TV Tocantins (Marabá)

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
TV Tocantins
RCR Rede de Comunicação Regional Ltda.
Cidade de concessão Marabá, PA
Canais 📺
10 analógico
Rede Rede Bandeirantes
Cobertura Marabá

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

A TV Tocantins foi uma emissora de televisão brasileira com sede em Marabá, no estado do Pará. A emissora era sintonizada no canal 10 VHF analógico e afiliada à Rede Bandeirantes. A emissora entrou no ar na década de 1980 e foi extinta em 2015.

No dia 26 de julho de 1985, o radialista e policial Robson José Costa Abade foi morto a tiros pelo delegado da polícia Salvador Chamon Sobrinho, enquanto o programa de TV apresentado por Vanderlan Gomes estava sendo gravado para ser exibido na TV.[1][2][3] Robson Abade estava dando entrevista ao Vanderlan Gomes em que acusava o delegado de polícia em Serra Pelada e seu irmão e vereador José Chamon Neto (na época, candidato a prefeito pelo PMDB à prefeitura de Marabá) de terem roubado e depois vendido 34 armas apreendidas pela polícia, além do vereador estar circulando num carro Del Rey roubado no Maranhão.[1][2][3]

Quando o programa já estava pra terminar, Salvador estava acompanhado de Álvaro Luiz de Oliveira, mais conhecido como Ceará (ou Bodão), entraram na emissora e tiveram acesso ao estúdio e renderam José Abade e Vanderlan Gomes, enquanto a câmera estava gravando toda a ação, pois não havia cinegrafista.[1][2][3] Enquanto Salvador Sobrinho apontava arma na frente contra o entrevistado e Álvaro Oliveira apontava arma na costa do entrevistado, ambos chegaram a dizerem que iriam matar os dois.[1][2][3] Salvador Sobrinho discutiu com Robson Abade e de repente, deu tiro contra ele com uma pistola 7.65 e seu comparsa arrastaram a vítima até o corredor da emissora e o executaram, matando-o na hora.[1][2][3]

Vanderlan Gomes aproveitou os executores de arrastarem Robson Abade para fora do estúdio para executarem no corredor para trancar a porta do estúdio, o que fez impedirem matassem Gomes e em seguida fugiram da emissora.[1][2][3] Ao perceberem que os executores já abandonaram a sede da emissora, entrou no ar para comunicar o assassinato do radialista Robson José Costa Abade nas dependências da emissora e que os executores eram os policiais Salvador Chamon Sobrinho e Álvaro Luiz de Oliveira, que ocorreu cerca de 10 minutos depois. O anúncio do assassinato de um policial pelo próprio policial na emissora repercutiu de imediato na cidade, chegando em emissoras de rádios e TVs no Pará, o que fez com que no dia seguinte (27 de julho) a notícia se espalhar em todo o Brasil e no dia seguinte (28 de julho) no exterior e nos jornais brasileiros.

Tanto pela imprensa brasileira e no exterior chegaram a informarem erradamente que o assassinato aconteceu durante o programa ao vivo. Não há informação se todas as cenas antes e depois do assassinato teriam sido exibidas pela emissora, pois não há algum registro na imprensa na época e nem algum vídeo que foi gravado por algum telespectador em Marabá para depois vazar na internet. Com a repercussão do crime, os executores se apresentaram em Belém (capital do Pará) uma semana depois, mas a dupla nunca foi condenada pela Justiça no Pará por serem réus primários e apresentaram recursos pra não irem na cadeia.

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 Lúcio Flávio Pinto (24 de novembro de 2017). «MORTE "AO VIVO" NA TV». Amazônia no Ar. Consultado em 4 de julho de 2021 
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5 Lúcio Flávio Pinto (7 de dezembro de 2017). «MORTE DIANTE DAS CÂMERAS». Amazônia no Ar. Consultado em 4 de julho de 2021 
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 3,4 3,5 Lúcio Flávio Pinto (28 de junho de 2020). «ASSASSINATO NO AR». Amazônia no Ar. Consultado em 4 de julho de 2021 

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).


Este artigo "TV Tocantins (Marabá)" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical.



Este artigo "TV Tocantins (Marabá)" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical.