Welcome to EverybodyWiki ! Nuvola apps kgpg.png Sign in or create an account to improve, watchlist or create an article like a company page or a bio (yours ?)...

Eloy Martins

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Eloy Martins
Vereador de Porto Alegre
Período de 1947

até 1951 (uma legislatura)

Dados pessoais
Nome completo Eloy Martins
Nascimento 1 de dezembro de 1911
Laguna, Santa Catarina, Brasil
Morte 8 de outubro de 2005 (93 anos)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Nacionalidade brasileiro
Progenitores Mãe: Maura Brasil Martins
Pai: Saturnino Martins
Partido Partido Comunista Brasileiro (1930-1985)
Religião Ateu
Ocupação Metalúrgico

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Eloy Martins (Laguna, 1 de Dezembro de 1911 – Porto Alegre, 8 de Outubro 2005) foi um metalúrgico, militante e dirigente comunista do Partido Comunista Brasileiro. Foi vereador de Porto Alegre de 1947 a 1951, na ocasião, eleito pelo Partido Social Progressista, em vista da recente cassação do Partido Comunista. Perseguido pelos governos de Getúlio Vargas e Eurico Gaspar Dutra, foi também perseguido, sequestrado, preso e torturado pela Ditadura Militar, entre os anos 1971 e 1976. Entre as décadas de 1980 e 2000, lança livros de memória sobre o cárcere, a militância e a construção do movimento operário em Porto Alegre, Rio Grande do Sul e Brasil. Morre em 2005, aos 93 anos, na capital gaúcha.

Sua trajetória é de recorrente estudo por parte de historiadores do movimento operário e comunista, visto sua importância como dirigente e figura destacada nos bastidores do PCB, desde o estabelecimento do partido no período Vargas, durante o período democrático e durante a ditadura militar. Eloy Martins é, junto a nomes como Luiz Carlos Prestes, Jacob Gorender, Carlos Marighella, dentre outros, figura destacada da política regional e nacional.[1][2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Eloy Martins nasce em Laguna em 1911 e muito jovem migra com a família para Porto Alegre. O impacto que a Revolução Russa teve em Eloy Martins, durante a constituição do estado soviético são imprescindíveis, identificando-se nos comunistas brasileiros e suas organizações.[5] Em 1928, liga-se ao Bloco Operário e Camponês (o BOC). Em seguida, em 1933, filia-se ao Partido Comunista. É um dos responsáveis pela manutenção de diversas entidades de classe de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul à época, como a Federação Operária do Rio Grande do Sul (a FORGS). Sendo da primeira geração de comunistas a partir da implementação da CLT, o que implicou em mudanças no movimento, frente ao sindicalismo de estado.[6]

Em 1950, em Rio Grande, sua prisão, após greves e protestos, causa forte campanha pela sua liberdade, lançando manifesto, intitulado Manifesto ao Povo Gaúcho, assinado por advogados, profissionais liberais e entidades de classe.[7]

Período Democrático[editar | editar código-fonte]

Elege-se vereador em 1947, pelo Partido Social Progressista, mantendo o cargo até o fim da legislatura, em 1951. Foi sequestrado pela polícia em 1950, no Rio de Janeiro, durante o governo de Eurico Dutra. Durante a Ditadura Militar (1964-1985), foi preso e torturado diversas vezes.

Eloy Martins possui trajetória de destaque no movimento operário porto-alegrense, gaúcho e nacional. Sua participação em campanhas como na redemocratização do Brasil em 1945 e pela legalidade do PCB é de suma importância para a cena gaúcha e nacional, ao lado de nomes como Dyonélio Machado.[8]

Ditadura Militar[editar | editar código-fonte]

Dirigente do PCB no final dos anos 1960, Eloy Martins estabelece-se como figura de contrabalanço entre as teses de luta armada e resistência pacífica perante o recrudescimento do regime militar.[9] Perde seus direitos políticos e ganha sentença de prisão já em 1966, junto com outros dirigentes do partido à época, como Luiz Carlos Prestes, Maurício Grabois, Zuleika Alambert, Jacob Gorender.[10] Entre os anos 1971 e 1976 é encarcerado pela Ditadura Militar a partir da Lei de Segurança Nacional, através da Operação Bandeirantes (OBAN), severamente torturado no DOPS de São Paulo e de Porto Alegre.[11] Seu caso ganhou lugar no Segundo Volume da Comissão Nacional da Verdade, publicado em Dezembro de 2014.[12] O Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul mantém sua documentação armazenada, aberta em fins dos anos 1990, referente ao processo de indenização. No arquivo, encontram-se documentos de sua prisão, datando de Junho de 1971 a Novembro de 1973, quando foi diversas vezes movido de local, indo de São Paulo a Porto Alegre, onde foi preso na Ilha do Presídio e no Presídio Central de Porto Alegre, além de também permanecer em prisão domiciliar até Dezembro de 1974.[13]

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

Nos últimos anos de vida, após o lançamento de seus livros, foi homenageado diversas vezes por nomes da política gaúcha[14]

Seus escritos pós-abertura integram uma onda de biografias e memórias editadas e publicadas no Brasil, abarcando desde a "Era Vargas" até a Ditadura Militar.[15][16] Foi também responsável por extensas entrevistas para historiadores, no estabelecimento de arquivos e pesquisas acadêmicas sobre os quase setenta anos de envolvimento político no Brasil.[17][18]

Reconhecimento e Legado[editar | editar código-fonte]

Em 28 de março de 1989, Eloy Martins recebe das mãos do então Prefeito Olívio Dutra a Medalha Cidade de Porto Alegre, durante as comemorações da 30ª Semana da Cidade. Em 1996, por iniciativa do Vereador Raul Carrion, Eloy Martins recebe o título honorífico de Cidadão de Porto Alegre. Finalmente, em 2006, após sua morte, Raul Carrion, Carlos Todeschini e Manuela d'Ávila protocolaram projeto de lei para nomear uma rua de Porto Alegre com seu nome. A placa deve, segundo a lei, contar com os dizeres "Metalúrgico, Vereador e Dirigente Comunista".[19][20]

No Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul (APERS), um projeto de extensão conta, desde 2013, com a oficina Resistência em Arquivo: Patrimônio, Ditadura e Direitos Humanos, em que utiliza-se documentos da repressão para contar as histórias de vida de militantes políticos durante os anos da Ditadura Militar. Além de nomes como Alcides Kitzmann, Cláudio Gutierrez, Emílio Neme, Ignez Serpa e Nilce Azevedo Cardoso, encontra-se, também, o de Eloy Martins.[21][22][23]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • Tempo de Cárcere (1981)
  • Um depoimento político - 55 Anos de PCB - Memórias de um Metalúrgico (1989)
  • Repensando a História - Do Século XX ao XXI (2001)

Referências

  1. Magalhães, Mário. Marighella: O guerrilheiro que incendiou o mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012. ISBN 9788580864717
  2. French, John D. Drowning in Laws: Labor Law and Brazilian Political Culture. North Carolina Press, 2004. ISBN 0807828572
  3. Quadros, Carlos. Jacob Gorender, um militante comunista: estudo de uma trajetória política e intelectual no marxismo brasileiro (1923-1970). Dissertação de Mestrado. São Paulo: USP, 2015. DOI 10.11606/D.8.2016.tde-11042016-120612
  4. Marçal, João Batista. Comunistas Gaúchos. Porto Alegre: Tchê Editora, 1986
  5. https://anpocs.com/index.php/ciencias-sociais/eventos-e-cursos/1737-a-influencia-da-revolucao-russa-na-trajetoria-de-um-metalurgico-negro
  6. French, John D. Drowning in Laws: Labor Law and Brazilian Political Culture. North Carolina Press, 2004. ISBN 0807828572
  7. Segundo, Mário Augusto. Protesto operário, repressão policial e anticomunismo (Rio Grande 1949, 1950 e 1952). Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: UFRGS. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/18346
  8. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/10916/000602864.pdf?sequence=1&isAllowed=y
  9. Quadros, Carlos. Jacob Gorender, um militante comunista: estudo de uma trajetória política e intelectual no marxismo brasileiro (1923-1970). Dissertação de Mestrado. São Paulo: USP, 2015. DOI 10.11606/D.8.2016.tde-11042016-120612
  10. http://almanaque.folha.uol.com.br/brasil_07jun1966.htm
  11. Marçal, João Batista. Comunistas Gaúchos. Porto Alegre: Tchê Editora, 1986
  12. http://cnv.memoriasreveladas.gov.br/images/pdf/relatorio/volume_2_digital.pdf
  13. http://www.apers.rs.gov.br/arquivos/1421925176.Livro_Resistencia_em_Arquivo_I.pdf
  14. http://www.camarapoa.rs.gov.br/draco/processos/81844/056502006PLL.pdf
  15. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/31495/000253660.pdf?sequence=1
  16. Martins, Marisângela. À esquerda de seu tempo: Escritores e o Partido Comunista do Brasil (Porto Alegre – 1927-1957). São Paulo: Edições Verona, 2014. ISBN 9788567476063
  17. https://seer.ufrgs.br/anos90/article/view/6397/3839
  18. Fortes, Alexandre. Na luta por direitos: estudos recentes em história social do trabalho. São Paulo: Unicamp, 1999. ISBN 9788526804609
  19. http://www.camarapoa.rs.gov.br/processos/81844
  20. http://www.camarapoa.rs.gov.br/draco/processos/81844/056502006PLL.pdf
  21. https://arquivopublicors.wordpress.com/2013/11/13/oficina-resistencia-em-arquivo-lancamento-de-homenagens-e-emocoes/
  22. https://estado.rs.gov.br/ditadura-e-tema-de-oficina-lancada-pelo-arquivo-publico-do-rio-grande-do-sul
  23. Estacheski, Dulcelio; Crema, Everton; Neto, José Maria; Bueno, André. Jardim de Histórias: discussões e experiências em aprendizagem histórica. Rio de Janeiro: Sobre Ontens, 2017. ISBN 9788565996471



Outros artigos dos temas Biografias E PolíticaAlayr Moreira Dias, Edvan Brandão de Farias, Paulo Fumio Tokuzumi, José de Amorim Pereira, José Nassif Mokarzel, Mário Itálico Tumelero, Francisco Guerreiro

Outros artigos dos temas Biografias E Rio Grande do SulItálico Tumelero, Matheus Hanauer Bertotto, Álvaro Santestevan, Mário Itálico Tumelero, Alcione Sortica, Heino Willy Kude, Isadora Pompeo

Outros artigos dos temas Política E Rio Grande do SulSérgio Monteiro, Itálico Tumelero, Mário Itálico Tumelero

Outros artigos do tema Biografias : Marcos Paulo Costa do Nascimento, Alceu Costa Filho, Tales de Sá Cavalcante, Jhonata Diniz, Francisco Gomes de Matos, Paulo Henrique Amorim, Armando Fernandes de Oliveira

Outros artigos do tema Política : Dinis Antônio Pinheiro, Pedro Marques de Almeida, Enéas Eugênio Pereira Faria, Kleber Lago, Protestos contra Jair Bolsonaro, Primeiro Secretário da Câmara dos Deputados do Brasil, Listas de deputados estaduais do Brasil

Outros artigos do tema Rio Grande do Sul : Estádio Engenheiro José Antônio Dumacel, Lista de vice-prefeitos de Três de Maio, Promorar (Cachoeira do Sul), Estádio Astrogildo Silveira Machado, Sérgio Monteiro, David Coimbra, Isadora Pompeo

Outros artigos do tema Brasil : Praia de Barra do Sirinhaém, Alceu Costa Filho, Cine São José, !Predefinições sobre política do Brasil, Paróquia São Pedro (Sapucaia do Sul), URSAL, Associação Brasileira de Televisão Universitária

Outros artigos do tema História : Olivette Otele, Anos de chumbo (Brasil), História do Brasil, Década de 2010, Terceira Revolução Industrial, Categoria:História do Brasil, Sérgio Monteiro


Este artigo "Eloy Martins" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Eloy Martins.


Compte Twitter EverybodyWiki Follow us on https://twitter.com/EverybodyWiki !