Tião Carreiro & Pardinho

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Tião Carreiro & Pardinho
Informação geral
Origem Monte Azul (Tião Carreiro)
São Carlos (Pardinho)
País  Brasil
Gênero(s) Música sertaneja, moda de viola, pagode de viola, cateretê.
Período em atividade 1954-1978; 1981-1988
Gravadora(s) Chantecler; Continental; RCA-Victor
Integrantes José Dias Nunes
Antônio Henrique de Lima

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).Tião Carreiro & Pardinho foi uma dupla brasileira de música sertaneja, expoente de uma de suas variantes mais tradicionais, a moda de viola, e do pagode de viola, uma variante do cateretê. A dupla era composta pelos músicos José Dias Nunes (Tião Carreiro), responsável pelos solos de viola caipira e pela voz mais grave, e Antônio Henrique de Lima (Pardinho), encarregado do som de base, no violão ou na viola, e da voz mais aguda.

Embora tradicionalmente na música sertaneja a voz mais aguda ocupasse o lugar da primeira voz, a dupla se destacou pela proeminência da voz mais grave, e, consequentemente, na maior parte de suas canções Tião Carreiro realizava a primeira voz. Sua carreira se estendeu por dois períodos, de 1954 a 1978 e 1981 a 1993.

A dupla teve papel fundamental na difusão da música sertaneja junto ao grande público, levando-a dos programas sertanejos das rádios nas madrugadas aos teatros, rodeios e exposições, e para o horário nobre da televisão.

História[editar]

Em 1954, Tião Carreiro conheceu Pardinho no Circo Rapa Rapa, em Pirajuí, quando Tião ainda tinha o pseudônimo de Zé Mineiro. Lá, eles cantaram pela primeira vez. Em 1956, resolveram tentar a sorte em São Paulo, onde conheceram o prestigiado compositor sertanejo Teddy Vieira que, ouvindo a dupla, batizou José Dias Nunes de Tião Carreiro. Em novembro de 1956, gravaram o primeiro disco juntos com destaque para as músicas "Cavaleiro do Bom Jesus" (de João Alves, Nhô Silva e Teddy Vieira) e "Boiadeiro Punho de Aço" (de Teddy Vieira e Pereira).

A dupla Tião Carreiro e Pardinho é tida como uma das principais da música sertaneja de raiz e inventores do pagode, considerados artistas de primeira linha no gênero. Encenaram também duas peças teatrais, "O Mineiro e o Italiano", um melodrama baseado na música, e "Pai João", o drama de um velho carreiro, e gravaram o filme Sertão em Festa, ambos com grande sucesso. Tião Carreiro e Pardinho chegaram a gravar quase 30 LPs, todos remasterizados em CDs, que continuam em catálogo.

Discografia[editar]

A discografia da dupla é composta por mais de 55 álbuns, com cerca de setecentas canções.[1]

  • 1961 - Rei do Gado[2]
  • 1963 - Casinha da Serra[2]
  • 1964 - Linha de Frente[2]
  • 1964 - Repertório de Ouro[2]
  • 1965 - Os Reis do Pagode[2]
  • 1966 - Boi Soberano
  • 1967 - Pagode na Praça
  • 1967 - Os Grandes Sucessos de Tião Carreiro & Pardinho[2]
  • 1967 - Rancho dos Ipês[2]
  • 1968 - Encantos da Natureza[2]
  • 1968 - Tião Carreiro & Pardinho e Seus Grandes Sucessos[2]
  • 1969 - Em Tempo de Avanço[2]
  • 1970 - Sertão em Festa[2]
  • 1970 - Show
  • 1970 - A Força do Perdão[2]
  • 1971 - Abrindo Caminho[2]
  • 1972 - Hoje Eu Não Posso Ir[3]
  • 1973 - Sucessos de Tião Carreiro & Pardinho[3]
  • 1973 - Viola Cabocla[3]
  • 1973 - A Caminho do Sol[3]
  • 1974 - Modas de Viola Classe "A"[3]
  • 1974 - Esquina da Saudade[3]
  • 1974 - Tangos em Dueto[3]
  • 1975 - Modas de Viola Classe "A" - Volume 2[3]
  • 1975 - Duelo de Amor[3]
  • 1976 - Rio de Pranto[3]
  • 1976 - Os Grandes Sucessos de Tião Carreiro & Pardinho - Volume 2[3]
  • 1976 - É Isto que o Povo Quer - Tião Carreiro em Solos de Viola Caipira[3]
  • 1977 - Pagodes[3]
  • 1977 - Rancho do Vale[3]
  • 1978 - Terra Roxa[3]
  • 1978 - Viola Divina[3]
  • 1979 - Disco de Ouro[3]
  • 1979 - Golpe de Mestre[3]
  • 1979 - Pagodes - Volume 2[3]
  • 1979 - Tião Carreiro em Solo de Viola Caipira[3]
  • 1979 - Seleção de Ouro[3]
  • 1980 - Homem até Debaixo d'Água[3]
  • 1981 - Prato do Dia[3]
  • 1981 - Quatro Azes[3]
  • 1981 - Modas de Viola Classe "A" - Volume 3[3]
  • 1982 - Navalha na Carne[3]
  • 1983 - No Som da Viola[3]
  • 1984 - Modas de Viola Classe "A" - Volume 4[3]
  • 1985 - Felicidade[3]
  • 1986 - Estrela de Ouro[3]
  • 1988 - A Majestade "O Pagode"[3]
  • 1992 - O Fogo e a Brasa[3]
  • 1994 - Som da Terra - Tião Carreiro & Pardinho[3]
  • 1994 - Som da Terra - Tião Carreiro & Pardinho - Volume 2 - Pagodes[3]
  • 1994 - Som da Terra - Tião Carreiro & Pardinho - Volume 3 - Modas de Viola[3]
  • 1996 - Saudades de Tião Carreiro - Tião Carreiro & Pardinho e Várias Duplas[3]
  • 1998 - Sucessos de Ouro de Tião Carreiro & Pardinho - As Românticas[3]
  • 1999 - Popularidade - Tião Carreiro & Pardinho[3]
  • 2001 - Warner 25 anos[3]
  • 2003 - Os Gigantes
  • 2006 - Warner 30 anos

Observação : Em 1978, Houve o anúncio do fim da dupla, na época, Tião Carreiro formou dupla com o cantor e compositor Paraíso e lançaram 3 LPS, Sendo um ( 1978) pela Gravadora Continental e outros dois ( ambos em 1980) pela Gravadora Chantecler. Já Pardinho, formou a dupla Pardinho & Pardal, lancando 5 LPS (1 em 1978,1 em 1979,2 em 1980 e o último em 1981).

Referências

Bibliografia[editar]

  • Menezes, Benildo Machado de (2002). Moda de viola: a autêntica música caipira (Trabalho de conclusão de curso de graduação em história). Universidade Federal de Uberlândia. 272 páginas. Consultado em 16 de outubro de 2019 
Ícone de esboço Este sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



Outros artigos do tema Música : Sienna Belle, Ivanildo (músico), Top Hard Rock Albums, Suíça no Festival Eurovisão da Canção 1956, GP Music, Planeta das Gêmeas, 2005 Tour