Grupamento de Remoção Hospitalar

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Grupamento de Remoção Hospitalar
Erro Lua em package.lua na linha 80: module 'Módulo:Wikidata/i18n/Testes' not found.
Brasão
País  Brasil
Estado  Rio de Janeiro
Corporação Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro
Subordinação Diretoria Geral de Saúde
Sigla GRH
Criação 1995
Aniversários 20 de fevereiro
Sede
Sede Rio de Janeiro
Bairro Estácio
Endereço Avenida Salvador de Sá, s/n

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

O Grupamento de Ações Pré-Hospitalares antigo Grupamento Especial de Salvamento e Ações de Resgate (GESAR) é uma organização policial-militar da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, sendo sua única unidade voltada para o serviço de apoio médico e ao salvamento e resgate de feridos em combate.

Foi criada, inicialmente, como Grupamento Paramédico de Apoio Operacional - Resgate e Salvamento (GPAO-RS), Subordinada à Diretoria Geral de Saúde (DGS), sua sede situa-se no Regimento Marechal Caetano de Farias, um dos quartéis mais antigos da corporação, no bairro do Estácio na área central da cidade do Rio de Janeiro, e tem como área de atuação todo o estado do Rio de Janeiro. Era formada, naquela altura, por militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais que receberam formação para tal emprego em emergências paramédicas em áreas de risco.

No ano de 1999 foi regularizado, pela Diretoria Geral de Instrução e Ensino, o Curso de Especialização em Pronto-Socorrismo (CEPS), com duração de 14 semanas, e que tem como objetivo formar o profissional que será o futuro integrante do Grupamento. O CEPS já ocorreu em cinco oportunidades, respectivamente nos anos de 1999, 2001, 2003, 2006 e 2008 sempre no período de estiagem, com objetivo de facilitar os treinamentos de uma forma geral, e mais especificamente os de salvamento em altura.

Em 15 de agosto de 2006, foi criado o Subgrupamento da Zona Oeste (base alfa), com sede no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças, visando priorizar os atendimentos das Unidades localizadas na Zona Oeste do Município do Rio de Janeiro, sendo disponibilizado uma viatura ambulância básica e o efetivo de seis policiais-militares, atualmente esta base já conta com uma viatura UTI. Em 6 de dezembro do mesmo ano, e concretizando um antigo sonho do Grupamento, foi inaugurado o Subgrupamento de Niterói (base bravo), que conta com efetivo de seis policiais-militares e uma viatura tipo ambulância básica, para o atendimento das OPM da região de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Região dos Lagos, hoje também esta Base já dispõe de uma viatura tipo UTI.

Naquela mesma data, 6 de dezembro de 2006, o Grupamento passou a se chamar de Grupamento Especial de Salvamento e Ações de Resgate (GESAR), conforme publicação em Bol PM nº. 218. Em 27 de agosto de 2009, foi inaugurado o Subgrupamento de Campo Grande (Base Charlie), localizado no Regimento Coronel Enyr Cony dos Santos, e que dispõe de uma viatura UTI e de nove policiais-militares em regime de 24 horas.

Hoje o GESAR conta com nove ambulâncias tipo UTI móvel e duas do tipo básicas, duas motocicletas, uma viatura operacional, além de um trailer para atendimento médico. Seu efetivo total é de 78 integrantes, compostos de 6 oficiais, 11 subtenentes e sargentos, e 61 cabos e soldados, policiais militares estes especializados em atendimento pré-hospitalar tático, busca e salvamento, salvamento aquático, salvamento em áreas de difícil acesso, montanha, ações táticas, paraquedistas militares, mergulhadores, mestre arrais, enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliar de enfermagem, bem como parte do efetivo pertence ao quadro da Força Nacional de Segurança Pública, com vasta experiência como efetivo, instrutores e monitores.

O GESAR funciona em regime de 24 horas, sempre em condições de pronto-atendimento, seu objetivo é o socorro médico de urgência a policiais-militares e seus dependentes. comumente empregado em eventos da Corporação onde haja grande concentração de público interno, a fim de prover os primeiros-socorros em caso de necessidade. Esporadicamente é utilizado em apoio às missões de combate e no resgate a policiais-militares feridos em ação. Cabe salientar que o GESAR deve sempre ser acionado preventivamente em operações, em áreas de riscos e em ocorrências que envolvam reféns.

No final de 2011 a unidade teve sua denominação modificada para Grupamento de Remoção Hospitalar, porém sem comprometer em suas ações já pré-estabelecidas anteriormente.

Já em 2015 com um novo comandante médico, a unidade passou a ser denominado, pela Instrução Normativa da DGS, de Grupamento de Ações Pré-Hospitalares (GAPH).

Ligações externas[editar]

Portal
A Wikipédia possui o
Portal da Segurança do Brasil

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

  • Portal do Rio de Janeiro



Outros artigos do tema Rio de Janeiro : Linha Manhuaçu da EFL, Ronaldo Nazário, Otávio Avancini, Rodrigo de Jesus Sá Teixeira, Irmãos Aguiar, Vragel da Silva, Diogo Orlando



📰 Article(s) of the same category(ies)[editar]

Este artigo "Grupamento de Remoção Hospitalar" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Grupamento de Remoção Hospitalar.