Mario Abbade

Da wiki EverybodyWiki Bios & Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Mario Abbade (Rio de Janeiro, 22 de maio de 1965) é um jornalista, crítico de cinema, escritor e realizador brasileiro.


Como crítico de cinema, tem seus textos publicados em veículos como o jornal O Globo e, atualmente, é também apresentador da coluna semanal “Pensando em Cinema” na TV Bandeirantes e da rádio BandNews Rio FM.

Integrou o júri da FIPRESCI (Federação Internacional de Críticos de Cinema) nos festivais do Rio, de Montreal, Havana, Palm Springs, São Francisco, Dubai, entre outros. Em 2015, através da mesma federação, presidiu o Júri da Crítica do Festival de Cannes e, em 2018, o Júri da Crítica do Festival de Berlim.

Foi presidente, por dois mandatos, da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro (ACCRJ), filiada à Federação Internacional de Críticos de Cinema (FIPRESCI).

Em 2017 estreou como documentarista com o longa-metragem Neville D’Almeida – Cronista da Beleza e do Caos, presente em diversos festivais, entre os quais, o Festival Internacional de Cinema de Roterdã 2018 [1] e o Festival É tudo Verdade.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jornalista e publicitário por formação, começou a atuar no campo do audiovisual ainda no início dos anos 1990, como colunista de revistas de cinema e roteirista de peças publicitárias. Na mesma época, foi proprietário de uma loja de discos no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro.

Nos anos 2000, voltou-se para o universo da cultura pop, assinando uma coluna no blog Jovem Nerd. Nesta mesma época, criou seu famoso personagem Fanaticc, uma figura propositalmente grosseira, arrogante e antipática, através do qual fazia críticas ao sexismo e outros preconceitos a partir da fórmula de sucesso do seriado de TV Batman, dos anos 1960. Na pele de Fanaticc, Mario concedeu uma entrevista a Jô Soares em seu programa Jô Soares Onze e Meia.

Em 2005, fundou o portal de cultura pop e cinema Almanaque Virtual e, no final de 2008, encerra sua parceria com o Jovem Nerd.

A partir de então, atuou também como produtor cultural, sendo responsável pela curadoria de mostras que reuniram obras de cineastas como David Lynch, John Waters, Dario Argento, John Carpenter, James Dean, Neville D’Almeida, Carlos Reichenbach, Frank Sinatra, George A. Romero, entre outros.

Seu interesse por cinema fantástico fez com que idealizasse o festival “Rio Fantastik Festival – Festival Internacional de Cinema Fantástico do Rio de Janeiro”, que teve sua primeira edição em 2016 e que, desde então, já exibiu uma média de 50 filmes, entre longas e curtas-metragens. [3]

Em 2016, lançou o livro A Primeira e Única New York City – A Discoteca que Iniciou a Era Disco no Brasil, em parceria com o crítico de cinema Celso Rodrigues Ferreira Júnior, sobre a primeira discoteca brasileira, inaugurada em 1976 em Ipanema, Zona Sul do Rio de Janeiro. Abbade ainda editou e organizou os livros “John Carpenter – O Medo É Só o Começo” e “O Último Durão – Centenário Kirk Douglas”.

Em 2017 estreou seu primeiro trabalho como diretor, o documentário “Neville D’Almeida – Cronista da Beleza e do Caos”. O filme foi selecionado para competir em importantes festivais, como o Festival Internacional de Cinema de Roterdã 2018 e o festival de documentários É Tudo Verdade. Recebeu diversos prêmios, entre os quais, “Award of Merit” para documentário longa-metragem do Impact Docs Award 2018 [4] e o Golden Award do Jakarta Film Festival 2018 na categoria Diretor de Documentário Internacional. [5]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

Este artigo "Mario Abbade" é da wikipedia