You can edit almost every page by Creating an account. Otherwise, see the FAQ.

Hip hop

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki

Hip hop
Origens estilísticas
Contexto cultural década de 1970, Bronx, cidade de Nova York
Instrumentos típicos Toca-discos, sintetizador, vocal, caixa de ritmos, sampler, beatbox
Popularidade Desde o final dos anos 1980, nos Estados Unidos e no resto do mundo, na década de 1990. Em alta no início de década de 2000.
Formas derivadas
Subgêneros
Gêneros de fusão
Outros tópicos
Breakdance, grafite, MC, Beatbox

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

A música hip hop, também conhecido como rap,[3][4] é um gênero de música popular desenvolvido nos Estados Unidos por afro-americanos e latino-americanos no bairro do Bronx em Nova York na década de 1970. Consiste em uma música rítmica estilizada que comumente acompanha o rap, uma fala rítmica e rimada que é cantada.[5] A cultura hip hop foi iniciada nas comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque.[6] O DJ Afrika Bambaataa estabeleceu os pilares essenciais da cultura Hip-Hop: o rap, o DJing, breakdance e o graffiti,[7] outros elementos incluem a moda hip hop e gírias.[8]

Desde quando surgiu primeiramente na região Sul do Bronx, a cultura hip hop se espalhou por todo o mundo.[9] No momento em que o hip hop surgiu, a base concentrava-se nos disc jockeys que criavam batidas rítmicas chamadas "loop" (pequenos trechos de música em repetições contínuas)[10] em dois turntables, que atualmente é referido como sampling. Posteriormente, foi acompanhada pelo rap (abreviatura de rhythm and poetry ou ritmo e poesia em inglês) com uma técnica vocal diferente para acompanhar os loops dos DJs.[11] Junto com isto, surgiram formas diferentes de danças improvisadas, como a breakdance, o popping e o locking.[12]

A relação entre o grafite e a cultura rap music surgiu quando novas formas de pintura foram sendo realizadas em áreas onde a prática dos outros três pilares do hip hop eram frequentes, com uma forte sobreposição entre escritores de grafite e quem praticava os outros elementos.[12]

  1. «Hip-Hop's Jazz Roots». Merriam-Urban Jazz. Urban Jazz, Incorporate [ligação inativa]
  2. Vladimir Bogdanov (editor), All Music Guide to Electronica: The Definitive Guide To Electronic Music, página 404 (Backbeat Books, 2001). ISBN 0-87930-628-9. Citação: "Honing a fusion of rock, pop, and rap which they dubbed 'grebo', the Poppies kickstarted a small revolution."
  3. Trapp, Erin (2005). «The Push and Pull of Hip-Hop: A Social Movement Analysis». American Behavioral Scientist. 48 (11): 1482. doi:10.1177/0002764205277427. Much scholarly effort has been devoted to hip-hop (also known as rap) music in the past two decades...  Parâmetro desconhecido |s2cid= ignorado (ajuda)
  4. Leach, Andrew (2008). «"One Day It'll All Make Sense": Hip-Hop and Rap Resources for Music Librarians». Notes. 65 (1): 9–37. ISSN 0027-4380. JSTOR 30163606. doi:10.1353/not.0.0039. Cópia arquivada em 28 de janeiro de 2021 
  5. Encyclopædia Britannica article on rap, retrieved from britannica.com Arquivado em agosto 3, 2011[Erro data trocada], no Wayback Machine.: Rap, musical style in which rhythmic and/or rhyming speech is chanted ("rapped") to musical accompaniment. This backing music, which can include digital sampling (music and sounds extracted from other recordings by a DJ), is also called hip-hop, the name used to refer to a broader cultural movement that includes rap, deejaying (turntable manipulation), graffiti painting, and break dancing.
  6. Chang, Jeff; DJ Kool Herc (2005). Can't Stop Won't Stop: A History of the Hip-Hop Generation. [S.l.]: Macmillan. ISBN 031230143X 
  7. Kugelberg, Johan (2007). Born in the Bronx. New York: Oxford University Press. p. 17. ISBN 978-0-7893-1540-3 
  8. Walker, Jason (31 de janeiro de 2005). «Crazy Legs – The Revolutionary». SixShot.com. Web Media Entertainment Gmbh. Consultado em 27 de agosto de 2009 
  9. Rosen, Jody (12 de fevereiro de 2006). «A Rolling Shout-Out to Hip-Hop History». The New York Times. p. 32. Consultado em 10 de março de 2009 
  10. Chang, Jeff (2005). Can't Stop Won't Stop: A History of the Hip Hop Generation. New York: St. Martin's Press. p. 90. ISBN 0-312-30143-X 
  11. Brown, Lauren (18 de fevereiro de 2009). «Hip to the Game – Dance World vs. Music Industry, The Battle for Hip Hop's Legacy». Movmnt Magazine. Consultado em 30 de julho de 2009 
  12. 12,0 12,1 «Historia do Hip Hop». www.dancaderua.com.br. Consultado em 7 de agosto de 2010. Arquivado do original em 25 de fevereiro de 2010 


Read or create/edit this page in another language[editar]