Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Escola Estadual Judith Vianna

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2020). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A Escola Estadual Judith Vianna é uma escola pública situada em Alfenas, no sul de Minas Gerais.

História[editar]

A Escola Judith Vianna nasceu sob o signo da arte, sob a inspiração do trabalho e da beleza. Criada inicialmente como Curso Complementar, a Escola Judith Vianna foi idealizada para desenvolver o talento dos jovens e garantir à juventude independência para realizar seus sonhos. A escola foi sonhada e teve como origem a Exposição de Artes, Ofícios e Artesanato realizada em Alfenas e que a Senhora Zita Engel Ayer, sua promotora, levou para Belo Horizonte, por ocasião do aniversário do então governador José de Magalhães Pinto, com objetivo de homenageá-lo, agradecendo os benefícios prestados à Alfenas. Zita Engel quis mostrar ao povo da capital como é Alfenas, onde é Alfenas e o que se faz em Alfenas, afirmava reportagem no jornal O Alfenense.

A mostra de arte de Alfenas em Belo Horizonte foi instalada no saguão da Biblioteca Pública, na Praça da Liberdade, apresentando 116 peças e objetos, de diferentes técnicas, de variadas origens, feito por diversas mãos - de crianças e adultos. Uma exposição de rico acervo fotográfico demonstrou, no dizer dos coordenadores da exposição, o elevado preço que Alfenas pagou pelo seu desenvolvimento com uma vasta área de suas melhores culturas inundadas pelas águas de Furnas.

A exposição de Arte, Ofícios e Artesanato foi um grande sucesso. Foi nesta exposição que a Professora Aspásia Vianna Vieira Ayer, alfenense, na época diretora do Instituto de Educação, assessora do Governo Estadual, e do Plano Nacional de Educação, do Ministério da Educação, responsável pela implantação do Projeto Escolas para a Comunidade, encontrou-se com a Professora Dora Parma, então Superintendente do programa relativo aos Cursos Complementares, que ficou entusiasmada com o que viu na exposição. "Diante do teu entusiasmo soprou-me o Espírito Santo a inspiração que veio logo transformada em palavras: Diante do que você está vendo, Dora, dê-nos um Curso Complementar para Alfenas para aproveitar toda essa mão-de-obra no desenvolvimento das nossas crianças", relata Aspásia Vianna Vieira Ayer, em seu livro "A educação em Alfenas nos anos 60 e 70". [1]

O desejo da Professora Aspásia foi atendido. No dia seguinte ela já estava reunida com a Professora Dora na Secretaria de Educação para elaborar o projeto.

O curso complementar decorre de um artigo da Lei de Diretrizes e Bases, onde se procura resolver o problema do chamado "hiato nocivo", dando às crianças, entre 11 e 14 anos, um estudo preparatório do ginasial e um trabalho que não é propriamente profissional, mas que não deixa de ser uma iniciação profissional, com a finalidade de dar às crianças uma ocupação útil que mais tarde pode ser aproveitada por aqueles que não podem continuar os estudos secundários ou superiores.

O curso complementar equivalia ao primeiro ano ginasial de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases e tinha no currículo matérias de cultura e relativas às Artes Industriais, ou Técnicas Industriais como marcenaria, eletricidade, encadernação, trabalhos em metais, confecção, corte e costura, alfaiataria, tecelagem, tapeçaria e sapataria. Terminando o complementar, o aluno automaticamente iria para a segunda série ginesial. Em pouco tempo, junho de 1965, foi feita a instalação inicial do Curso Complementar como anexo do Grupo Professor Vianna, escola que havia sido criada a poucos meses também pela Professora Aspásia Vianna Vieira Ayer. A diretora do grupo, Dona Tereza Carvalho, alugou uma casa modesta numa rua modesta e modestamente instalou ali o Curso Complementar. Tudo era muito simples e improvisado. "Alunos, material de trabalho e máquinas (na maioria emprestadas) não cabiam juntos nos pequenos cômodos. As crianças então levavam todas as manhãs as máquinas para o passeio da escola, na rua, e ali se assentavam, e suas cadeiras nos banquinhos e aquelas pequeninas mãos de criança operavam o milagre do fazer. Era uma verdadeira Casa dos Milagres, conta Aspásia em seu livro [1]. Em 20 de setembro de 1965 foram realizadas as solenidades oficiais da instalação do Curso Complementar, anexo ao Grupo Escolas Professor Vianna, oferecendo cursos e trabalhos de oficinas nas seguintes técnicas: datilografia, carpintaria, confecção - abrangendo corte e costura, tricô, crochet e bordado".

À solenidade estiveram presentes o Dr. Silvestre Freire de Andrade, Assessor Jurídico do Plano Nacional de Educação; Professora Lourdes Ferreira, representando a Professora Dora Parma, Superintendente dos Cursos Complementares; Sr. Adolpho Engel, empresário e político alfenense; o Sr. Vigário da Paróquia de N.S.Aparecida, Padre José Grimminck; a Professora Aspásia Vianna Vieira Ayer, Inspetora Federal de Ensino; Professora Teresa Carvalho, Diretora do Grupo Professor Vianna e do Curso Complementar anexo; professores e professoras da Escola Professor Vianna e do Curso Complementar; alunos e professoras dos outros estabelecimentos de ensino da cidade. No dia 21 de janeiro de 1966, em virtude de dispositivos regulamentares, o Curso Complementar anexo ao Grupo Escolar Professor Vianna tornou-se autônomo e recebeu o nome da Professora Judith Vianna, pelo Decreto no. 9.487, de 25 de janeiro de 1966, com a denominação de Curso Complementar de Artes Industriais, Judith Vianna de Alfenas. A Professora Oneida Iunes foi sua primeira diretora. Dia 8 de julho de 1968 foi realizada a solenidade de lançamento da Pedra Fundamental da construção do prédio do Curso Complementar Judith Vianna, em grande evento, com a presença de muitas autoridades, entre elas: o Ministro da Educação, o Deputado Pedro Aleixo, o engenheiro Oswaldo Andrade, executor no Estado, do Plano Nacional de Educação, Adolpho Engel, Aspásia Vianna Vieira Ayer, o Prefeito Samuel de Vilhena Valadão, vereadores Aristides Vieira de Sousa, e Zita Engel Ayer, o Deputado Manoel Taveira, diretoras e professores dos estabelecimentos de ensino, alunos das escolas e diversos representantes da comunidade.

Em 11 de dezembro de 1966, forma-se a primeira turmo do Curso Complementar Judith Vianna, cuja paraninfa foi a Professora Aspásia Vianna Vieira Ayer.


Este artigo "Escola Estadual Judith Vianna" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Escola Estadual Judith Vianna.

  1. 1,0 1,1 VIANNA, Aspásia, A Educação em Alfenas nas décadas de 60 e 70, 1991