entendido em razão de há muito tempo eu não frequentar aquela região, tampouco ter me comunicado com pessoas de lá. Fui informado que eu precisava esclarecer os falatórios em uma reunião com data supracitada. Sugeri que se eu havia errado contra alguém, eles deveriam incentivar a pessoa a qual se sentiu lesada a conversar comigo conforme descreve Mateus 18:15. Talvez, por descargo de consciência, o irmão insistiu em simplesmente dar-me o recado para eu comparecer à reunião. Chegado o dia, não compareci. Como resultado, um dos anciãos me contatou e, de maneira agressiva, disse-me que se eu não entrasse em contato com eles, eu, seria julgado por revelia.

É por este motivo que vos escrevo e gostaria que considerassem esta carta com os demais anciãos, sobretudo, os dois já mencionados bem como o superintendente de circuito que recebeu de "Cristo" poder para julgar com base em falatórios: "E ele terá prazer no temor de Jeová. Ele não julgará pelas aparências, nem repreenderá simplesmente pelo que ouve".[4]

Se, por fim, decidirem pela desassociação sem considerarem os textos e os artigos citados abaixo, haverá a certeza que o temor de homens os impediu de agir igual aos apóstolos.

Lembrem-se: "a verdade não deve temer um exame".[5] Tudo que apresento se baseia na Bíblia assim como nas próprias publicações da Organização. Espero que não tomem a atitude dos lideres religiosos citados no livro de Atos 7:57: "A isto eles clamaram ao máximo da sua voz e puseram as mãos sobre os ouvidos e arremeteram à uma contra ele".[6] Não desejo ser taxado de presunçoso, também, não estou aqui na posição de juiz tampouco réu, mas, apresento fatos que a Bíblia e a história mostram como verídicos.

Em primeiro lugar, a palavra "apostasia" (em grego antigo [apóstasis], significa "estar longe de"), não se referindo a um mero desvio ou um afastamento em relação à fé e à prática religiosa. Tem o sentido de afastamento definitivo e deliberado de alguma coisa, uma renúncia de sua anterior fé ou doutrinação. Pode manifestar-se abertamente ou de modo oculto. Sendo apostasia um desvio da fé cristã, digo-lhes que isso não aconteceu comigo, pois continuo professando abertamente a crença em um único Deus, a saber, YHWH e no seu filho Jesus. Tampouco rejeitei qualquer ensinamento delineado na Palavra de Deus. Acusam-me, apenas, de coisas faladas por mim contra a Organização e de eu possuir publicações que são contra os seus dogmas.

Sobre isso, apresento-vos, a seguir, alguns fatos bíblicos e históricos para serem considerados:

1) A ORGANIZAÇÃO ENSINA QUE "CRISTO É SOMENTE MEDIADOR DOS CRISTÃOS UNGIDOS"

“Claramente, pois, o novo pacto não é um arranjo livre, aberto a toda a humanidade. Trata-se duma cuidadosamente providenciada provisão legal envolvendo Deus e os cristãos ungidos" — revista A Sentinela 15 de agosto de 1989, página 30.[7]

"Jesus Cristo, não é o Mediador entre Jeová Deus e toda a humanidade. Ele é o Mediador entre seu Pai celestial, Jeová Deus, e a nação do Israel espiritual, que está limitado a 144.000 membros" — livro Segurança Mundial Sob o Príncipe da Paz, capítulo 1, página 10-11, parágrafo 16.[8]

"Há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, um homem, Cristo Jesus" (1 Timóteo 2:5).[9] Conforme o contexto (leia, por favor, versículos 1-7), Paulo falava em se fazer oração por "toda sorte de homens" — inclusive governantes humanos —, e completa escrevendo sobre haver "um só mediador entre Deus e homens". Será que havia ungidos em postos governamentais nos dias de Paulo?

2) A ORGANIZAÇÃO ENSINA QUE "OS ÚLTIMOS DIAS COMEÇARAM EM 1914" (A SENTINELA 1º DE OUTUBRO 1984)[10]

O que diz a Palavra de Deus? O apóstolo Pedro, no texto de Atos 2:14-21, mostra que os "últimos dias" começaram lá no dia de Pentecostes. Paulo corroborou em suas cartas indicando que já estava vivendo nos "últimos dias" (2 Timóteo 3:1-8; Hebreus 1:2; 1 Coríntios 7:29-31). Será que palavras de homens valem mais que a Palavra de Deus?

3) O TERMO "DIANTE DO TRONO" DESCRITO EM APOCALIPSE 7:9-17

O texto diz claramente que a grande multidão esta diante do trono de Deus. Onde é o trono de Deus? A palavra grega eˈno.pi.on significa "diante do trono",[11] sendo a mesma palavra que é usada para os 144.000. Argumentar diferente é contradizer a Bíblia, e, visto que o Apóstolo João, em João 10:16, fala de "outras ovelhas", muitas vezes se argumenta que se trata da grande multidão do Apocalipse. Porém, o contexto é claro e especifica Jesus se referindo a judeus e gentios — não a duas esperanças de salvações sendo uma terrestre e outra celestial.

4) A ORGANIZAÇÃO ENSINA QUE 2 JOÃO 7-11 E 1 JOÃO 2:18-22 HÁ UMA "PROIBIÇÃO EM RELAÇÃO A FALAR COM DESASSOCIADOS"

Esses textos têm sido aplicados erroneamente pela Organização para dizer que "é proibido conversar com pessoas que foram desassociadas".[12] [13] Antes de aplicarem esse texto, far-se-á bem considerar cada contexto e verificar que nos dias do Apóstolo João, estava se desenvolvendo uma tendência de negar a Cristo vindo na carne. Era o movimento gnóstico. Foi contra isso que João alertava. Fingir não vê esse erro apenas para apoiar os dogmas da Organização, desconsidera o que fora dito por Cristo, "ai daquele que dirigir ao seu irmão uma palavra imprópria de desprezo".[14].

Então, qual do vós pode julgar-me com base nessas palavras de João sem se sentir envergonhado por estar aceitando uma interpretação particular das Escrituras? A história está repleta de intolerância religiosa. Por esse motivo pessoas foram perseguidas e mortas. E até hoje certas religiões não toleram quem discorde de seus ensinos. Por que esta intolerância da parte da Organização? Por que tanto receio em se consultar sites que contam sua história com base em suas próprias publicações? Analiso e vejo que a Palavra de Deus, há mais de cinco mil anos, continua sendo imutável. Mas, os ensinos da Organização não conseguem suportar a prova do tempo.

5) A ORGANIZAÇÃO ENSINA QUE "A RESSURREIÇÃO DOS CRISTÃOS UNGIDOS INICIOU EM 1918"

A Bíblia declara que lá nos dias de Paulo, alguns já estavam causando dificuldades aos irmãos com pensamento semelhante a este apresentado pela Organização. Paulo apresentou evidência clara que isto era desvio da verdade. (2 Timóteo 2:16-17). Como podemos ver, a Palavra de Deus alertou contra aqueles que começassem a anunciar a ressurreição antes do tempo programado — isso foi considerado apostasia.

Falta-me tempo para listar outros textos. Peço-lhes que meditem nos textos apresentados sem as manobras realizadas pela Organização, porém com a ajuda do Espírito de Deus e com suas mentes voltadas para o texto aos Gálatas 1:8, que diz: "No entanto, mesmo que um de nós ou um anjo do céu lhes declare como boas novas algo além das boas novas que lhes declaramos, que ele seja amaldiçoado".

Em termos de Bíblia, paro por aqui. Embora pudesse falar de muitos outros desvios apóstatas por parte da Organização. Passo agora a descrever sua história, pois esta, junto com o tempo, tem sido o melhor juiz das religiões e provado que a Organização tem realmente sido apóstata.

6) A ORGANIZAÇÃO ENSINA QUE "ELA FOI ESCOLHIDA POR CRISTO EM 1919"

Até 1928, ela admitiu que a pirâmide de Gizé, era "como testemunha para Jeová".[15] Todavia, a revista A Sentinela de 1º de janeiro de 2000, páginas 9-10, parágrafos 16-17, diz que a Grande Pirâmide continha "demoníacos signos de astrologia".[16]

Também, nota-se um envolvimento assim em uma citação indireta no livro "Proclamadores", no final da página 161-162. Menciona-se determinada "tabela".[17] Contudo, omite-se que a tabela havia sido feita por Charles Taze Russell (fundador da Organização das Testemunhas de Jeová) se baseando nesta pirâmide. É dito, apenas, que "a tabela foi usada por muitos anos como base para discursos perante grupos grandes e pequenos".

Pergunto: Como poderia Cristo ter escolhido uma Organização que baseou seus ensinos em piramidologia e astrologia?

7) SERVIÇO MILITAR E ALTERNATIVO

Por que as normas restritivas da Organização referentes ao serviço alternativo e ao serviço militar duraram por tanto tempo enquanto muitos irmãos sofreram encarceramento e morte, vindo estas normas serem revogadas somente na A Sentinela 1º de maio de 1996?[18] Quem é o responsável pelas mortes e injustiças causadas Deus ou a liderança das Testemunhas? Não digam que a Organização é perfeita, mas os membros da liderança são imperfeitos. Afinal, quem tomam as decisões em nome da Organização são os homens do Corpo Governante. Conforme 2 Coríntios 10:5: "os pensamentos dos cristãos devem ser trazidos ao cativeiro para obedecer a Cristo", não a homens ou uma Organização.

É notável o conceito que se faz a respeito da Organização sobre as coisas proferidas por ela serem o equivalente ao próprio Deus falar. Penso que, nesse conceito, a palavra "Organização" parece possuir imagem própria. É por isso que os irmãos, sem perceberem, são cativos desse conceito. Creio que as ações da Organização durante sua história têm denegrido a imagem de Jesus Cristo, pois toda ênfase é dada à crença a respeito da Organização ser o instrumento escolhido por Deus.

Pergunto: Como pode Deus usar um instrumento que tem causado tantos sofrimentos àqueles que discordam do conceito supracitado?

8) TRANSPLANTE EQUIPARADO A CANIBALISMO

De 1968 até 1980, as revistas A Sentinela de 1º de junho de 1968 e A Sentinela 1º de setembro de 1980,[19] [20] ensinavam que "os transplantes de órgãos eram considerados canibalismo" pela Organização. A quem cabe a culpa de sangue pelas mortes de inúmeras Testemunhas de Jeová que se recusaram a receber transplantes?

9) A ABERTURA DA CHAMADA CELESTIAL DEPOIS DE 1935 (A SENTINELA 1º DE MAIO DE 2007)[21]

Desde quando podem os homens estabelecer datas para Deus abrir ou fechar esta chamada? O que gerou este novo entendimento? Foi a nova luz ou o fato de que agora não resta mais ninguém que se balizou antes de 1935 entre os membros do Corpo Governante?

10) ORGANIZAÇÃO CULTURAL

É desconhecido de muitos que a Organização Torre de Vigia por mais de 4 décadas, sustentou no México o status de "organização cultural" onde os irmãos não usavam a Bíblia de porta em porta, não cantavam, ou oravam, nas reuniões. Tudo isto para não perder os direitos de possuir propriedades que, segundo as leis mexicanas, deviam pertencer à custódia do governo caso a Organização fosse religiosa. Mas, qual membro das Testemunha de Jeová conhece este fato? A Sentinela de 1º de janeiro de 1990 descreve esta mudança,[22] porém, sem transparecer a verdade sobre a situação. Quanta diferença do servo de Deus Daniel, que não suportou ficar sem orar (Daniel 6:1-11) Neste caso, a verdade fica evidenciada, a Organização mostra maior amor aos bens materiais a sua própria adoração a Deus.

--

Prezados irmãos, isto foi uma amostra do conhecimento organizacional e bíblico que possuo. Não é apostasia conforme salientado no início. Trata-se apenas de transparência com os fatos. Conforme dito pelo irmão Joseph Rutherford em seu livro Encare os Fatos (Face The Facts 1ª edição em inglês em 1938, 300 páginas): "Já que a plena declaração dos fatos tende a chocar as suscetibilidades de algumas pessoas, isto não fornece desculpa ou justificativa alguma para ocultar-se do público qualquer parte deles, particularmente quando esta envolvido o bem estar do publico [...] jamais se deve permitir que a crença ou opinião anterior impeça alguém de aceitar ou considerar uma declaração dos fatos. Deus tem tornado claro, para ser visto pelos que buscam diligentemente a verdade, que a religião é uma forma de adoração que nega, porem o poder de Deus e afasta os homens de Deus... a religião e o cristianismo estão, portanto, exatamente em oposição um ao outro".[23]

por mais que os fatos choquem, não devem ser ocultados. Assim, faço a mesma pergunta descrita no texto de Atos 4:19. Tanto Jesus Cristo como os Apóstolos foram perseguidos por apresentarem a verdade. Se vós puderdes me contradizer biblicamente e historicamente referente aos fatos acima citados, podem desassociar-me, conforme um dos anciãos me disse "por revelia". Não obstante, se, depois de examinadas as informações, suas consciências constatarem que nada sabem sobre eles e, diante disso, insistam com a desassociação, então, acredito que podemos conversar com base na Palavra de Deus. Será um diálogo aberto e honesto sobre os pontos mencionados, visto que, conforme disse Paulo, "ser julgados pelos senhores ou por um tribunal humano para mim não tem a menor importância. Eu não julgo nem a mim mesmo, pois minha consciência está limpa, mas isso não prova que sou de fato inocente. Quem me julga é o Senhor" (1 Coríntios 4:3-4).

Se decidirem desligar-me sem considerar os textos e os artigos citados, podem ter certeza de que o temor aos homens os impediu de agirem como os apóstolos. A verdade não teme a um exame, mas uma Organização culpada de sangue e injustiças teme.

Também gostaria de salientar que, convencido como estou dos seus conhecimentos das Escrituras, sou incapaz de pensar que os senhores acreditem que filiar-se a uma Organização seja o fator decisivo para o julgamento de Cristo. Estou cada vez mais convencido de que a coisa mais valiosa para qualquer ser humano é defender os princípios salientados por Jesus de amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo. Meu entendimento das Escrituras é que a lealdade a Deus e à sua Palavra está acima de qualquer outro tipo de lealdade. Acredito que não cabe a mim ou a qualquer grupo fazer acréscimos à Palavra de Deus (Provérbios 30:5-6; Apocalipse 22:18-19).

Estes pontos não foram conversados com ninguém e não tenho a intenção de divulgá-los. Porém, se vós continuardes a querer sujar meu bom nome taxando-me de apóstata, não me refrearei de mostrar que a verdadeira apostasia procede da Organização. Do ponto de vista bíblico, quem deveria ser desassociado são aqueles os quais por muito tempo vêm distorcendo a Palavra de Deus. Se, os senhores, ao se deitarem sobre seus travesseiros, não terem suas consciências incomodadas, então, prossigam.

O meu amor a todos,

Edson Dantas dos Reis

Acesso às fontes dissidentes[editar]

Após tornar-se dissidente das Testemunhas de Jeová no ano de 2004, Edson Reis teve acesso às obras do ex-membro do Corpo Governante Raymond Victor Franz, autor dos livros Em Busca da Liberdade Cristã (In Search of Christian Freedom 1ª edição em inglês em 1991, 732 páginas) e Crise de Consciência (Crisis of Conscience — 1ª edição em inglês em 1983, 516 páginas). Neste, como inspiração ao seu trabalho no embate às doutrinas das Testemunhas de Jeová, Edson, identificou-se com a seguinte citação de um texto da revista A Sentinela de 15 de julho de 1974, página 419, descrita no pré conteúdo do livro de Franz:

“Quando há pessoas em grave perigo, duma fonte de que não suspeitam, ou quando são desencaminhadas por aqueles que consideram seus amigos, será que é desamoroso adverti-las? Talvez prefiram não acreditar na advertência. Podem até mesmo ressentir-se dela. Mas livra isso alguém da obrigação moral de dar tal advertência?".[24]

Após acessar o livro intitulado Os Tempos dos Gentios Reconsiderados (The Gentile Times Reconsidered 1ª edição em inglês em 1983, 732 páginas) cuja autoria pertence a Carl Olof Jonsson, outro ex-membro das Testemunhas de Jeová, Edson, compreendeu que a espinha dorsal da Organização, isto é, a doutrina mãe da seita, fora desenvolvida à base de manipulação cronológica, resultando em uma volta invisível de Cristo no ano de 1914. Sobre isso, uma atitude tomada por Carl, antes de sua expulsão da seita, chamou a atenção de Edson, conforme descreve o livro:

“renunciei à minha posição como ancião na congregação local das Testemunhas de Jeová e também a todas as minhas outras tarefas e designações na congregação e no circuito. Fiz isto na forma de uma longa carta, dirigida ao corpo local de anciãos e ao superintendente de circuito”.[25]

Deparar-se com uma série de doutrinas inconsistentes com os ensinos da Palavra de Deus gerou em Edson a mesma atitude de Carl, isto é, renunciar à sua posição como ancião e abrir mão de outras atividades congregacionais.

Atuação na Internet[editar]

Atualmente, O Ancião mantém um canal no YouTube denominado Nosso Canal JWR em que o "JW" da sigla é uma dupla referência sendo a primeira para Jehovah's Witnesses (Testemunhas de Jeová em inglês) e a segunda para o JW.ORG o site oficial das Testemunhas. Quanto ao "R", seu simbolismo está relacionado à palavra "reforma", significando, portanto, Testemunhas de Jeová Reformadas.

Ficheiro:JWR CANAL.jpg
Edson Reis apresentando o canal JWR

Com pouco mais de 12.000 seguidores, número bastante significativo para um canal voltado para membros e ex-membros das Testemunhas de Jeová considerando a extrema discrição pela qual muitas se submetem para não se exporem e correrem o risco de serem desassociadas por acessarem fontes de informações extra oficiais, o canal JWR tem sido fonte de libertação para muitas Testemunhas que, por algum motivo, desconhecem os caminhos, sejam espirituais, sejam psicológicos, para se desvincularem da Organização.

Com postagens diárias, O Ancião aborda diversos assuntos relacionados à Organização Torre de Vigia como doutrinas, notícias polêmicas e relatos de membros ativos e desvinculados. A vasta experiência obtida como Testemunha de Jeová aliada à sua formação como mestre em Teologia, fornece-lhe o arcabouço necessário para uma desconstrução técnica e lúcida da programação neurolinguística implantada pela Organização sobre as mentes de seus membros.

Mantido por doações voluntárias de boa parte dos seguidores do canal, O Ancião se desdobra para administrá-lo e com frequência lembra aos seus espectadores da necessidade de colaboração visto que os resultados têm sido expressivos, considerando o número cada vez crescente de pessoas se libertando do domínio escravocrata imposto pela Sociedade Torre de Vigia.

Com um trabalho excepcional realizado na mídia virtual, Edson, tem sido referência entre a comunidade de ex-membros da Organização Torre de Vigia. No fórum Testemunhas de Jeová em Foco, por exemplo, menciona-se que "Em seu canal, ele tem argumentado abertamente contra a Torre de Vigia, e provando seus argumentos com referências às próprias publicações deles".[26] No artigo "Risco de morte: Justiça libera transfusão de sangue em filho de testemunhas de Jeová" publicado por Thais Rosa cujo conteúdo aborda a liberação, por parte da Justiça do Estado de São Paulo, de transfusão de sangue em filho de Testemunha de Jeová que fora impedido de receber transfusão em razão da "mãe da criança [ter] assinado um documento confirmando que não autorizava o procedimento" mesmo sabendo dos riscos de morte, o "Canal do Youtube com o ancião Edson Reis" é mencionado como sendo um "defensor da verdade, o direito à vida e principalmente o amor de Jesus Cristo",[27] temas constantemente martelados em contrapartida às doutrinas da Organização através do canal do Ancião. Já no Programa Vejam Só, veiculado pela Rit TV de São Paulo, no dia 14 de agosto de 2018, o Pastor Edson Reis foi convidado para participar de um debate discorrido sobre "quem seriam as ovelhas de Mateus 25 que Jesus encontraria aqui no seu retorno". Sobre sua participação no programa, Edson foi laudável ao dissertar hermeneuticamente a contextualização do capítulo 25 do Evangelho de Mateus.

Ministério Evangélico[editar]

Pastor Edson Reis em sua evangelização

Em paralelo à sua atuação na Internet, Edson, tem recorrido ao campo físico para apresentar Jesus da maneira biblicamente aceitável. A igreja Elim Pentecostal Brasil da cidade de Hortolândia, Estado de São Paulo, Brasil, tem sido a ferramenta pela qual o Pastor Edson ministra palestras evangélicas. Em muitos de seus sermões, é comum O Ancião fazer citações das doutrinas de sua anterior filiação religiosa. De maneira simplificada, o objetivo dessas abordagens, em partes, está relacionado com o que servira de inspiração no livro de Raymond Franz em relação à obrigação moral de advertir as pessoas sobre o perigo das heresias difundidas por religiões e seitas. Como mestre em Teologia, o Pastor Edson Reis tem realizado esta tarefa com técnica e denodo visando a qualidade do ensino da Palavra de Deus. Sua preocupação em direcionar seus ouvintes a Cristo em detrimento a alguma denominação religiosa, vem sendo a premissa de sua missão como ministro evangélico. Fato melhor compreendido e hoje aplicado após anos de associação com um sistema sectário o qual direciona seus membros a se condicionarem a uma instituição humana como meio de obtenção de suas salvações.

Publicações[editar]

Outra ferramenta pela qual O Ancião tem difundido conhecimentos teológicos e, ao mesmo tempo, desconstruído as doutrinas não condizentes com a Bíblia da Organização das Testemunhas de Jeová, é a obra de sua autoria Pregando para Pregadores, muito divulgada no meio evangélico do Brasil e países africanos de língua portuguesa. Sobre a obra, O Ancião:

“traz uma contribuição ímpar à apologética heresiológica brasileira, por conter não somente comentários que refutam as principais doutrinas das testemunhas de Jeová, mas também uma análise de dentro da organização, a partir do ponto de vista de um ex-ancião. As refutações são solidamente embasadas numa análise profunda dos temas, e os assuntos tratados são os mais recorrentes num diálogo com as testemunhas de Jeová, evitando assim informações que não sejam relevantes no diálogo que vise à evangelização desse grupo não alcançado pelo amor”.

Junto a um grupo de cristãos, Edson Reis tem contribuído para a publicação mensal da revista Defesa Cristã. Como Editor-chefe, O Ancião e seu grupo têm disponibilizado seus conhecimentos para:

“incansavelmente [apresentar] ao povo de Deus os melhores temas para o crescimento espiritual através da revista, não apenas através deste meio de informação, mas também através de temas sugeridos pelas grandes editoras que [têm] o prazer de compartilhar material de altíssima qualidade para o povo cristão”.

Tanto no seu livro, quanto na revista que administra, Edson, cuida para não deixar passar desapercebidos os equívocos intencionais característicos das doutrinas de sua religião de origem. Para Edson, "expor as doutrinas antibíblicas da Organização das Testemunhas de Jeová é um trabalho que ele realiza com prazer e de maneira incansável". Suas ferramentas têm sido de grande ajuda para a desprogramação sectária de centenas de membros das Testemunhas de Jeová assim como pessoas que não foram atraídas por elas.

Referências[editar]

  1. JW.ORG, revista A Sentinela (15 de junho de 2004). «Perguntas dos Leitores». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 27 de maio de 2019 
  2. JW.ORG, revista A Sentinela (15 de setembro de 1983). «Poderá viver para sempre no paraíso na terra — mas como?». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 3 de junho de 2019 
  3. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de outubro de 1994). «A Bíblia: um livro destinado a ser entendido». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  4. TOWER, WATCH (2015). Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. Wallkill: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. 980 páginas 
  5. TOWER, WATCH (1968). Verdade que Conduz à Vida Eterna. New York: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF PENNSYLVANIA. 13 páginas 
  6. TOWER, WATCH (2015). Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. Wallkill: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. 1518 páginas 
  7. JW.ORG, revista A Sentinela. «Perguntas dos Leitores». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados 
  8. JW.ORG, livro Segurança Mundial Sob o Príncipe da Paz (17 de abril de 1986). «Capítulo 1: O desejo de paz e segurança mundiais». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. p. 4-12. Consultado em 4 de junho de 2019 
  9. TOWER, WATCH (2015). Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. Wallkill: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. 1644 páginas 
  10. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de outubro de 1984). «1914 um ano marcado — por quê?». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 4 de junho de 2019 
  11. HUB, BIBLE (1 de janeiro de 2004). «1799. enópio». Bible Hub. Consultado em 5 de junho de 2019 
  12. JW.ORG, revista A Sentinela (15 de dezembro de 1981). «Como encarar a desassociação». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  13. SORIANO, MONICA (31 de julho de 2017). «As ex-testemunhas de Jeová rejeitadas pelas próprias famílias». BBC NEWS BRASIL. Consultado em 5 de junho de 2019 
  14. TOWER, WATCH (2015). Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. Wallkill: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. 1349 páginas 
  15. TOWER, WATCH (1886). The Divine Plan of The Ages. New York: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. pp. 13–76 
  16. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de outubro de 2000). «Servimos junto com o vigia». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  17. TOWER, WATCH (1993). Testemunhas de Jeová Proclamadores do Reino de Deus. New York: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. pp. 161–162 
  18. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de maio de 1996). «Pagamos a César as coisas de César». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  19. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de junho de 1968). «Perguntas dos Leitores». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  20. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de setembro de 1980). «Perguntas dos Leitores». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  21. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de maio de 2007). «Perguntas dos Leitores». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  22. JW.ORG, revista A Sentinela (1 de janeiro de 1990). «Os Proclamadores do Reino Relatam: "Fervorosos de espírito" no México». wol.jw.org. Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados. Consultado em 5 de junho de 2019 
  23. TOWER, WATCH (1938). Face The Facts. Londres: WATCHTOWER BIBLE AND TRACT SOCIETY OF NEW YORK, INC. 3 páginas 
  24. FRANZ, RAYMOND (1983). Crise de Cosnciência. Atlanta: Commentary Press. 420 páginas 
  25. OLOF JONSSON, CARL (1983). Os Tempos dos Gentios Reconsiderados. Atlanta: Commentary Press. 12 páginas 
  26. WAKE UP, ADRIANO (20 de agosto de 2017). «Testemunhas de Jeová Reformadas: Notícias». extestemunhasdejeova.net. Consultado em 28 de maio de 2019 
  27. ROSA, TALITA (27 de abril de 2018). «Risco de morte: Justiça libera transfusão de sangue em filho de testemunhas de Jeová». Amo Direito. Consultado em 28 de maio de 2019 


Este artigo "Edson Reis (O Ancião)" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Edson Reis (O Ancião).