Nara Almeida

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Wiki letter w.svg
Este artigo é órfão, pois não contém artigos que apontem para ele.
Por favor, ajude criando ligações ou artigos relacionados a este tema.


Nara Almeida
 Edit this InfoBox
Nome completo Elyanara Almeida Feitosa Bonfim
Nascimento 8 de setembro de 1993
João Lisboa, MA
Morte 21 de maio de 2018 (24 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Alma mater
Ocupação Modelo e Influenciadora Digital
Período de atividade 2017 - 2018
Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Elyanara Almeida Feitosa Bonfim (João Lisboa, 8 de setembro de 1993 — São Paulo, 21 de maio de 2018) foi uma modelo brasileira.[1]

Biografia[editar]

Nascida em João Lisboa, uma cidade de vinte mil habitantes, localizada a 637 quilômetros de São Luís, era filha de uma empregada doméstica, que, sem condições de cuidar da filha, deixou a criança com os avós maternos, na idade de um ano e dois meses. Nara também trabalhou como doméstica na adolescência, quando decidiu se mudar sozinha para Goiânia, a fim de completar lá o ensino médio. Para aumentar a sua renda, passou três anos vendendo roupas por meio da Internet. Sendo bonita e carismática, seus posts ganharam muitas "curtidas" e, como consequência, ela passou a receber cachê para divulgar roupas e lojas. A demanda crescente a convenceu a abandonar a loja virtual para se dedicar à carreira de modelo e de influenciadora digital, vindo a morar em São Paulo, no segundo semestre de 2016. Com o sucesso, recebia muitos presentes em casa e se tornou presença habitual de baladas e festas do circuito da moda.[1][2]

Entretanto, em março de 2017, sentiu uma forte dor no estômago e começou a vomitar tudo o que comia. Sem um plano de saúde, bancou sozinha uma consulta médica. O especialista constatou uma úlcera no estômago, receitou-lhe uma bateria de antibióticos e pediu uma endoscopia e uma biópsia para se aprofundar na investigação do caso. Com o diagnóstico de câncer estomacal, ela conseguiu uma vaga no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), que é um hospital público de referência no país, nesse tipo de tratamento. Nara fez três sessões de quimioterapia, cada uma com quatro horas de duração, a fim de reduzir o tamanho do tumor e então realizar uma cirurgia no estômago. Mas a paciente teve hemorragia durante o processo e o tratamento não apresentou os resultados desejados. Exames realizados mais recentemente revelaram metástase no peritônio e invasão no pâncreas.[1][2]

Segundo Ulysses Ribeiro Jr., chefe do serviço de cirurgia torácica do Icesp, o câncer de estômago mais comum se chama adenocarcinoma, responsável por 90 por cento dos casos, porém o tumor de Nara era diferente, foi provocado por uma mutação genética, sendo raríssimo em mulheres com menos de 25 anos. Se descoberto precocemente, as chances de cura são de 95 por cento. No caso de metástase no peritônio, como aconteceu na jovem, o índice cai para 10 por cento. Apesar do fracasso inicial, os médicos se valeram de uma nova tentativa de frear o avanço da doença, com outro coquetel de drogas, o qual causou queda de cabelo na paciente. Além disso, em 13 de abril de 2018, houve uma grave reação alérgica aos medicamentos, com prurido, febre, garganta inflamada e dores muito intensas, excruciantes. Na ocasião, ela disse que os dias estavam sendo "muito difíceis" e pediu misericórdia a Deus.[1][2][3][4]

Assim, Nara passou a compartilhar a sua enfermidade nas redes sociais, um comportamento comum entre os jovens, conforme Ana Merzel, coordenadora do serviço de psicologia do Hospital Albert Einstein. “Eles fazem da plataforma uma extensão do dia a dia, estão habituados a postar quase tudo", disse a profissional. Sem perder a esperança, Nara considerava uma missão expor o seu caso às outras pessoas, encorajando todos os seus seguidores a apreciarem mais a vida, os momentos e a família, ao invés de viverem reféns das aparências e da pressão digital. Em resposta, recebia muitas mensagens de meninas que se diziam tristes pelo término de um namoro ou sofriam de desconforto com o próprio corpo, mas pararam de reclamar ao acompanhá-la. De fato, Nara se tornou um fenômeno das redes sociais, chegando a postar fotos em cima do leito hospitalar; na sala de consulta, depois de receber o diagnóstico de uma metástase no peritônio; e na companhia do namorado, Pedro Rocha, um engenheiro de 25 anos.[1][2]

Na realidade, Nara se apresentou como um retrato da sociedade atual, mais capaz de lidar com um diagnóstico de câncer que há décadas. Seus posts no Instagram eram também uma demonstração da maior relevância que os pacientes têm na tomada de decisões em relação à própria vida. Em sociedades médicas e organizações não governamentais, ganham cada vez mais força movimentos para empoderar os pacientes. A oncologista do Hospital Moinhos de Vento, Alessandra Morelle, avaliou que "Nara mostrava muitas mensagens de gratidão. Isso ajudava os jovens a valorizar mais a vida, porque viam uma moça debilitada mostrando o que realmente importa. Era uma espécie de catarse, de dividir aquela dor com milhões de seguidores e de se sentir escutada, acolhida, porque as pessoas davam forças". Segundo os médicos, era uma espécie de grupo de diálogo, assim como há reuniões de indivíduos com câncer, de mães grávidas e afins.[5]

Durante todo esse tempo, recebeu o apoio de celebridades, como Adriane Galisteu, Antonia Fontenelle, Marco Antonio de Biaggi, Tatá Werneck e Alexandre Pato, que custeou seis meses de tratamento com um medicamento caro de imunoterapia. Além disso, teve a visita da mãe, que não via há duas décadas. Eva Maria Almeida Feitosa, de 43 anos, vive em Boa Vista, Roraima, onde trabalha como cabeleireira. Ela pôde ir a São Paulo graças a uma passagem paga pela atriz e cantora Larissa Manoela. Eva contou que na época foi obrigada a deixar a criança com os pais devido à sua condição de pobreza e de má saúde. Entretanto, vinha mantendo um bom relacionamento com a filha, por meio do WhatsApp, e recebia roupas da modelo.[1][2]

Morte[editar]

Em 21 de maio de 2018, Nara faleceu no Hospital Nove de Julho, após dez meses de sua batalha pública contra o câncer. A notícia foi divulgada pelo esposo,Pedro Rocha, no Instagram, que era o principal canal de comunicação da modelo, com mais de quatro milhões de seguidores. Celebridades se manifestaram na Internet e o nome de Nara foi o termo mais comentado no Twitter, naquele momento. Pedro Rocha, além de lembrar o aniversário de um ano de namoro, também agradeceu as mensagens de apoio recebidas e publicou, no seu Instagram, um vídeo romântico gravado no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, ao lado de Nara; e uma mensagem deixada pela modelo: “Não utilizem um tom solene ou triste, continuem a rir daquilo que nos fazia rir juntos. Rezem, sorriam, pensem em mim. Rezem por mim. Que meu nome seja pronunciado como sempre foi, sem ênfase de nenhum tipo. Sem nenhum traço de sombra ou tristeza”. São palavras de Santo Agostinho, no texto A Morte Não é Nada. Atendendo ao pedido de Nara de que os seus órgãos fossem doados, a mãe dela autorizou a doação das duas córneas, pois os demais órgãos estavam comprometidos pelo câncer.[2][6][7][8]

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 João Batista Jr. (8 de dezembro de 2017). «A luta da modelo Nara Almeida contra um câncer raro». Veja. Consultado em 23 de maio de 2018 
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 «Nara Almeida: a luta pela vida e a morte da 'instagrammer' comovem as redes sociais». El País. 21 de maio de 2017. Consultado em 23 de maio de 2018 
  3. «Morre de câncer Nara Almeida, modelo que compartilhava rotina de tratamento nas redes». O Globo. 21 de maio de 2017. Consultado em 25 de maio de 2018 
  4. «Quem é Nara Almeida, a 'blogger inspiração' que não resistiu ao cancro». Womens'Health. 24 de maio de 2017. Consultado em 25 de maio de 2018 
  5. «Como a luta contra o câncer de Nara Almeida no Instagram era uma síntese da realidade atual». Zero Hora. 21 de maio de 2017. Consultado em 25 de maio de 2018 
  6. «Morte de Nara Almeida comove a internet». Terra. 21 de maio de 2018. Consultado em 24 de maio de 2018 
  7. «Mãe de Nara Almeida realiza pedido da filha e doa órgãos». Terra. 23 de maio de 2018. Consultado em 24 de maio de 2018 
  8. Rafaela Lima (23 de maio de 2018). «Pedro Rocha publica mensagem comovente deixada por Nara Almeida». Metrópoles. Consultado em 24 de maio de 2018 

Ligações externas[editar]


Este artigo "Nara Almeida" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Nara Almeida.