Welcome to EverybodyWiki 😃 ! Nuvola apps kgpg.png Log in or ➕👤 create an account to improve, watchlist or create an article like a 🏭 company page or a 👨👩 bio (yours ?)...

Yago Martins

Fonte: EverybodyWiki Bios & Wiki
Yago de Castro Martins
 Edit this InfoBox
Nome completo
Nascimento 1 de junho de 1992 (28 anos)
Fortaleza, CE
Morte
Nacionalidade  Brasil
Cônjuge Isa Cavalcante Martins
Filho(s) Catarina Martins
Alma mater
Ocupação Pastor na Igreja Batista Maanaim, teólogo, professor e escritor
Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Yago de Castro Martins (Fortaleza, 1 de junho de 1992) é um dos expoentes do Novo Calvinismo no Brasil.[1] Foi considerado um dos 20 cristãos mais influentes da internet brasileira em 2013,[2] tornando-se nacionalmente conhecido fora dos círculos religosos após passar um ano dormindo com pessoas em situação de rua nas praças de Fortaleza, registrando a experiência no livro A Máfia dos Mendigos: como a caridade aumenta a miséria, publicado pelo Grupo Editorial Record.[3][4][5][6][7] É professor residente no Seminário e Instituto Bíblico Maranata, onde coordena o Núcleo de Estudos em Cosmovisão Cristã.[8] É membro do corpo de especialista do Instituto Mises Brasil[9], tendo sido podcaster do Instituto por um breve período em 2019 após a saída de Bruno Garschagen.[10] É pastor na Igreja Batista Maanaim, em Fortaleza,[11] e desde 2016 tem atuado como presidente do conselho diretor da Missão GAP.[12]

Formação acadêmica[editar]

Bacharel em Teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana (Londrina/PR), é formado na primeira turma de pós-graduação em Escola Austríaca de Economia do Centro Universitário Ítalo-Brasileiro (São Paulo/SP), tendo estudado com vários personagens relacionados ao início do governo Bolsonaro, como Eduardo Bolsonaro, filho do presidente. É mestre em Teologia Sistemática pelo Sacrae Theologiae Magister (Th.M) do Instituto Aubrey Clark (Fortaleza/CE).[13]

A máfia dos mendigos[editar]

A tese central de A Máfia dos Mendigos é que uma comunidade de "parasitas da miséria" tem se aproveitado da caridade irrestrita e impessoal que, para o autor, inunda as ruas das grandes cidades do pais, rejudicando aqueles que realmente dependem de ajudas emergenciais. No capítulo "Parasitas da miséria: como ONGs e igrejas têm criado novos mendigos", Martins escreve:

Não poucos trabalhos sobre mendigos os descrevem como homens que se encontram no limite da sobrevivência e dignidade humanas, mas os que dormem na rua não são exatamente miseráveis, pelo menos não no sentido absoluto de miséria. Sua miséria é relativa. São pobres em comparação com a riqueza de quem imediatamente os rodeia. No entanto, considerando as possibilidades reais de miséria que se manifestaram ao longo da história da humanidade e que podem ser encontradas em vários países subdesenvolvidos da Ásia ou da África hoje, não existe miséria real na vida do mendigo comum das grandes cidades de países economicamente mais prósperos.[14]

Para o autor, o processo de transformação dos homens em situação de rua se dá pelo engajamento pessoal em devolver dignidade: "Se queremos convencer um homem a sair da rua, precisamos ser instrumentos em um esforço de longo prazo para fazê-lo recuperar seu senso de dignidade".[15] Crítico das esmolas desengajadas, Martins defende que pedintes sejam ajudados principalmente com envolvimento, na construção de comunidades terapêuticas: "Interpretar os chamados à esmola como chamados ao envolvimento. Estabelecer contatos humanos sérios, olho no olho, e pegar pelas mãos aqueles que não estão conseguindo andar. A esmola não é necessariamente a postura mais cristã a se tomar diante do miserável: a cura milagrosa — das formas mais rotineiras que milagres acontecem nos corações —, sim."[16]

O livro gerou alguns comentários na grande mídia. No artigo "Quem são os evangélicos calvinistas que avançam silenciosamente no governo Bolsonaro", publicado no The Intercept, o teólogo e ativista Ronilso Pacheco levanta críticas ao livro Máfia dos Mendigos:

Não por acaso um dos livros de maior repercussão endossado por esse núcleo calvinista é “A máfia dos mendigos: como a caridade aumenta a miséria” do pastor e teólogo-youtuber Yago Martins. [...] o livro de Yago conta a história de um pastor que se finge de mendigo ao longo de um ano para dar “comprovação empírica” a sua crítica àquilo que parece ser uma das mais caras ações do cristianismo: a prática da solidariedade na caridade. Um livro que, em vez de mirar na estrutura que gera miseráveis, mira nas experiências individuais dos que “recorrem” à caridade sem talvez precisar delas.[17]

Acerca da tese central da obra, de que existem mendigos profissionais que se aproveitam da caridade impessoal, Luciano Trigo, no G1, comenta:

Trata-se de uma tese preocupante e, até certo ponto, convincente, diante do que vemos nas ruas, mas que aparece em “A máfia dos mendigos” mais como premissa que como consequência da pesquisa de campo empreendida pelo autor. Apesar dos méritos do livro, Yago peca pela falta de fundamentação concreta: no mais das vezes, ele constrói uma narrativa que fica na reiteração de suas convicções, sem demonstrar com dados objetivos a sua validade.[18]

Obras[editar]

MARTINS, Yago. Pecados Aceitáveis: Ofensas a Deus que não ofendem mais ninguém. Brasília, DF: Dois Dedos de Teologia, 2020. ISBN 978-85-52900-26-9

______. A Máfia dos Mendigos: Como a caridade aumenta a miséria. Rio de Janeiro, RJ: Record, 2019. ISBN 978-85-01116-90-1

______. Os Sermões dos Maricas: A pregação da verdade para homens de mentira. Niterói, RJ: Concílio, 2019. ISBN 978-85-93125-12-6

______. O cristão reformado: Uma introdução bíblica aos pilares do protestantismo. Brasília, DF: Editora 371, 2018. ISBN 978-85-52900-08-5

______. Faça discípulos ou morra tentando: O significado, a extensão e o selo do discipulado. Niterói, RJ: Concílio, 2017. ISBN 978-85-93125-02-7

______; CRUZ, Felipe. Dois dedos de teologia: 15 vídeos selecionados. Niterói, RJ: Concílio, 2017. ISBN 978-85-93125-06-5

______. Você não precisa de um chamado missionário. Niterói, RJ: Concílio, 2016. ISBN 978-85-93125-00-3

Prêmios e homenagens[editar]

Em 2017, seu artigo “Escatologia e utopia: as origens religiosas da esperança socialista” foi premiado como melhor artigo na categoria Ciência Política, na quinta edição da Conferência de Escola Austríaca no Brasil, recebendo a premiação pelas mãos de Bruno Garschagen.[19] Em 2018, foi homenageado pela Câmara Municipal de Fortaleza por seu protagonismo na luta por liberdade religiosa.[20]

Filme[editar]

Em 2019, interpretou o pastor Ali no curta-metragem Sepâh: O Exército de Guardiões da Revolução Islâmica no Irã, produzido por Luz em Ação em parceria com Iran Alive Ministries, uma história verídica baseada na vida de um comandante iraniano, responsável pela exterminação da igreja subterrânea, que põe sua vida em jogo ao começar a questionar suas crenças.[21] O elenco conta com a atriz iraniana Ferdos Heidari, cuja família fugiu do Irã por conta da perseguição religiosa.[22] Apesar de ser gravado em inglês, todo o filme foi produzido na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte.[23]

Links externos[editar]

Dois Dedos de Teologia (site oficial)

Referências

  1. Notícia, J. M. (19 de julho de 2016). «Pastores, teólogos e blogueiros comentam polêmica envolvendo CPAD» 
  2. irmaos.com (31 de dezembro de 2013). «Os 20 cristãos mais influentes da internet brasileira em 2013» 
  3. «"A caridade mal feita aumenta a miséria", diz pastor que dormia na rua» 
  4. «Pastor fingiu ser mendigo por 1 ano para desmascarar 'cultura da caridade' – Jovem Pan». 24 de outubro de 2019 
  5. «"Caridade aumenta a miséria", defende autor que fingiu ser mendigo por 1 ano em Fortaleza» 
  6. Redação (1 de outubro de 2019). «Pastor passa um ano se fingindo de mendigo e lança livro relatando a experiência» 
  7. «Uma tese polêmica sobre os efeitos colaterais da caridade» 
  8. «Nossos Professores – SIBIMA» 
  9. «Yago Martins» 
  10. «Tradicional podcast do Instituto Mises Brasil muda de apresentador». 19 de fevereiro de 2019 
  11. «Yago Martins, Autor em Voltemos Ao Evangelho» 
  12. Guiame (4 de outubro de 2019). «Pastor relata experiência de viver um ano como mendigo» 
  13. «Sobre nós». 10 de fevereiro de 2019 
  14. Martins, Yago (2019). A máfia dos mendigos : como a caridade aumenta a miséria 3a edição ed. Rio de Janeiro: Record. p. 73. OCLC 1121478019 
  15. Martins, Yago (2019). A máfia dos mendigos : como a caridade aumenta a miséria 3a edição ed. Rio de Janeiro: Record. p. 87. OCLC 1121478019 
  16. Martins, Yago (2019). A máfia dos mendigos : como a caridade aumenta a miséria 3a edição ed. Rio de Janeiro: Record. p. 210. OCLC 1121478019 
  17. Pacheco, Ronilso (4 de fevereiro de 2020). «Quem são os evangélicos calvinistas que avançam silenciosamente no governo Bolsonaro» (em English) 
  18. «Uma tese polêmica sobre os efeitos colaterais da caridade» 
  19. «Diálogo com a esquerda é tema de artigo vencedor da conferência de EA do IMB». 16 de maio de 2017 
  20. Fortaleza, Câmara Municipal de. «Câmara presta homenagem ao protagonismo do jovem cristão pela liberdade religiosa « Câmara Municipal de Fortaleza» 
  21. «Sepâh – Luz em Ação» 
  22. «Em meio a tensões internacionais, filme gravado em Natal conta história de perseguição religiosa no Irã» 
  23. Redação (9 de janeiro de 2020). «Curta-metragem brasileiro conta a história de comandante iraniano que perseguia cristãos» 

Ver também[editar]

  • Protestantismo
  • Novo Calvinismo
  • Conservadorismo brasileiro
  • Escola Austríaca
  • Instituto Ludwig von Mises Brasil

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Erro Lua em Módulo:Controle_de_autoridade na linha 131: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).Erro Lua em Módulo:Taxonbar na linha 147: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).Erro Lua em Módulo:Medbar na linha 131: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Erro Lua em Módulo:Categorização_AD_e_AB_de_outras_wikis na linha 173: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).

Erro Lua em Módulo:Controle_de_autoridade na linha 131: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).Erro Lua em Módulo:Taxonbar na linha 147: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).Erro Lua em Módulo:Medbar na linha 131: attempt to index field 'wikibase' (a nil value).


Este artigo "Yago Martins" é da wikipedia The list of its authors can be seen in its historical and/or the page Edithistory:Yago Martins.