Welcome to EverybodyWiki ! Sign in or sign up to improve or create : an article, a company page or a bio (yours ?)...


Rubens Espírito Santo

Da wiki EverybodyWiki Bios & Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Rubens Espírito Santo ou RES [1] (São José dos Campos, 29 de agosto de 1966) é um artista visual, pensador, pedagogo, escritor, criador e coordenador do Atelier do Centro. É conhecido por ter criado um método pedagógico intitulado Méthodo onde são unidos conceitos de história da arte e estética, filosofia, e psicanálise. A partir do Méthodo, Rubens coloca a produção de arte em cheque, de modo que ela deixa de ser algo privado e íntimo e passa a ser um diálogo com seu tempo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1966 em São José dos Campos. Teve uma ampla formação com especialistas de áreas muito distintas, como o astrofísico Christophe Kotanyi, com quem teve uma formação não acadêmica de estética e filosofia da arte por 4 anos; a filósofa existencialista Helena Calil, aluna de Jean Paul Sartre; a doutora em semiótica e literatura comparada Sonia Guedes Leal; a historiadora Polonesa Jadwiga Sielawa, com quem estudou teologia e arte. Além disso, estudou com os artistas brasileiros Dudi Maia Rosa, Carlos Fajardo, Rosângela Rennó, Evandro Carlos Jardim, Marco Gianotti, o teórico Rodrigo Naves, o artista alemão Peter Klare e o historiador belga Thierry de Duve.
No início de sua carreira, concentrou-se em desenhar produzir gravuras em metal com as mais variadas técnicas. Por volta dos trinta anos, veio para São Paulo para tentar consolidar sua carreira de artista. Nesta época, sua produção era focada no que é chamado pintura expandida. Suas pinturas não eram feitas com tinta, mas eram junções de diversos materiais como madeira, fórmica e plástico.
A partir de 2006, começou a se inserir fortemente no cenário da arte de São Paulo. Expôs na Pinacoteca, no Centro Universitário Maria Antônia, no Tomie Ohtake, no Sesc, CCSP e ganhou menções e prêmios, como o PAC 13 com a Cabana 6, construída na Pinacoteca em 2007. Pouco tempo depois começou a produzir verdadeiras instalações: as Cabanas, obras de grande escala construídas nos espaços expositivos das instituições em que eram expostas. As cabanas são lugares onde havia vivência de quem estivesse visitando e onde havia aulas de Rubens Espírito Santo, exibição de filmes e debates. Assim como o restante de sua produção, as cabanas são obras de difícil categorização. Suas referências contemplam casas ambulantes de moradores de rua até a mais alta erudição, tendo sempre bibliotecas e lousas repletas de nomes de filósofos. Foi convidado pelo crítico e curador de arte Ricardo Resende para fazer uma ocupação na Funarte por 90 dias.

A partir de 2014, Rubens começou a desenhar regularmente no Atelier do Centro em sessões onde seus alunos também desenhavam. As sessões, desde o começo, na maioria das vezes têm a presença de um modelo vivo. Rubens continua essa prática até hoje às sextas, onde ele desenha usando procedimentos de desenho não usuais e seus alunos presenciam. Após cada sessão, há um debate sobre o que ocorreu nela e como os alunos foram afetados.
Seus desenhos também fazem parte do conceito expandidos, pois eles vão além do grafite sobre papel. Para Rubens Espírito Santo, construções de bichos de pelúcia presas a máscaras de gás anexadas com grampeador pneumático em placas de compensado ou cinzas de papel armazenadas em potes de vidro são denominadas desenhos.

Desenho de Rubens Espírito Santo.

Hoje Rubens Espírito Santo é apoiado por diversos colecionadores como o empresário, colecionador e artista Marcos Amaro, que estudou com Rubens Espírito Santo no Atelier do Centro, e cujo acervo de sua fundação em ITU, a Fábrica de Arte Marcos Amaro (FAMA), conta com algumas obras de Rubens; e também o colecionador de arte contemporânea brasileira José Olympio Pereira.

Atelier do Centro[editar | editar código-fonte]

Rubens Espírito Santo coordena o Atelier do Centro, que criou há 18 anos. Além de produzir no Atelier do Centro, Rubens ministra aulas de filosofia e estética.
No Atelier do Centro, cada membro possui um espaço próprio onde ocupa-se de sua produção própria. Além de se concentrar em produções de arte, os alunos de Rubens Espírito Santo são motivados a cozinhar diariamente no Atelier do Centro. Durante os almoços diários, acontecem, muitas vezes, verdadeiras aulas de filosofia ou conversas de cunho psicanalítico.

Méthodo[editar | editar código-fonte]

Rubens Espírito Santo criou um método pedagógico que une arte, espiritualidade e filosofia chamado Méthodo. O méthodo, ao contrário do que possa parecer, não é um conjunto de regras, mas um modo de pensar e agir em constante transformação e contradição. Se trata de uma série de práticas unidas numa vivência diária com seus alunos no Atelier do Centro. A formação no méthodo é muito ampla e extrapola os limites da arte e da estética, passando por assuntos como gastronomia, moda, mística, cinema, literatura, antropologia, psicanálise, música e arquitetura.
Algumas das referências do Méthodo são: o filósofo austríaco Friedrich Nietzsche, o historiador alemão Aby Warburg, o pensador italiano Giorgio Agamben, o pensador francês Georges Bataille, o crítico literário Maurice Blanchot, o filósofo alemão Martin Heidegger, o antropólogo inglês Alfred Gell, o artista alemão Joseph Beuys, o artista americano Cy Twombly , a pintora americana Agnes Martin, os psicanalistas Freud e Lacan, o criador da psicossomática Groddeck, o biólogo inglês Bateson, o místico armênio Gurdjieff, o escritor tcheco Kafka, os arquitetos Frank Lloyd Wright e Rem Koolhaas, o músico John Zorn, entre outros.
O Méthodo também pretende privilegiar visões artistas e pensadores brasileiros como Bispo do Rosário, os filósofos Vicente Ferreira da Silva e Mário Ferreira dos Santos, o físico Newton da Costa o escritor e tradutor Emanuel Carneiro Leão, as escritoras Clarice Lispector e Orides Fontela, o vencedor da medalha Fields Ártur Ávila, entre outros.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2008 Prêmio ProAc - Secretaria da Cultura - São Paulo
  • 2007 PAC (Programa de ação cultural) 13 - Governo do Estado de São Paulo: Exposição Cabana 7 na Pinacoteca do Estado de São Paulo [2]
  • 2005 - Rumos Itaú Cultural
  • 2005 - Bolsa Iberê Camargo
  • 2000 - Programa de exposições CCSP[3]
  • Prêmio Camargo Vilaça
  • Edital Centro Universitário Maria Antônia da USP

Formação[editar | editar código-fonte]

  • 1984: Estudos de Teoria da Literatura com o Mestre em Literatura Espanhola Rubens Eduardo Frias
  • 1985 - 1989: Semiótica com a Prof. e Doutora Sônia Leal Guedes do Nascimento
  • 1988 - 1991: Estética e filosofia com o astrofísico alemão e filósofo da arte Dr. Christophe Kotanyi[4], filho do filósofo húngaro Attila Kotanyi, discípulo do filósofo húngaro Lajos Szabó
  • 1989 - 1991: Curso de filosofia no Instituto Superior de Filosofia Santa Terezinha
  • 1989 - 1990: Atelier de gravura do Museu Lasar Segall
  • 2005: Curso de teoria da arte com Prof. e Historiador belga Thierry de Duve



Exposições[editar | editar código-fonte]

  • 2019 Exposição Méthodo - Galeria Emma Thomas [5]
  • 2018 Cabana Frei Otto na Fundação Marcos Amaro (FAMA) em Itu, São Paulo [6] [7] [8]
  • 2018 Participação na SP Foto
  • 2018 Participação na ArtRio
  • 2017 Cabana Garrapata - Barcelona - Espanha
  • 2017 Feira Parte
  • 2009 Cabana Extemporânea - Funarte SP [9]
  • 2008 Exposição Atelier do Centro[10]
  • 2008 Exposição de gravura no Atelier do Centro – Secretaria Municipal de Cultura - Lei de Incentivo Fiscal
  • 2007 Cabana 9 – CCSP[11]
  • 2007 Cabana 10 – Casa de Cultura Raul Seixas
  • 2007 Bar do Museu de Arte de São Paulo – Desenhos e Gravuras - AAMAM
  • 2007 Cabana 11 - CCSP
  • 2007 Cabana 8 - DIAMANTINA – UFMG / 39º Festival de Inverno – Um Projeto de Arte e Filosofia – Territórios Híbridos/ MG
  • 2007 Cabana 6 - Pinacoteca do Estado de São Paulo / SP - Prêmio PAC 13 – Governo do Estado de São Paulo
  • 2007 Exposição Relevos - Galeria Baró Cruz - Premiação [12][13]
  • 2007 Spa das artes – Arte Contemporânea: Teoria e prática. Bolsa de Incentivo a formação.
  • 2007 Oniforma – CCSP
  • 2007 Labirintos da Linguagem - Sesc Carmo – Espaço Transitório
  • 2007 Salão Quasiarte – Cabana 7 – Teatro Francisco Nunes, Belo Horizonte, MG
  • 2006 Aula de Plástica I - Atelier 397 [14]
  • 2006 Aula de Plástica II - Ceuma – Maria Antonia
  • 2006 Bienal Paralela [15]
  • 2006 IIIª Paralela 2006 – SP / Prédio da Prodan – Parque Ibirapuera (Curadoria Daniela Bousso)
  • 2006 Arco – Espanha
  • 2006 Art-Forum Berlim – Alemanha
  • 2006 SP Arte – Feira de Arte Contemporânea de São Paulo
  • 2006 Geração da Virada 10+1: os anos recentes da arte brasileira - Tomie Ohtake (Curadoria Agnaldo Farias e Moacir dos Anjos)[16]
  • 2005 Exposição Alaska – Galeria Baró Cruz – SP
  • 2005 SP Arte
  • 2005 Arteba - Argentina
  • 2004 Eixo do mundo – Helena Calil – SP
  • 2003 Galeria SESC Paulista – SP [17]
  • 2002 Bienal Nacional de Santos - Centro Cultural Patrícia Galvão
  • 2000 Programa de Exposições - CCSP

Eventos[editar | editar código-fonte]

  • Seminário Internacional Joseph Beuys: A Revolução Somos Nós - Sesc Pompeia [18]
  • 2015 - Minicurso O que é absolutamente urgente pensar em arte contemporânea? Uma homenagem a Aby Warburg - Paço das Artes - USP [19]
  • 2007 Spa das Artes - Recife [20]

Sobre a obra de Rubens Espírito Santo[editar | editar código-fonte]

  • 2017 - Christophe Kotanyi: Talento: sobre a antipedagogia de Rubens Espírito Santo
  • 2015 - Anna Israel: Sobre a natureza íntima da arte: Relatórios das aulas de Rubens Espírito Santo [21]
  • 2008 - Chistophe Kotanyi: O retrato do retrato de Rubens Espírito Santo – Berlim – Alemanha
  • 2008 - Sergio Bolliger: O caminho do artista
  • 2008 - Ângela Castelo Branco: Meu depoimento
  • 2007 - Revista da Folha de São Paulo: O que sobra vira arte, 22 de julho de 2007
  • 2007 - Nilcéia Moraleida: Cabanas
  • 2007 - Grupo de Estudos Teóricos de Arte da Pinacoteca – Cabana n º6 – Prêmio Pac 13
  • 2007 – Agnaldo Farias e Moacir dos Anjos: Geração da Virada Instituto Tomie Ohtake.
  • 2006 - José Augusto Ribeiro: Aula de Plástica II ou Instituição da Arte – Centro Cultural Maria Antonia da Usp
  • 2006 - Rafael Campos Rocha: Rubens Espírito Santo - 3ª paralela
  • 2006 - Folha de São Paulo, Os dez Mais: Instalação: Aula de Plástica
  • 2006 - Folha de São Paulo, Ilustrada: Exposições, Fabio Cypriano, 1º de abril de 2006
  • 2006 - Fluxus – Bienart: A poética do banal, Daniel Horta, setembro de 2006
  • 2005 - Estado de São Paulo - Caderno 2: Pinturas feitas com os materiais do dia a dia, Camila Molina.
  • 2005 - Dorival Teixeira: Uma visita ao Alaska
  • 2000 - Sonia Leal Guedes do Nascimento: Parecer sobre a vida intelectual de Rubens Espírito Santo
  • 2004 - Rubens Eduardo Frias: Paranóia, mistificação e talento – Espaço Cultural Helena Calil em São José dos Campos
  • 2003 - Jornal Vale paraibano, São José dos Campos, SP: Arte inspirada no útero: Sobre a exposição do Sesc da Avenida Paulista, 05 de março de 2003
  • 2002, Jornal Vale Paraibano – São José dos Campos, SP: A arte filosófica de Rubens Espírito Santo





Referências

  1. «Verbete da Enciclopédia do Itaú Cultural» Consultado em 29 de Dez. 2018
  2. do Governo: Novas mostras da Pinacoteca convidam público a interagir com obras»Consultado em 2 de janeiro de 2019.
  3. «Convite CCSP: Rubens Espírito Santo» Consultado em 2 de janeiro de 2019.
  4. « National Library of Australia: Kotanyi, Christophe » Consultado em 1 de janeiro de 2019
  5. «EmmaThomas: Atelier do Centro» Consultado em 1 de janeiro de 2019
  6. Espírito Santo e Atelier do Centro exibem site specific na Fundação Marcos Amaro.» Consultado em 1 de janeiro de 2018.
  7. Select: Agenda da semana»Consultado em 1 de janeiro de 2018.
  8. DasArtes: Rubens Espírito Santo| Fundação Marcos Amaro. 6 de outubro de 2018Consultado em 1 de janeiro de 2019.
  9. «Canal Contemporâneo: Rubens Espírito Santo e a Cabana Extemporânea. Consultado em 1 de janeiro de 2019.
  10. « Guia da Folha: Galeria do centro abre as portas para jovens artistas. » Acesso em 1 de janeiro de 2018.
  11. «Jornal da USP: Cabana no CCSP, abril de 2007» Consultado em 1 de janeiro de 2019.
  12. «Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.» Acesso em 1 de Jan. 2019
  13. « Folha Ilustrada: Obra de Rubens Espírito Santo é tema de debate. » Consultado em 1 de janeiro de 2019.
  14. «Folha de São Paulo: Aula de plástica » Consultado em 1 de janeiro de 2019.
  15. « Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.» Consultado em 1 de Janeiro 2019. ISBN: 978-85-7979-060-7
  16. «Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras: Geração da Virada 10+1: os anos recentes da arte brasileira. » Acesso em: 01 de Jan. 2019.
  17. «Jornal Vale paraibano, São José dos Campos, SP. Arte inspirada no útero. 5 de março de 2003 »
  18. «Fórum Permanente: Seminário Internacional Joseph Beuys: A Revolução Somos Nós » Acesso em 1 de janeiro de 2019.
  19. «Paço das Artes - Minicurso: O que é absolutamente urgente pensar em arte contemporânea?» Acesso em 1 de janeiro de 2019
  20. inscrições para a sexta edição do SPA das Artes - Recife'07»Consultado em 2 de janeiro de 2019.
  21. Cultura: Lançamento do livro Sobre a natureza íntima da arte: Relatórios das aulas de Rubens Espírito Santo» Consultado em 2 de janeiro de 2019


Este artigo "Rubens Espírito Santo" é da wikipedia