Paola Maria de Bourbon Orléans e Bragança Sapieha

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki


Paola Czetwertyńska
Princesa de Sapieha-Rożańska
Princesa de Światopełk-Czetwertyńska
Cônjuge Príncipe Constantin Swiatopolk-Czetwertynski[1]
Casa
Casa de Sapieha (por nascimento)
Czetwertynski (por casamento)
Nome completo
Paola Maria de Bourbon Orléans e Bragança Sapieha
Nascimento 23 de abril de 1983 (39 anos)
  Londres, Inglaterra
Pai Príncipe Jan Pavel Sapieha-Rozanski
Mãe Dona Maria Cristina do Rosário de Bourbon Orléans e Bragança

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Paola Maria de Bourbon Orléans e Bragança Sapieha (Londres, 23 de abril de 1983), princesa de Sapieha-Rożańska e princesa de Światopełk-Czetwertyńska, é uma desenhista industrial, apresentadora de televisão, DJ, joalheira e modelo.[2][3][4][5][6][7]

Filha do príncipe polonês Jan Pavel Sapieha-Rozanski[7][2] e de D. Maria Cristina do Rosário de Bourbon Orléans e Bragança, princesa de Orléans e Bragança.[7][2] Neta materna da infanta D. Maria da Esperança de Bourbon e Orléans, princesa das Duas Sicílias, e de D. Pedro Gastão de Orléans e Bragança, príncipe de Orléans e Bragança, e bisneta de D. Pedro de Alcântara de Orléans e Bragança, príncipe do Grão-Pará e príncipe de Orléans e Bragança, pertencendo, assim, ao ramo de Petrópolis. Paola é trineta de D. Isabel de Bragança, última princesa imperial do Brasil de facto, e do príncipe imperial consorte, D. Gastão de Orléans, conde d'Eu, e tetraneta do último imperador do Brasil, Dom Pedro II. Sua avó materna vem a ser tia-avó e Paola prima de segundo grau do atual rei da Espanha, Dom Filipe VI. Paola também vem a ser sobrinha-neta de Isabel de Orléans e Bragança, a condessa de Paris.[carece de fontes?]

Biografia e carreira[editar]

Nascida no Reino Unido, mudou-se para o Brasil com apenas um ano e meio de idade, após seus pais se divorciarem. Logo que chegou ao país mudou-se para Petrópolis, no estado do Rio de Janeiro; desde 2004 radicou-se em São Paulo, em Higienópolis, bairro nobre da capital paulista.[2][8]

Em fevereiro de 2006, conseguiu a cidadania espanhola, bem como os seus quatro primos nascidos no Brasil, também netos da espanhola D. Maria da Esperança de Bourbon e Orléans, princesa das Duas Sicílias. Sua irmã, D. Ana Teresa de Bourbon Orléans e Bragança Sapieha (Petrópolis, 25 de maio de 1981), é também princesa de Sapieha-Rozanski.[carece de fontes?]

Paola sempre estudou em escola privada e, no Ensino Médio, repetiu uma vez de ano, para conciliar os estudos com o trabalho de modelo, concluiu o segundo grau com um supletivo.[9] Deu início a sua carreira de modelo quando, uma amiga de sua mãe, a joalheira Tereza Xavier, convidou-a para fotografar um catálogo de jóias.[10] Do seu primeiro catálogo até hoje, a modelo e designer acumulou trabalhos de peso, incluindo campanhas para renomadas marcas brasileiras e concorridas capas de revistas de moda, tais como Vogue, Elle; foi clicada pelas lentes de fotógrafos como Mario Testino, Bob Wolfenson e Murillo Meirelles, entre outros. Aos 22 anos, Paola estreou como apresentadora do Blog 21, na Rede 21. Por causa do programa, trancou a faculdade de desenho industrial que cursava na UniverCidade, no Rio de Janeiro, e foi para São Paulo, transferindo-se para o mesmo curso na Fundação Armando Álvares Penteado.[10]

Em 2008, formou-se desenhista industrial pela FAAP.[11][8] Nos seus 10 anos atuando como designer, Paola desenvolveu coleções de joias, moda, móveis, objetos para casa, entre outras incursões.

Em constantes colaborações com revistas, marcas nacionais e internacionais, cria conteúdo, em parceria com seu marido, o fotógrafo Tinko Czetwertynski. Juntos, eles desenvolvem projetos especiais, onde a imagem é fio condutor.

Num movimento de resgate pelo seu processo criativo, Paola encontrou na cerâmica o material para se reconectar e dar vazão à sua veia artística. Atualmente mora em São Paulo, e cria de objetos no material, uma das atividades principais da designer, que desenvolve coleções de Jóias em Porcelana, prata banhada a ouro e pedras naturais. É, também, sócia da Glambox Brasil.[12] Em 2021, em entrevista ao jornal O Globo, afirmou que “Eu era DJ e deixei a atividade para trás para me dedicar ao universo da joalheria. Comprei um forno e comecei a fazer peças de cerâmica, turbinadas com pedras incríveis, como esmeralda, diamante, rubi e topázio. No início, vendia brincos e anéis para as amigas, mas o negócio foi crescendo, ganhando outra proporção. Hoje, divido um ateliê com o estilista Marcelo Von Trapp, que já apresentou coleção no projeto de Novos Talentos do Veste Rio."[2]

Em 2016 criou o Estelar, espécie de intercâmbio de conhecimentos femininos. Um canal de entrevistas e depoimentos, onde mulheres dividem as suas histórias de vida, trazendo sempre uma ótica feminina que propõe uma mudança genuinamente positiva e construtiva. O objetivo do Estelar é levar a todas as mulheres, uma ferramenta de transformação, para que possam redescobrir a sua força e criar novas fórmulas para viver.[2]

Paola é casada com o príncipe Constantin Swiatopolk-Czetwertynski, fotógrafo profissional cujo nome artístico é Tinko Czetwertynski; Os dois são primos distantes (por parte de pai), mas se conheceram por meio de uma amiga em comum, que os apresentou pelo Facebook.[2][1] Tinko vem a ser filho do príncipe Michael Swiatopolk-Czetwertynski, diplomata belga que foi embaixador da Bélgica no Brasil no início dos anos 1990.[13][14] Eles casaram-se em Janeiro de 2012, em Bruxelas, em uma cerimonia para familiares e amigos. As cerimônias, pública e religiosa, acontecerão em 2013, em Petrópolis ou Paraty, segundo os príncipes, que disseram querer comemorar com uma grande festa. Paola tornou-se, a partir do casamento, também princesa de Swiatopolk-Czetwertynski, além de ser, por nascimento, princesa de Sapieha-Rozanski.[carece de fontes?]

A Casa de Swiatopolk-Czetwertynski, do marido de Paola, compõe a alta nobreza da Polônia e de todo o Leste Europeu, tendo origem no século IX. A maioria dos Swiatopolk-Czetwertynski, entretanto, acabaram partindo da Polônia, principalmente para a Bélgica e o Canadá, em decorrência da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando as tropas nazistas e soviéticas passaram a perseguir as famílias nobres.[15]

Em dezembro de 2014, entrou para a lista do FFW dos 50 brasileiros mais "estilosos" da moda.[16]

Sobre o governo de Jair Bolsonaro, em 2021, Paola afirmou em entrevista ao Jornal O Globo que “Entre o que está aí no governo e Dom Pedro II, sou 100% o imperador, que lutava pela educação e tecnologia. Apoio uma liderança que olhe para nossa terra como um lugar do futuro. Infelizmente, o que vejo atualmente na política é medíocre demais. A gente merece mais.”[2][17]

Em agosto de 2021 seu pai, o príncipe polonês Jan Pavel (John Paul) Sapieha-Rozanski, faleceu por conta de um tumor cerebral, John Paul era era pastor e um missionário. [2]

Programas de TV[editar]

  • 2005 - Blog 21 (rede 21)
  • 2008 - I Want It (Fashion TV)

Ancestrais[editar]

Referências

  1. 1,0 1,1 Astuto, Bruno (14 de março de 2012). «O casamento secreto dos príncipes». Revista Época. Globo. Consultado em 29 de julho de 2012 
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 2,6 2,7 2,8 Gilberto Júnior (18 de setembro de 2021). «Tetraneta de Dom Pedro II, Paola de Orleans e Bragança fala sobre o imperador: 'Homem curioso, visionário'. Princesa já foi DJ e modelo, agora é joalheira e pilota um projeto feminino». Caderno "Ela", do jornal O Globo. Consultado em 18 de setembro de 2021 
  3. «Princesa Fashionista: Paola Orleans e Bragança». Sweetest Person. 12 de maio de 2009. Consultado em 26 de janeiro de 2012 
  4. Silvia Rogar. «Príncipes descalços». Veja. Consultado em 26 de janeiro de 2012 
  5. Wanderley Preite Sobrinho (5 de março de 2008). «Para ser modelo, princesa evita biquínis e ensaios sensuais» (shtml). Folha Online. Consultado em 26 de janeiro de 2012 
  6. «Paola de Orleans e Bragança leva jóias reais para ensaio de moda». EGO. 3 de março de 2008. Consultado em 26 de janeiro de 2012 
  7. 7,0 7,1 7,2 NELITO FERNANDES. «A princesa de piercing». Época. Consultado em 25 de janeiro de 2012 
  8. 8,0 8,1 «Princesa Paola de Orleans e Bragança. Estrela de campanha, a bela recebe coleção em SP». Revista Caras. 23 março de 2010. Consultado em 18 de setembro de 2021 
  9. «Reportagem da revista Veja, intitulada "Príncipes descalços; A ala jovem dos Orléans e Bragança divide-se entre modernos e conservadores bem de vida, mas sem muito luxo». veja.abril.com.br 
  10. 10,0 10,1 Diógenes Campanha. «A independência da princesa». Istoé Gente. Consultado em 25 de janeiro de 2012 
  11. THAMIRES TANCREDI (4 de janeiro de 2017). «Entrevista! Princesa Paola de Orleans e Bragança mostra que é uma nobre sem pompa, mas com muito estilo». Caderno "Ela", do jornal Zero Hora. Consultado em 18 de setembro de 2021 
  12. https://glambox.com.br/
  13. «Círculo Monárquico do Rio de Janeiro, "A Princesa Paola de Sapieha-Rozanski anuncia seu casamento"». cmrj.res.org.br [ligação inativa]
  14. «alôalô Bahia, "Plantão Oropa, França e Bahia: Realeza, Moda e Diplomacia"». aloalobahia.com. Consultado em 27 de março de 2012. Arquivado do original em 27 de julho de 2012 
  15. «Site oficial da Casa de Swiatopolk-Czetwertynski». www.czetwertynski.net 
  16. FFW.com.br. «Lista FFW dos 50 brasileiros mais estilosos da moda» 
  17. Gilberto Júnior (11 de outubro de 2021). «Princesa Paola de Orleans e Bragança diz: 'Entre Bolsonaro e Dom Pedro II, escolheria o imperador'.Ela defende o Estado Democrático de Direito». Caderno "Ela", do jornal O Globo. Consultado em 11 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar]

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

  • Portal da monarquia



Outros artigos do tema Monarquia : Império do Brasil, Chefe da Casa Imperial Brasileira, Maria Gabriela de Orléans e Bragança, Isabel II do Reino Unido, Maria Isabel da Baviera, Pedro Luís de Orléans e Bragança, Isabel do Brasil


Este artigo "Paola Maria de Bourbon Orléans e Bragança Sapieha" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Paola Maria de Bourbon Orléans e Bragança Sapieha.