Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Etnografia digital

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Etnografia digital é uma metodologia de pesquisa que usa os conceitos da etnografia tradicional no ambiente virtual. A observação científica dos espaços digitais (blogs, sites, redes de relacionamentos, etc.) para coleta de dados deve obedecer aos mesmos critérios da metodologia de pesquisa etnográfica tradicional. Um diferencial da etnografia digital para a etnografia tradicional está na possibilidade da coleta de dados poder ser realizada a distância do sítio onde está o produtor da informação e no momento que o pesquisador achar pertinente.

Introdução[editar]

O estudo tradicional da etnografia observa as interações entre indivíduos que são co-localizados. Etnografias de culturas e comunidades on-line estendem o estudo etnográfico a ambientes em que as interações são mediadas tecnologicamente, e não presencialmente. A cetetnografia, portanto, trata das limitações da noção tradicional de um campo como um espaço localizado. Ele também entende que comunidades online pode criar uma cultura compartilhada por meio de interações mediadas digitalmente. Embora a afirmação de que o trabalho de campo etnográfico possa ser aplicado significativamente a interações mediadas por computador tenha sido contestada,[1] está cada vez mais sendo aceito.[2]

Como outros pesquisadores da Internet, ciber-etnógrafos como Sandy Stone (artista) Sandy Stone e Sherry Turkle observaram que os participantes de comunidades on-line realizam performances sociais que podem divergir dramaticamente a partir de suas personas offline.[3] Isso levou à ideia de que as identidades online podem ser segmentadas das offline. A etnografia cibernética era vista como um novo tipo de metodologia que poderia descobrir como a Internet mudaria radicalmente a sociedade. No entanto, à medida que a internet alcançava o mainstream e os ciber-etnógrafos buscavam legitimidade, a ciber-etnografia foi reformulada como adaptação dos métodos tradicionais a um novo contexto. Compreender o grau em que desempenhos divergentes nas configurações online e offline refletem uma segmentação de identidade ou uma identidade contínua executada diferentemente em diferentes contextos continua sendo uma consideração importante para os etnógrafos cibernéticos.[3] Muitos outros aspectos da interação on-line, mediada por computador ou virtual, e formação da comunidade são distintos de suas contrapartes pessoalmente, na vida real ou face a face. De importância central é que muitas interações nas comunidades online são textuais.[3]

O caráter e o nível de acesso disponível para pesquisadores de comunidades on-line também são específicos da ciberetnografia. Enquanto as interações cara a cara são efêmeras à medida que ocorrem, as interações sociais on-line são frequentemente salvas e arquivadas automaticamente, criando registros precisos permanentes. Além disso, as distinções entre espaços públicos e privados geralmente não são claras nas comunidades online.[3]

A cyber-etnografia se desenvolveu significativamente com o surgimento de novas tecnologias. Quase desde o início, alguns pesquisadores agiram como [lurker]] e conduziram estudos puramente observacionais de culturas e comunidades online, em vez de como participant observator em uma comunidade online.[4] Essa abordagem foi criticada por estudiosos que argumentam que os pesquisadores devem participar plenamente como membros da comunidade online.[5][6] Esses estudiosos valorizam os padrões etnográficos tradicionais de observação participante, envolvimento prolongado e imersão profunda. A cetetnografia, como a etnografia tradicional, muitas vezes visa produzir uma descrição grossa[7] that can help an outsider understand the meaning of behavior in a culture or community.[8][9]

A gama de metodologias[editar]

Os etnógrafos abordaram o estudo da Internet de várias maneiras diferentes. Uma variedade de termos refere-se a várias formulações de abordagens metodológicas para a ciberetnografia. Muitos deles buscam manter seu próprio diálogo com a tradição estabelecida da etnografia. Cada um deles formula sua relação com a tradição antropológica estabelecida de maneiras diferentes (e às vezes inconsistentes). Alguns pensam que as etnografias realizadas on-line envolvem uma abordagem metodológica distinta. Outros pensam que a ciberetnografia não é uma forma distinta de etnografia, embora pesquisar etnograficamente na Internet nos obriga a refletir sobre suposições e conceitos fundamentais da etnografia.[10]

Referências

  1. Clifford, J. (1997). Spatial Practices: Fieldwork, Travel, and the Discipline of Anthropology. In A. Gupta & J. Ferguson (Eds.) Anthropological Locations: Boundaries and Grounds of a Field Science. Berkeley, CA: University of California Press, 185-222.
  2. Garcia; Cora, Angela; Standlee, Alecea I.; Bechkoff, Jennifer; Cui, Yan (2009). «Ethnographic Approaches to the Internet and Computer-Mediated Communication». Journal of Contemporary Ethnography. 38 (1): 52–84. doi:10.1177/0891241607310839 
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 Robinson, L., & Schulz, J., "New fieldsites, new methods: New ethnographic opportunities," Ch. 8 In The Handbook of Emergent Technologies in Social Research.
  4. Del Fresno, Miguel (2011) Netnografía. Investigación, análisis e intervención social. Editorial UOC, 1ª edición, Barcelona, España
  5. Bell, D. (2001). An introduction to cyberculture. New York: Routledge
  6. Miller, D., and Slater, D. (2000). The Internet: An ethnographic approach. Oxford; New York: Berg.
  7. Geertz, Clifford (1973). The Interpretation of Cultures. New York: Basic Books 
  8. Hine, Christine (2000). Virtual Ethnography. London: Sage 
  9. Markham, Anette (1998). Life Online: Researching Real Experience in Virtual Space. [S.l.]: AltaMira Press 
  10. Domínguez, Daniel; Beaulieu, Anne; Estalella, Adolfo; Gómez, Edgar; Schnettler, Bernt; Read, Rosie (2007). «Virtual Ethnography». Forum Qualitative Sozialforschung / Forum Qualitative Social Research. 8: 3 

Leitura complementar[editar]

Ligações externas[editar]


Este artigo "Etnografia digital" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Etnografia digital.